terça-feira, 3 de maio de 2016

Livro vs Filme: Guerra Civil

Ok! Eu sei, Guerra Civil é originalmente uma série em quadrinhos, e que oficialmente o filme lançado na última quinta-feira é inspirado nela. Mas, foi ao livro que tive acesso, logo a comparação é com ele. Quem sabe mais tarde tenho acesso aos quadrinhos e crio "quadrinho vs livro vs filme"! Por hora fiquemos com a versão em prosa adaptada por Stuart Moore.


Após um acidente com vítimas o mundo pede por uma regulamentação das atividades "super-heroicas", e os governos a tornam obrigatória. É claro, nem todos os heróis aceitam a imposição. Dividindo os heróis em dois lados, que inevitavelmente irão se enfrentar. Esta é a ideia principal de Guerra Civil, e provavelmente única grande semelhança entre livro e filme. Mas, vamos começar pelo princípio...

Vale sempre lembrar: SPOILERS à frente!

1 - O título
Sim, as diferenças começam por aí. Enquanto nos quadrinhos a aventura se chama apenas Guerra Civil, o filme é do Capitão América , uma sequencia direta de O Soldado Invernal, logo traz também no título a patente do primeiro vingador. O que nos leva a segunda grande diferença...

2 - Bucky Barnes
Este filme é uma sequencia direta de O Soldado Invernal, logo boa parte do roteiro é dedicado à desenvolver a história de Bucky Barnes e não apenas na rixa entre super-heróis. O amigo de Steve Rogers é, de fato, mas um agravante à discórdia.

3 - Identidades secretas???
Esta é uma das diretrizes mais polêmicas da Lei de Registro de Super-humanos, todos devem revelar suas verdadeiras identidades nos quadrinhos. Mas nos cinemas são poucos os personagens que mantém uma segunda identidade. Até a espiã Viúva Negra, já fez declarações públicas. Logo, este tópico nem é mencionado.

4 - S.H.I.E.L.D.
Não somos da S.H.I.E.L.D.
A Superintendência Humana de Intervenção, Espionagem, Logística e Dissuasão, ainda existe nos quadrinhos. Comandada interinamente por Maria Hill após a morte de Nick Fury e é responsavel pela aplicação da Lei de Registro de Super-humanos ao lado do Homem de Ferro. No universo das telas da Marvel, a S.H.I.E.L.D. tenta se reerguer em sigilo sob a direção do Agente Coulson. Hill trabalha para Tony Stark, e consequentemente os Vingadores. Enquanto Fury, forjou a própria morte e aparece quando acha necessário. Assim a aplicação das novas diretrizes fica toda à cargo de Stark e uns "oficiais genéricos". Enquanto nenhuma explicação sobre o desaparecimento de Hill e Fury.

5 - Detenção de super-humanos
Assustadora, nos cinemas parece uma versão tecnológica de Azkaban. Um prédio gigantesco no meio do mar revolto. Nos quadrinhos, os heróis revoltosos são levados para outra dimensão. A Zona Negativa, abriga uma prisão altamente tecnológica para os super-poderosos, sejam eles heróis ou vilões. O acesso é feito pelo Edifício Baxter, lar do Quarteto fantástico. O que nos leva à outra diferença gritante...

6 - Os tamanhos das super-equipes
Mark Millar e Steve McNiven não tiveram restrições para usar o arquivo de personagens da Marvel, o mesmo vale para Moore, quando transformou a história em livro. Já no cinema as coisas são mais complicadas. Vários heróis tem seus direitos presos à outros estúdios. Outros menos conhecidos nunca foram chegaram à tela grande, e não haveria tempo de apresentar todo mundo.

Assim muita gente ficou de fora, como O Quarteto Fantástico muito importante para a trama original já que Reed Richards ajudou a criar a Zona Negativa. Enquanto outros que não participavam entraram para o time, como o Visão. E ao invés de dezenas (centenas) de heróis lutando, a batalha ficou reduzida a meia dúzia de cada lado. Ao menos o Aranha está garantido, né?!

7 - O Homem-Aranha
Sim, depois de muitas negociações, com um empurrãozinho do pessoal da Coréia do Norte (valeu Kim Jong-un?!? :P), Sony e Marvel entraram em um acordo para co-produzirem os filmes do Homem-Aranha. Assim Peter Parker conseguiu seu passaporte para participar dos Vingadores.

E embora sua participação seja ótima, o personagem é bem mais jovem que na versão em papel. Sua importância também é menor para a trama geral. Ponto positivo? Não precisamos ver o Tio Ben morrer mais uma vez antes do moleque lançar teias por aí.

8 - Pantera Negra
Esse sim precisou ser apresentado, junto com uma breve introdução da cultura da rica Wakanda, em preparação para o filme solo do herói. Tem bastante importância para a trama, mas este T'Challa é bastante diferente do monarca experiente e casado, com a Tempestade (outra que ficou de fora, por causa dos direitos), que existe nas páginas.

9 - A Grande Batalha
No livro acontece no centro de Nova York, com uma centena de personagens, e muitos civis em risco por perto. Já no filme o "quebra-pau" acontece em um aeroporto evacuado, sem perdas civis, e não é o clímax do filme. A grande luta final é apenas entre 3 personagens.


10 - Mortes
Sim, no livro um personagem é morto acidentalmente (sério foi acidente!) em batalha, e isso muda bastante o quadro. No filme, um cara fica muito machucado, só isso. Afinal é preciso garantir uma censura baixa.

11 - Thor
O Thor e o Hulk não estão no filme, e a internet está cheia de memes, para garantir que você saiba disso. Mas o deus do trovão dá as caras no livro de forma não convencional. Morto nos eventos de Ragnarok (que nos cinemas está previsto para 2017), um clone descontrolado de Thor aparece para complicar mais a briga.

12 - Vilão
Quem precisa de vilão quando os heróis não se entendem? Essa aparentemente é a filosofia da versão literária. Já no cinema Zemo, desprovido do baronato que possui nos quadrinhos, tem bons motivos para tramar contra os Vingadores. Ele manipula os dois lados, assim como Lex Luthor faz em Batman Vs Superman (aposto que isso deixou muita gente "cabreira", mas é assunto para outro post).

13 - Final feliz, ou quase...
Com a luta final focada em Buck, não havia como o final ser semelhante ao livro. Enquanto nas páginas um dos lados sai vencedor, quando seu oponente desiste para não causar mais danos à sociedade. Nas telas a coisa termina meio empatada, embora alguns passem a viver como fora-da-lei.

___________________________________

Nestes posts vale sempre repetir: Livro é uma coisa, e filme outra (quadrinho outra ainda). Este texto existe como mera curiosidade, e forma de entender porque essas mudanças eram necessárias.


Ainda assim, o lado fã queria saber: Por que nem uma mençãozinha ao Demolidor e o Justiceiro? Eles ficaram tão legais na versão da Netflix. E tem grande importância no livro.

E por que não dar uma engrossada no caldo de super poderes, roubando alguns inumanos que o Coulson está guardando em Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D? Ao menos podia explicar onde estão Maria Hill e Nick Fury né!

Guerra Civíl é uma aventura do universo Marvel criada por Mark Millar e Steve McNiven e publicada entre 2006 e 2007. A versão em prosa chegou em 2014, adaptada por Stuart Moore. O filme, Capitão América: Guerra Civil, chegou aos cinemas este ano sob a tutela de Joe e Anthony Russo.

Leia a resenha de Capitão América: Guerra Civil e do livro Guerra Civíl de Stuart Moore, outros textos sobre o universo Marvel no cinema e na TV. E mais posts da série Livro vs Filme

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top