segunda-feira, 16 de maio de 2016

Informações úteis para sua maratona de Orphan Black

Faz alguns dias a Netflix Brasil pegou fãs de surpresa ao liberar sem aviso a terceira temporada de Orphan Black, e na sessão "Originals" do canal, com logo da empresa no rótulo. Mas calma, a Netflix não produz a série. O programa é uma produção original canadense que sempre teve uma transmissão conturbada pro aqui em canais pagos.  Enquanto isso as temporadas disponíveis no canal de streaming, estavam ganhando espaço no boca-a-boca. Nada mais natural que a Netflix garantisse a exibição exclusiva da série por aqui.

Em uma estação de trem Sarah Manning (Tatiana Maslany), presencia o suicídio de uma mulher idêntica a ela. Com problemas financeiros, ela não pensa duas vezes antes de assumir a identidade da "sósia". Se pensasse, perceberia que alguém que comete suicídio não deve ter uma vida simples. Logo, Sarah se vê no centro de um mistério que inclui muitas outras mulheres iguais a ela.

Informações úteis para sua maratona de  Orphan Black 

(esta é uma série de mistério e reviravoltas, então sim: este texto pode conter spoilers)

1 -  Elas são clones. Isso não é spoiler de fato. Afinal, quando passa de três mulheres iguais, ainda no primeiro episódio esta é opção que faz mais sentido. Elas até tem um "clone club" (clube dos clones) Dito isso...

 2 - Tatiana Maslany interpreta todos clones. A contagem atual (durante a 4ª temporada) chega à 21 personagens entre protagonistas, participações especiais, e clones vistos apenas em gravações, arquivos e fotografias. A pergunta que não sairá de sua cabeça é: será que Maslany recebe por personagem?

 3 -  Maslany de fato é muito eficiente, em criar personalidades, maneirismos e estilos diferentes para cada um de seus alter-egos. Por incrível que pareça, os fãs ainda estão esperando por um momento que os personagens serão tantos, que você não vai mais conseguir acreditar na atuação da moça. Parece longe de acontecer!

Mas ela tem ajuda. A atriz colabora com o criador Graeme Manson para criar uma história de vida para cada clone. Também há uma equipe de continuidade apenas para evitar que ela misture as personagens, levando o maneirismo de uma para outra.


Tatiana Maslany crioa playlists que se encaixam com as personalidades de cada clone, para ajudá-la a entrar no clima. Para Cosima, ela ouve e dança rave e eletrônica; Alison, gosta de balé, e Sarah, punk rock. Já para Helena ela fica trancada sozinha em seu trailer.

 4 -   Maslany é canadense, mas interpreta personagens britânicos, americanos, alemães e ucraniana. Inclua aqui, os sotaques. Ela é também o rosto de pessoas da França, Itália e Austria.

 5 - Achou pouco. Ela também é a voz de "Pupok" escorpião das alucinações de Helena. "Pupok" é ucraniano para "umbigo". Helena fala com o próprio umbigo! Será que essa expressão existe em todo lugar?

 6 -  A única clone que Maslany não interpreta é Charlotte, a mais jovem delas, ainda criança. Vivida por Cynthia Galant, que também vive as versões jovens das clones adultas.

Felix e Kira
 7 -  Mas não é só de Tatiana Maslany que vive Orphan Black. Ela é apenas uns 50% do elenco. Você também deve se apegar bastante à Felix (Jordan Gavaris), irmão adotivo de Sarah e membro honorário do "clube dos clones". E a pequena Kira (Skyler Wexler) filha de Sarah, e aparentemente a pessoa mais inteligente (e com habilidades especiais?) da série.

 8 -  Sim, o cara que aparece na segunda temporada é Michiel Huisman, o Daario Naharis de Game of Thrones. Já o rosto familiar que vai te incomodar no terceiro ano é de Justin Chatwin que já apareceu em Smallville, Guerra dos Mundos e é o Goku de Dragonball Evolution, entre outras produções.

Aquele humor com violência...
 9 -  O criador e co-produtor da série Graeme Manson, planeja 8 temporadas e um filme para contar sua história.

 10 -  Essa é uma série de ficção-cientifica e mistério. Logo, se prepare para ficar meio confuso de vez em quando. Mas, também tem humor e um pouquinho de violência, e muitas vezes essas duas coisas vem juntas! E lembre-se sempre há uma instituição/plano maior...

Outros 50% do elenco....
 11 -  Apesar da ciência ser confusa, os termos científicos estão bem aplicados, graças a uma consultora chamada Cosima. Cosima também é o nome do clone cientista, não foi coincidência.

 12 -  De volta aos clones: sim, existe a versão masculina do misterioso projeto de copiar pessoas. Ari Millen vive os clones masculinos. Ele é eficiente, mas não tão impressionante quanto Maslany. em parte porque todos os clones masculinos que apareceram até agora foram criados como militares, logo sua aparência e personalidades não são tão distintas.


Alison garantindo o humor cotidiano...
 13 -  E por falar em aparência, as perucas melhoram conforme as temporadas passam. Assim como os modelos de telefone.

 14 -  A história se passa principalmente no Canadá, mas há vislumbres de diversas partes do mundo.

 15 -  Existem clones, mas a vida continua. Eventualmente você vai se encontrar em um episódio onde há uma pausa na briga cientifica, para um bem humorado vislumbre do cotidiano de uma pessoa que tem clones. Essa tarefa de tornar a narrativa mais leve, geralmente fica por conta de Alison.

 16 -  Não tente, e nem é preciso, decorar o nome de todos os clones. Eventualmente você vai aprender a reconhecer aquelas que estão no centro da narrativa. Mas eu dou uma ajudinha, Sarah, Alison, Cosima, Helena, Beth e Rachel estão no centro da ação (nas primeiras temporadas).
Rachel, Alison, Sarah, Cosima e Helena
____________________

Orphan Black está atualmente em sua quarta temporada. As três primeiras já estão disponíveis na Netflix, com 10 episódios cada. Ainda não há previsão para a estreia do quarto ano no serviço de streaming, uma vez que a Netflix não produz a série e precisa respeitar a janela de exibição fora do país.

E aí, curte a série? gostaria de ler mais sobre ela? Comente!

Enquanto isso confira outros posts da série Dicas para sua Maratona na Netflix, ou leia mais sobre séries e Netflix

1 comentários:

Anônimo disse...

Seriado fantástico! Aviso: viciante desde o primeiro episódio.

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top