segunda-feira, 18 de maio de 2015

Noite sem Fim

Lembro de uma época que eu fazia piada sob a condição de mentor/figura paterna que Liam Neeson desempenhou repetidamente bem em Star Wars, Batman ou como o todo poderoso Aslam em Nárnia. Entretanto, nos últimos anos o ator resolveu abraçar outro estereótipo: veterano com "habilidades especiais" e muitas cicatrizes literais e metafóricas após uma vida de trabalho.

Em Noite sem Fim Neeson dá vida à Jimmy Conlon, matador de aluguel empregado do mafioso, que também é seu irmão, Shawn Maguire (Ed Harris). Solitário, o trabalho o afastara do filho Mike (Joel Kinnaman, o novo Robocop). Entretanto um incidente no início da tal noite coloca o "bom moço" Mike, na mira de Maguire e Conlon trai o irmão/patrão para proteger o filho.

Passado quase completamente à noite (uma única noite, aliais), o filme aproveita o clima sombrio para tentar criar um tom diferencial para sua previsível história de redenção/último trabalho. A trilha sonora equivocada também tenta de forma trazer urgência para as já aceleradas cenas de ação, mas acabam por chamar demais a atenção para si, e não para a cena.

Ah! E por falar na ação, esta sim é impecável e quase ininterrupta. Com pausas estratégicas apenas para explicar a complexa relação entre as famílias, de sangue e "da máfia", e as consequências da traição nestes núcleos, enquanto explora a noite de Nova York com curiosos travelings aéreos, que situam o expectador no mapa da cidade. Vale observar o passar das horas da tal noite interminável, conforme as ruas vão ficando mais vazias, sem vida.

O elenco veterano se esforça para extrair algo dos caricatos personagens. Mas, não há espaço para muito no roteiro que prima pela ação, e não foge da fórmula pronta. É provável que você já saiba o final logo após os primeiros minutos de projeção, a única surpresa é quais desvios a trama vai tomar até chegar a ele. A sensação (praticamente certeza) é que Liam Neeson, tem muito mais a oferecer ao público, mas está perdendo tempo com mais do mesmo.

Um ou dois filmes do gênero é divertido, mas a repetição em sequencia já ficou cansativa. Está na hora de mudar de estereótipo novamente Sr, Neeson. Ou melhor ainda, volte ao tempo que isto era apenas uma piada, e não se apegue a um papel só!

Noite sem Fim (Run All Night)
EUA - 2014 - 114 min
Ação


0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top