sexta-feira, 30 de julho de 2010

Shrek Para Sempre

Nada de piadas com os contos de fadas da Disney, Shrek Para Sempre vai mais fundo e aproveita a premissa de A Felicidade Não se Compra (It's a Wonderful Life, 1946). Assim como no clássico de Frank Capra, Shrek tem um vislumbre do mundo sem sua presença.

Sentindo-se menos "ogro", já que agora os outros não tem mais medo dele. Shrek chega ao seu limite na festa de aniversário de seus bebês, grita com todos, briga com Fiona e abandona tudo. Rumpeltinsk, duende negociante , e trapaceiro, observa tudo e faz ao ogro a oferta de sua vida. Shrek poderia curtir um dia inteiro assustando, como nos velhos tempos, em troca de um dia qualquer de sua vida. O duende escolhe o dia em que Shrek nasceu, logo o ogro se encontra em um mundo muito diferente, onde tudo e todos foram afetados pela sua "não existência".

A versão "Rumpeltinsk", de Tão Tão Distante, é cheio de personagens novos, e muito brilho (apliado ainda mais pela tecnologia 3D), ao menos dentro do palácio, fora a cidade e seus moradores estão aos farrapos. Uma comunidade clandestina de ogros, um bando de bruxas além do próprio Rumpeltinsk, e suas perucas para cada ocasião, são as novidades da franquia. Mas não deviam ser tudo!

Uma vez que a história se passa quase inteira em um universo paralelo (o que pode ser complicado demais para as crianças menores), e os personagens foram afetados por essa realidade, tudo soa um pouco diferente. E apesar de nos divertirmos com as diferenças, sentimos falta dos "originais", da realidade e dos personagens com quem nos familiarizamos ao longo de uma décadas e três longas. Novidades a parte, é com eles, e por eles que queremos ver mais Shreks.

As piadas cheias de referências, e músicas dão espaço a ação. E as brincadeiras com os contos de fada, dão lugar a solução mais usada nos mesmos, o tal "beijo do amor verdadeiro". Meloso, mas já que é o ultimo agente perdoa!

Shrek Para Sempre (Shrek Forever After)
EUA , 2010 - 93 min.
Animação / Aventura

2 comentários:

Giselle de Almeida disse...

Concordo que essa história de mundo paralelo é difícil para as crianças. Shrek está ficando cada vez mais adulto, mas perdeu o frescor dos dois primeiros longas da série. As referências eram o melhor do filme!Desse quarto, só gostei mesmo do Gato, engraçado como sempre. Mas podíamos ter ficado sem esse. Ninguém ia sentir falta.

Fabiane Bastos disse...

Fazer o que! Eles não podiam acertar todas né!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top