quinta-feira, 22 de junho de 2017

Girlboss - 1ª temporada

Sofia é antipática, egoísta,impulsiva e acha que é dona da verdade. Em outras palavras não é uma das personagens mais cativantes que já ganharam uma série de TV. Mesmo assim, somos compelidos a acompanhar sua busca por independência. Talvez porque o sentimento de indignação com sociedade, seja comum à muitos de nós. Não fosse seu discurso de desilusão com a vida adulta logo nas primeiras cenas do piloto, talvez não encontrássemos razões para acompanhá-la por tempo o suficiente para a série engrenar.

Levemente baseada na vida de Sofia Amoruso - a própria série enfatiza o levemente, antes de cada episódio - Girlboss conta a história de uma garota perdida na vida, que faz sucesso vendendo roupas antigas no e-bay em 2006. A startup virou uma marca milionária e atualmente  "Nasty Gal", tem lojas próprias online e física.

Amadurecer, descobrir seu caminho, investir na carreira, agir "como adulto", moldes que a sociedade impõem aos seus jovens millennials. Considerados cheios de "potencial",que não conseguem concretizar já que são podados por estes mesmos moldes e expectativas, isso quando não são menosprezados por pessoas apenas um pouco mais velhas que eles. Imagina então, tentar abrir uma empresa sendo jovem e mulher, quando todos te vêem apenas como uma garota mimada!

Nesta primeira temporada, Sofia (Britt Robertson de Tomorrowland) vai da desesperança, passando pela epifania até um relativo sucesso com muitos altos e baixos, tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Tem que aprender a tocar as vendas, em uma formato relativamente novo, lidar com a concorrência enquanto administra sua relação com o interesse amoroso, melhor amiga e pai. Sim a personagem muda, aprende, evolui bastante ao longo dos treze episódios, o que é interessante para uma comédia de meia hora.

O texto é ágil e cheio de referências pop - de 2006/2007 - o que funciona, principalmente com quem se lembra de "eventos" como a vida conturbada de Britney Spears, ou a morte da Marisa em The O.C.. Acompanhando as referências, a construção de época de um passado bem recente é eficiente. É impressionante perceber como a moda e principalmente a tecnologia mudou em uma década. Outro acerto da produção de arte é incorporar a moda vintage em seu visual, já que as "roupas antigas" são coração da ideia de Sofia. Quem também acompanha este ritmo ousado e vintage é a trilha sonora, cheia de hits icônicos. Também chama atenção o o formato escolhido para ilustrar os fóruns da internet. A ideia é simples, não é original, mas funciona muito em e torna divertida uma discussão que poderia ser filmada apenas como um bando de pessoas solitárias em seus notebooks.

O elenco é eficiente, e o destaque é realmente de Robertson. Confortável na pele da protagonista, ela consegue conferir verdade à Sofia mesmo quando se comporta de forma desprezível. A química com Ellie Reed, que interpreta sua melhor amiga Sofia é excelente a ponto de justificar um episódio deslocado da jornada principal, focado na história da amizade da dupla. Além da dupla, Dean Norris, RuPaul Charles, Jim Rash, Koosha Patel, Cole Escola e Nicole Sullivan completam o elenco. Estes dois últimos Também em uma dupla bem acertada.

"A vida adulta é quando os sonhos morrem!" - é por causa desse sentimento familiar, que aceitamos seguir uma personagem não tão legal por tempo o suficiente para entendê-la e nos identificar com ela. Mas, cuidado, pode haver é um eventual sentimento de frustração ao perceber que Sofia é bem sucedida, mesmo fazendo tudo errado e xingando deus e o mundo, enquanto você ainda está presos àquelas normas que mencionei no início deste texto. Se isso acontecer, se apegue nos momentos caricatos e de comédia pastelão e se lembre que a série é apenas levemente baseado na realidade. Além disso, você não precisa ir aos extremos como a Sofia, mas pode sim se libertar das exigências da sociedade.

Girlboss é uma série da Netflix que tem a própria Sofia Amoruso e Charlize Theron como produtoras. Todos os seus 13 episódios já estão disponíveis no serviço de streaming.

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top