segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Sense8: Especial de Natal

Não faça com os outros aquilo que não gostaria que fizessem com você. - Esta lição que alguns pais ensinam aos seus filhos é nada menos que uma simplificação, ou uma introdução ao conceito de empatia: se colocar no lugar do outro. Sense8 eleva este conceito à um nível literal da experiência. Não é preciso se imaginar no lugar do outro, você simplesmente está lá.

Will (Brian J. Smith), Riley (Tuppence Middleton), Capheus (Aml Ameen/Toby Onwumere), Sun (Doona Bae), Lito (Miguel Ángel Silvestre), Kala (Tina Desai), Wolfgang (Max Riemelt) e Nomi (Jamie Clayton) compartilham uma conexão. E apesar de estarem em pontos completamente diferentes do mundo, e nunca terem se encontrado, se conhecem melhor que ninguém. Diferente, dependente da capacidade de empatia dos espectadores, cheia de metáforas e com ritmo próprio, a primeira temporada causou um burburinho entre os que amam e não compreendem a nova empreitada das irmãs Wachowski, as criadoras de Matrix.

A primeira temporada chegou na Netflix em 2015, mas a complexa logística de produção (a série é rodada em vários países) e problemas com o ator Aml Ameen, que levaram à sua substituição quando muitas enas já haviam sido gravadas tornaram impossível o retorno da série em 2016. Para não deixar os fãs muito tempo esperando o serviço de streaming prometeu um especial de natal, que está disponível desde do dia 23 de Dezembro.

Este episódio de duas horas, não tem muito tempo, muito menos a intenção, de desenvolver as narrativas mais complexas. Aparentemente, sua intenção é apenas reforçar o status quo, trazer a mitologia da série de volta e reforçar a empatia do expectador com os personagens. É claro, pequenos pontos da história evoluem.

Sun se descobre mais presa do que nunca, tentando provar sua inocência diante do poder de seu irmão. Lito tem que lidar com as consequências cruéis de assumir sua homossexualidade em uma sociedade que reage mal ao diferente. Enquanto isso Nomi continua sendo procurada por seu hackivismo, Riley e Will se mantém escondidos do Whispers, Capheus anda as voltas com seu ônibus, Kala tenta se acertar em seu casamento arranjado enquanto Wolfgang lida com o "legado" de sua família.


Entretanto o foco mesmo é mostrar como os oito protagonistas já estão confortáveis com suas novas habilidades. Não apenas confortáveis, mas entregues à essa conexão, se fazendo presentes (embora talvez sem controle consciente) sempre que os outros ou eles mesmo precisem de ajuda, seja para um simples conselho ou uma complexa cena de luta. 

Some-se aí a relação já característica do programa com a música e o sexo. Ambos usados como forma de expressar tanto a liberdade quanto a vontade de compartilhar os bons momentos com quem se ama. E apesar das circunstâncias, não faltam bons momentos a serem compartilhados. Desde um simples mergulho que resulta em uma bela cena aquática inicial, até celebrações de aniversário e festas de fim de ano. Seja com o grupo completo ou simplesmente em duplas, esses momentos compartilhados ainda são os melhores da produção.

Por outro lado, há quem possa ficar decepcionado com o "mais do mesmo". Afinal, já faz mais de um ano que nos desligamos da conexão, e muitos estão ávidos pelo que está por vir. Para esses, o episódio focado no cotidiano e não na evolução da história pode ser um balde de água fria natalino.

Particularmente, acho que evoluir a história nunca fora a intenção deste especial. O foco é nos levar de volta para este universo, aprimorar nossa conexão com os personagens, reapresentar Capheus em seu novo intérprete (ainda não acostumei) e preparar o terreno para a nova temporada. Entretanto, seja qual for o propósito desde episódio em particular, uma característica continua a mesma: Sense8 depende da capacidade de empatia do espectador. Reparou que no primeiro parágrafo mencionei que "alguns pais" ensinam aos seus filhos, a se colocar no lugar do próximo? Não tenho dados estatísticos para comprovar esta afirmação, ela é baseada apenas em observação da nossa realidade. Mas a sensação é que a lição nunca foi ensinada, ou completamente esquecida por muitos, nos últimos anos.

É por isso que talvez este episódio tenha um outro propósito não intencional: nos lembrar daquele conselho de nossos pais. Nos colocar no lugar do próximo. Muito apropriado para um especial natalino, não acha?

A nova temporada de Sense8 estreia em maio de 2017. A primeira temporada tem 12 episódios de uma hora, todos disponíveis no serviço de streaming junto com este especial.

Leia mais sobre Sense8

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top