sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Blindspot

Então você está em mais um pacato dia resgatando mulheres em cativeiro de um maníaco, em seu trabalho no FBI, quando uma bela moça (digna de Asgard), aparece desnuda em meio a Times Square, com seu nome tatuado nas costas. O que você faz?

A apresentação da protagonista de Blindspot é sem dúvida um dos pontos marcantes da série, e o que atraiu grande parte de seus expectadores. A moça vivida por Jaimie Alexander (a Lady Sif de Thor e Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D.) surge de dentro de uma mala suspeita, largada no meio do ponto turístico nova iorquino, já devidamente evacuada pelo esquadrão anti-bombas. A bolsa não é uma bomba, mas o surgimento desta ninguém, desencadeia uma série de acontecimentos explosivos (com o perdão do trocadilho).

Com toda sua memória apagada quimicamente, e todo o corpo tatuado recentemente. Não demora muito para todos decidirem que suas tatuagens são pistas para algo maior. Á começar pelo nome do agente do FBI Kurt Weller (Sullivan Stapleton), que não faz ideia do porque foi envolvido, mas logo assume o papel desta "desconhecida". Esta por sua vez começa a ser chamada pelo termo usado para "indigentes do sexo feminino" em inglês: "Jane Doe".

Ainda no piloto, Jane começa a descobrir habilidades específicas que apontam: essa moça não é uma qualquer. Embora realmente no momento seja ninguém, já que não existe registro algum de sua existência. É por ela, que você continua a assistir. Seja por já ser fã da atriz, ou para finalmente vê-la obter todo o "girl power" equivocadamente lhe negado nos longas do Thor.

Se o expectador fica por Jane, espera-se que a série abrace sua protagonista, tornando-a outro ícone feminino da cultura pop. E evitando cair na clichê de série policial, com parceiros diante de um grande mistério, e eventualmente um interesse amoroso. Não há nada de errado, em seguir esta fórmula, aliais este parece ser o rumo escolhido para a produção. Focar apenas nisso, abusar de reviravoltas forçadas para manter o expectador, enquanto negligencia uma protagonista forte em potencial que seria um problema.


Perigo este, que fica ainda maior com a extensão da primeira temporada. Os primeiros episódios foram tão bem recebidos que a produção antes de apenas 13 episódios ganhou temporada completa, com 22 capítulos.

Uma boa série com uma protagonista forte, e um grande mistério. Tem tudo para durar, se a trama escolher bons rumos. Fica à torcida! Blindspot é exibida pela Warner nas terças-feiras, às 22h30.

P.S.: Com Jaimie Alexander ganhando uma série só dela, significa que Lady Sif não vai mais dar o ar da graça em Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D.? Quem a aí conhece o contrato da moça? Ao menos em Thor: Ragnarok sua presença está garantida.

2 comentários:

Hugo disse...

Os três primeiros episódios foram criativos, com uma trama instigante, narrativa ágil e boas cenas de ação.

Vamos ver a série manterá o nível.

Abraço

Fabiane Bastos disse...

Sim! É o que eu espero Hugo. Especialmente, depois do cancelamento de "Forever" enquanto eu ainda estava curtindo :(

Att...

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top