sexta-feira, 10 de junho de 2016

The Flash - 2ª temporada

O ministério dos "série-maníacos" adverte: este texto contem SPOILERS!


Então como se universos viagens no tempo, universos paralelos, identidades falsas e doppelgangers não fossem complicação o suficiente. No último episódio da segunda temporada de The Flash, Barry (Grant Gustin) resolve voltar no tempo e impedir o assassinato de sua mãe. consequentemente alterando todos os acontecimentos daquele universo daquele dia em diante. E quando digo "aquele universo", inclui Arrow, DC Legends of Tomorrow e até Supergirl, afinal talvez o Flash nunca passe por lá para dar aquela assistência que a moça precisava.

Não é atoa que os fãs da DC nas telas entraram em parafuso com a season finale. Mas antes de discutir as implicações deste final cheio de possibilidades, nada mais apropriado que discutir o desenvolvimento da temporada que levou a ele, não acha?

E a segunda temporada da série do velocista tinha muitas tarefas: consertar a bagunça criada com o buraco de minhoca gigante que apareceu na cidade no final da primeira temporada, apresentar o conceito de multiverso que a DC resolveu adotar nas telas, e junto com Arrow* introduzir os personagens da nova série DC Legends of Tomorrow. 

Além, é claro, de desenvolver sua própria trama, e sem perder o bom desempenho que teve no primeiro ano. Tarefas que, aparentemente, Barry tirou de letra, já que sobrou tempo para o rapaz visitar a "Terra 3" para conhecer a Supergirl, e até conversar com a tal "Força de Aceleração" (eu não sabia que era possível!).


E como fazer tudo isso? Assumir de vez que esta é a série mais "nerd" de todas as produções que envolvem super-heróis. O que consiste em não ter vergonha de uniformes coloridos, ou de eventualmente precisar parar para explicar conceitos mais complexos, mais de uma vez e com ajuda de um quadro negro. Tudo isso tornou a trama mais séria que o "leve e divertido" segundo ano, mas isso não é necessariamente ruim.

A "urgência" extra funciona muito para o vilão da vez, que novamente um velocista (claro, né!) não tem grandes mágoas e rancores. O Zoom (Teddy Sears) é mau, quer ser o homem mais rápido do mundo, aliais "dos mundos" e comandar todos eles. Simples assim.

E ainda bem que as motivações do vilão são simples. Uma vez que seus métodos não são. Junto com Zoom vem os conceitos de universos paralelos (a tal Terra 2), buracos de minhoca, os fantasmas do tempo, força de aceleração e resquício do tempo (este último, não tenho certeza se realmente entendi).  Mas no geral, os conceitos são apresentados de forma a não deixar o expectador perdido.

Ao final do ano, Harrison Wells (Tom Cavanagh) pode voltar a ser uma nova versão de mentor. Iris (Candice Patton) e Caitlin (Danielle Panabaker) superam as mortes de seus pares na temporada anterior, e até arriscam novos romances. Assim como Barry e até Cisco (Carlos Valdes), por mais errados que essas relações terminem. São apresentados Wally West (Keiynan Lonsdale) e Jesse Quick Wells (Violett Beane), nomes conhecidos nos quadrinhos. Além de um monte de meta-humanos, que o Cisco adorou nomear.

Tudo isso enquanto enfrentavam o um vilão mais perigoso. Até aqui tudo normal, então o Flash resolve por impulso alterar o passado na última cena da temporada, que já mencionei no primeiro parágrafo. Chegamos às...

... implicações da burrice escolha de Barry de alterar o passado


Barry salvou a mãe, e consequentemente alterou o futuro, o que isso significa? Muita coisa. Para quem lê os quadrinhos esse é o Flashpoint ("Ponto de Ignição", no Brasil), saga onde Barry criou um universo alternativo, muito diferente e que deu origem aos "Novos 52".

Na série, significa que os universos de Flash e Arrow vão ser afetados na 3ª e 5ª temporada respectivamente. Quais mudanças são essas, é difícil prever, mas de cara podemos dizer que Barry não será criado por Joe. Ele vai perder os poderes? Não perder, talvez ainda não os tenha ganhado, já que Eobard Thawne apenas acelerou sua transformação, mas não a causou, o Barry se tornaria o Flash independente das ações dele.

E já que retornamos à eventos da primeira temporada, vale recordar: Barry também tentou salvar sua mãe antes. Ele foi impedido por um "Flash do futuro", que ainda não sabemos porque ou de quando veio. Meu palpite? Este é o Flash da terceira temporada tentando corrigir a linha do tempo, depois de ver que ferrou tudo nesta season finale.

É claro, os resultados de "brincar" com o tempo são imprevisíveis. E é possível que durante este processo alguns detalhes continuem diferentes. E mais provavelmente ainda, que essas alterações sejam convenientes correções na narrativa de Arrow (que é a série que mais precisa de um ajuste), e a vinda da Supergirl para o mesmo universo, já que agora a série da moça pertence ao mesmo estúdio.

Mas estes são os meus palpites para o futuro de uma boa série. Qual é a sua opinião?

Momento Fã Service!
The Flash é no Brasil pelo canal Warner Channel. Suas duas temporadas tem 23 episódios cada, a primeira está disponível na Netflix.  Leia mais sobre The Flash.

*No Brasil há uma circunstância atenuante aqui, a quarta temporada de Arrow, originalmente transmitida simultaneamente com Flash, só estreia na próxima quinta-feira (16/06). Fazendo com que os fãs brasileiros se esforcem para entender onde se encaixam os crossovers, e eventualmente se deparem com spoilers enormes. Falha grande da Warner Channel que exibe as duas produções.

5 comentários:

Jóckisan disse...

Não acho que vai mudar Arrow, que é um universo à parte com histórias próprias. Acho que pode mudar os encontros anteriores que eles tiveram, mas Arrow em si não. De qualquer forma essa seria uma oportunidade que Arrow teria de recomeçar usando essa decisão de Barry a seu favor. Sobre Legends of Tomorrow, também acho que não muda, já que eles sempre estão viajando pelo tempo mesmo.

Fabiane Bastos disse...

Também acho q não vai afetar muito os Legends (até pq a Gideon deve saber que isso vai acontecer, rs). Mas acho que o Flash vai precisar consertar essa linha do tempo sim, e quando conseguir ainda vai dar uma "remendada" nos erros de Arrow e um jeitinho de trazer a Supergirl para mais perto! rs

Ioanes Rohdt Gofas disse...

Acho muito legal essa série, mas tem muitas coisas que não tem sentido, por exemplo a primeira vez que ele volta ao passado um dia antes. Se ele voltou ao passado, ele deveria encontrar ele mesmo, deveria ter dois dele, mas só tinha um!
E em questão da velocidade, ele voltou ao passado para descobrir com o Wells como aumentar a velocidade. Porquê quando ele voltou a ter os poderes ele não fez aquele negócio que ia no peito ajudando a aumentar a velocidade e fazendo com que ficasse mais veloz do que o Zoom?
Mas mesmo tendo esses defeitos, foi algo que gostei de olhar!

Fabiane Bastos disse...

Sim, Flash é divertida e tem a suas falhas. Mas, tem uma regra que uso para produções com muitas viagens no tempo: não analise demais, uma hora vai ter um furo ou no mínimo um paradigma que vai esquentar a sua cabeça por anos, ou tirar a graça da brincadeira!

Obrigada pela visita! ;)

Ioanes Rohdt Gofas disse...

Sim, tanto que tento achar o mínimo possível de erros, mas meu cérebro se acostumou, por isso sempre olho um e sempre acho algum defeito!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top