segunda-feira, 30 de maio de 2016

Fear the Walking Dead - 2ª temporada (parte 1)

Sentiu falta do episódio inédito de Fear the Walking Dead no último domingo (29/05). Acontece que foi apenas na terça-feira (24/05), que a AMC confirmou o hiato na série, e a data de retorno, 21 de Agosto. O hiato soa desnecessário, The Walking Dead e outras séries exibidas na mesma época tem a desculpa do período de festas, para a pausa. Fear, não tem motivos para ser interrompida. Em uma época em que a maratona de séries se torna cada vez mais popular, essa interrupção brusca e longa é um risco. 

Risco porque este derivado ainda não conquistou os seguidores fieis da série original. Mas herdou dela a narrativa de altos e baixos. Certa vez, ouvi uma youtuber dizer que os Starks eram o tutorial de Westeros. Aprendemos o básico com eles antes de o mundo expandir. Seguindo a mesma lógica, Fear the Walking Dead é um tutorial tardio do mundo pós apocalíptico já devidamente apresentado em The Walking Dead.

Após a primeira temporada regida pelo pânico perante o apocalipse, nossos protagonistas já aceitaram, e começam a aprender a viver neste novo mundo. Enquanto Rick passou toda essa fase dormindo e recebeu as informações básicas prontinhas de Gleen e cia. Este novo grupo mostra como é aprender na prática. Destruir o cérebro, não ser mordido, o som atrai, hordas são mais perigosas, cheiro pode te disfarçar, vivos podem ser mais perigosos que os mortos, e por aí vai...

Eles vão descobrindo, ou aprendendo, ao longo dos episódios conforme os desafios se apresentam e com os erros (muitos) que cometem. Se por um lado é bom ter sangue novo naquele novo universo, e descobrir detalhes dos primeiros dias da "infecção" e todo o processo de adaptação. Por outro, o ritmo de aprendizado pode soar lento demais para os expectadores veteranos com seis anos de experiencia de apocalipse na bagagem.

Essa sensação de "já passamos por isso", fica ainda mais evidente quando o grupo chega ao México, abandona o barco e passa a viver em uma pequena comunidade. Lá a matriarca no comando, acredita que os zumbis não são mortos, apenas transformados. Um próximo estado no curso da existência, por isso devem ser poupados e cuidados. Ok, o conceito era menos religioso e mais epidêmico, mas esta é a mesma situação que Rick encontrou na fazenda de Hershel na segunda temporada de The Walking Dead. O fazendeiro acreditava que os mortos poderiam ser curados da epidemia algum dia.

Complicando ainda mais o quadro, as personalidades dos personagens não são muito estáveis. Sem dar sinais anteriores Daniel (Rubén Blades), começa a ter alucinações com a esposa que morrera na temporada anterior. Outro que surtou sem um construção gradual desta mudança foi Chris (Lorenzo James Henrie), que passou de adolescente revoltado com o pai para psicopata em algumas cenas.


Mesmo Nick (Frank Dillane, o jovem Voldemort em O Enigma do Príncipe), melhor personagem construído até então, começa a ter delírios de grandeza e achar que é imune aos zumbis, apenas pq aprendeu a camuflar seu cheiro com sangue dos mortos. Quem hesitava em se separar abandona a família, quem questionava a morte dos inimigos, comete assassinado pré-meditado, pessoas que se odiaram durante toda a temporada agora são melhores amigos. Ok, talvez este último não seja tão absurdo assim, a construção de laços no apocalipse é conturbada.

O resultado é uma temporada irregular, com poucos bons momentos e que faz mau uso dos poucos personagens com que o público se relacionou bem até então. Talvez a produção realmente precise de uma pausa, para que os criadores repensem o rumo da história e descubram como acertar os ponteiros. Entretanto, o risco da série cair no esquecimento neste tempo também é grande. - Vai dizer que você não apelou para os horários de reprise, assim que Game of Thrones retornou na mesma faixa de horário? Eu com certeza fiz isso. - Em outras palavras, apesar do esmero da produção (tecnicamente é muito bem feita), o roteiro é fraco e existem coisas mais interessantes no mercado.

Fear the Walking Dead é exibida apenas pelo canal AMC, em transmissão simultânea com os Estados Unidos. Já foram exibidos sete dos quinze episódios programados para a segunda temporada, que deve retornar apenas em 21 de Agosto.

Leia a crítica da primeira temporada Fear the Walking Dead, e descubra vários posts sobre The Walking Dead

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top