quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Bates Motel - 5ª temporada!

Antes de mais nada aquele aviso importante: resenha a seguir pode conter spoilers da série e de Psicose, clássico do mestre do suspense Alfred Hitchcock.

Não estamos mais assistindo a criação de um psicopata, Norman já está pronto! Confesso que eu não fiquei nem um pouco animada quando anunciaram a personagem de Marion para a quinta temporada de Bates Motel. Desde o início, sempre imaginei o final desta versão, com Norman comandando o motel, sentado na varanda comendo sementes de girassol enquanto sua mãe descansa no porão. Tudo prontinho para em alguns anos (e assassinatos) receber a pseudo-protagonista do aclamado suspense de Hitchcock. A série no entanto, resolveu ariscar e oferecer uma nova versão para o clássico. A coragem compensou, pois a nova versão funciona muito bem.

Quando deixamos Norman (Freddie Highmore) no ano anterior, ele acabara de perder matar sua mãe Norma (Vera Farmiga). Agora, o jovem comanda sozinho o Motel Bates, Romero (Nestor Carbonell) está preso pela morte da esposa, enquanto Dylan (Max Thieriot) e Emma (Olivia Cooke) vivem felizes em uma cidade distante, sem fazer ideia dos últimos acontecimentos.

Boa parte desta temporada se concentra em criar uma relação entre Norman, Madeleine Loomis (Isabelle McNally) e seu marido Sam Loomis (Austin Nichols), que eventualmente desencadearão na nova versão da famosa cena do banheiro, além de aumentar e demonstrar a psicopatia do protagonista. O arco ainda inclui Marion Crane, é claro, em uma boa participação especial de Rihanna. O resultado deste desenvolvimento é uma bem vinda mudança de motivação, Norman não é apenas sádico ou avesso às mulheres. Ele tem problemas com "perversão em geral", dentro de seus próprios parâmetros, obviamente. Estes foram bem apresentados ao longo das quatro temporadas anteriores.

A nova versão da icônica cena, não tenta imitar a obra de HitchCock, mas faz referências em ângulos e cortes. Os fãs dedicados devem aprovar as mudanças, que podem surpreender (isso se você escapou dos spoilers, eu consegui!), além de reconhecer as homenagens. Já os não iniciados não precisam conhecer o longa-metragem para desfrutar da sequencia.

Se dispõe de tempo e criatividade para a trama que faz alusão ao filme que a inspirou, Bates Motel peca com a trama principal que vem construindo ao longo dos anos. Talvez porquê grande parte do desenrolar já foi executada na temporada anterior, deixando para este quinto ano apenas o desfecho dos personagens.


Assim, a investigação em torno dos estranhos acontecimentos no motel é lenta, assim como os arcos de Dylan e Romero. A história do Xerife chega a desaparecer em alguns episódios, e não resulta em grandes soluções. O irmão de Norman tem um desfecho mais interessante, porém pouco explorado dentro do próprio universo. Particularmente senti falta do impacto da descoberta dos segredos do Motel Bates na comunidade de White Pine Bay e até em Emma.

Outros personagens com que a série perde tempo de tela são Chick Hogan (Ryan Hurst) cujo desfecho tem uma pegadinha e Caleb (Kenny Johnson). A presença de ambos só se justifica para oferecer um desfecho mais definitivo para seus personagens secundários e adiar o final da trama principal.

Falhas à parte, o ponto alto da série ainda é a dinâmica entre Highmore e Farmiga, apresentando com perfeição a relação doêntia entre mãe, filho e alucinação. Mesmo com sua personagem morta, Norma ainda é uma figura forte em cena e na vida de seu perturbado caçula. Isso só é possível graças à excelente atuação de Farmiga.


Apesar de alguns escorregões, Bates Motel conseguiu a proeza de recriar um clássico sem ser ofensivo, bajulador ou apenas ruim. Mantendo a essência da série e, principalmente, de seus carismáticos personagens. Nos importamos com eles por isso, perdoamos alguns equívocos na trama. Não supera Psicose, é nem acho que fosse o objetivo, mas como um todo a série é uma excelente atualização. Eficiente em uma parte que o longa não teria tempo de mostrar: como criar um psicopata!

Leia mais sobre Bates Motel.

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top