sexta-feira, 17 de junho de 2016

Blindspot - 1ª temporada

Recapitulando: Blindspot é uma série com uma protagonista que não sabe quem é, mas que tem o corpo todo tatuado com o que parecem ser pistas sobre sua identidade, entre outras coisas. Assumindo o papel de consultora do FBI, a moça vai eventualmente à cada tatuagem descobrir sua identidade, enquanto desvenda alguns crimes. Correto? Mais ou menos...

23 episódios depois que Jane Doe (Jaimie Alexander) saiu desnuda de uma mala suspeita na Time Square, o quadro é bem diferente daqueles primeiros episódios. Sim, descobrimos mais a cada caso. E também acompanhamos uma série procedural com o caso tatuagem da semana. Mas estes casos estão conectados à um caso maior que ainda não faz muito sentido, para nós ou mesmo para Jane,

Ok. Já era de se imaginar que haveria uma conspiração maior por trás da criação de Jane. O diferencial aqui é, que mesmo a própria Jane não faz ideia da trama. Enquanto as coisas que ela descobrem, a colocam como possível vilã da história. Isto é sua versão pré-amnésia, que ajudou no misterioso plano. Logo, Jane precisa mentir para seus colegas de FBI, não confia em seu contato misterioso, muito menos em seu passado.


Enquanto isso o agente do FBI Kurt Weller (Sullivan Stapleton) e sua equipe Reade (Rob Brown), Zapata (Audrey Esparza), Patterson (Ashley Johnson) e a chefe Mayfair (Marianne Jean-Baptiste), passam a confiar na protagonista e fazer bom uso de suas habilidades incomum, e das pistas das tatuagens. É claro, com a temporada esticada para 23 episódios (originalmente teria 13), ainda sobrou tempo para cada um desenvolver arcos próprios, que incluem romances, problemas com jogo, com a família e passados obscuros. Curiosamente, todas essas tramas são afetadas diretamente pelo grande plano que envolve as tatuagens. Ainda que os personagens ainda não possam fazer a conexão.

É claro, a influência maior é na vida de Weller, que tem seu nome tatuado nas costas de Jane. Além de acreditar que a moça é uma amiga desaparecida ainda na infância. Embora existam informações conflitantes quanto à isso. A chefe do FBI também é o foco da conspiração, inicialmente retratada como possível suspeita, ao longo da temporada se torna principal vítima. Ou não, a dúvida é uma constante em Blindspot.


O final da temporada, inclusive tem tantos ganchos quanto dúvidas. Mas tudo bem, pois os mistérios são um dos pontos fortes da produção. Tanto, que expectadores mais atentos descobriram que estes estão escondidos até nos títulos dos episódios (aquele mesmo, que você não presta atenção). Os nomes dos capítulos são anagramas, quando reorganizados fazem mais sentido para a história em si (Leia mais sobre isso).

Além dos mistérios, é o carisma de Jane que carrega a série. Seja pela ambiguidade da personagem vulnerável por não ter memória e ao mesmo tempo uma máquina de matar. Seja, por sua intérprete. Jaimie Alexander, já tinha seus fãs, apesar de sua personagem mais famosa até então, a Lady Sif de Thor e Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D, ser apenas uma coadjuvante. O restante do elenco a acompanha, e mantém uma boa química.
Blindspot, foi a série mais elogiada (e com uma das melhores audiências) da última "fall-season". E sim é uma série policial que segue o formato procedural já conhecido. Inclusive com uma equipe de experts (a nerd, o chefe, a latina) e um relacionamento de amizade entre eles. Entretanto além do tatuagem caso da semana, a trama também traz um mistério contínuo que interliga todos os casos e personagens. Dando à produção um diferencial em relação aos vários "CSIs" em exibição. Um frescor mais que bem vindo. Resta torcer para que dure!

Blindspot (ou Ponto Cego, o título nacional) é exibida no Brasil na Warner Channel. Sua primeira temporada tem 23 episódios e o segundo ano já foi confirmado.

Leia as primeiras impressões sobre a série.

2 comentários:

Karina Lima disse...

Comecei até a ver essa série mas não consegui firma, mas vou retomar, curti a série.

www.senhoritainspiradora.com

Fabiane Bastos disse...

Estava disponível na Netflix, não sei se continua. Assista sim, é ótima para quem curte o gênero!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top