segunda-feira, 21 de março de 2011

Rango

O argumento é sem dúvida promissor: levar o velho-oeste para a animação infantil. E porque não? Já tivemos, romances, dramas, musicais e até tragédias (vide Gnomeu e Julietta), adaptados para os pequenos como animais, bonecos ou similares. Já era a hora de alguém tentar apresentar o western à petizada.

Rango (Johnny Depp) cai do carro durante a mudança em meio ao velho-oeste. Acostumado às mordomias de um animal de estimação, e acreditando que é um ator ele resolve incorporar o personagem. Bancando o caubói machão errante, coloca banca na pequena cidade de poeira, por um golpe de sorte se torna o xerife, e precisa descobrir o mistério da falta de àgua na cidade.

Logo de cara causa estranheza. Afinal seus personagens são lagartos, e outros animais do deserto nada agradáveis aos olhos mas perfeitos à adaptação. Entretanto mesmo um bom argumento, com o design e tecnologia perfeitos podem desandar.

Tentando ser "um roteiro inteligente", o longa exagera em metáforas e referências. Com direito a cena de descoberta onírica, e tudo! Se o visual, nada fofo afasta as meninas a narrativa rebuscada afugenta os meninos. A não ser que você o tenha criado a muito bang-bang.

Mas aí você deve estar pensando: Nem toda animação é feita para crianças, Rango deve ser uma delas! - Verdade, mas não é o caso. Para os adultos o excesso de metáforas e referências torna a narrativa arrastada e cansativa. Mesmo porque, é um bang-bang tradicional, os mais velhos sabem onde o longa vai chegar. As firulas na tela apenas tornam tudo mais demorado e exaustivo.

Outro problema de Rango, veio antes mesmo do filme estrear: a expectativa. O nome de Johnny Deep no título somado a frase "dos produtores de Piratas do Caribe", e ao trailer que reuné as únicas cenas realmente boas do longa, geraram uma expectativa sem tamanho. Quando se vai ao cinema esperando demais, é comum sair decepcionado.

Eu confesso! Fui assistir Rango atraída pelo nome de Johnny Deep no elenco. O que é no mínimo insano, uma vez que os cinemas brasileiros só exibem cópias dubladas, e elas nem mesmo utilizam o dublador habitual do ator (é, eu presto atenção as vozes). Erro meu. Talvez tivesse aproveitado mais se esperasse o DVD com audio original.


Rango
EUA - 2010 - 107 minutos
Animação / Faroeste

2 comentários:

Giselle de Almeida disse...

Vou ter que tirar um dia para ficar em dia com todas essas animações... E nem vi Enrolados. Estou louca pra ver Rio também!!!

Fabiane Bastos disse...

O primeiro semestre de 2011 começou bem fornecido de animações, será q vai sobra algo bom p/ fim do ano???

Enrolados é fofo, Gnomeu e Julietta também, só Rango que não curti muito. (sorry Mr. Depp!)

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top