segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

O bons modelos femininos de 2015

Infelizmente o que a maioria das pessoas vai recordar do ano que passou é que, 2015 foi um ano ruim em muitos sentidos. Mas de uma coisa podemos nos orgulhar neste ano complicado: o "girl power" invadiu as telas, com ótimos, e distintos,exemplos para as meninas de todas as idades. Que tal conferirmos o Top 5?

Peggy Carter
Agente Carter (Hayley Atwell) para ser mais exata. É provavelmente o exemplo mais historicamente contextualizado e realista. Afinal, fora à parte dos Super-Heróis, é bem verdade que o papel da mulher mudou muito por causa da 2º Guerra Mundial. Sem os homens por aqui, a mulherada assumiu, e muito bem, as tarefas que antes eram deles. Quando os soldados voltaram, ficou difícil forçar a mulherada de volta aos afazeres domésticos.

É esse espaço no mundo profissional que Peggy batalha por alcançar. E não desiste! Apesar de ser menosprezada e relegada à "servir cafezinho" aos colegas, ela faz jus ao seu título e currículo, e entrega um trabalho melhor, que eles. Tudo isso com a elegância dos anos de 1940 e salto alto.

Ella (Cinderela)
Sim, você leu direito! Cinderela a gata borralheira (Lily James), à espera pelo príncipe, que estreou nas telas este ano pode não parecer, mas é um bom exemplo para as pequenas. Além de ser filha da Agente Carter! É verdade,  ela não vai à luta propriamente dita. Mas, sendo realistas ela luta como pode dentro das condições da sociedade em que vivia.

Sim ela poderia partir para a agressão ou vingança, contra a madrasta e as irmãs. Mais isto iria de encontro a tudo em que acreditava. Apego à seus ideais, perseverança e força de vontade. Tudo isso com educação e sem perder a ternura. Ter coragem e ser gentil, em um mundo que realmente precisa de gentileza. Afinal não é só com uma arma em punho, que se pode ser forte!

Imperatriz Furiosa
Prefere a arma em punho? Tudo bem, esta moça tem a arma literalmente no punho (com perdão do trocadilho). Mad Furiosa, é como costumamos chamar Mad Max: Estrada da Fúria. Uma vez que a moça badass com braço mecânico resgata rouba não apenas as noivas de Immortan Joe, mas também todo o filme que deveria ser de Max.

De fato não precisaríamos de Mad Max, para a história acontecer. Furiosa poderia levar a trama muito bem sozinha. Até porque mesmo as noivas estão longe de serem donzelas esperando o regate, e tem sua parcela de coragem na trama. Max está lá apenas como bônus.

A Jessica não é fofa e adorável, muito menos uma sex-simbol. É anti-social, com poucos amigos, alcoólatra, violenta,  extremamente perturbada (leia-se traumatizada), ainda sim é a primeira heroína da Marvel à ganhar série própria. E a mostrar que além levar uma série inteira podería fazer isso como uma pessoa normal (ou quase ela tem super-força). Seus problemas são reais, e comuns à pessoas de verdade.

Além disso, Krysten Ritter consegue se manter como protagonista mesmo quando um vilão, muito mais carismático aparece. E olha que o moço é interpretado não apenas por um ator extremamente competente, mas que já tinha sua horda de fãs.

Rey
Ela é mecânica, piloto, fala vários idiomas, cresceu sozinha em um planeta inóspito, povoado pela escória do universo. Apesar disso é "do bem" e ainda tem a Força. Precisa mais? A protagonista de Star Wars: O Despertar da Força causou polêmica antes mesmo de estrear. (Acredite, existe gente que queria boicotar o filme por causa dos protagonistas serem uma mulher e um negro)

Com o filme ainda nos cinemas, a Rey (Daisy Ridley) deve inspirar muitas garotinhas, que finalmente podem trocar os vestidos de princesa (afinal Leia era uma), e empunhar um sabre de luz sem hesitar. Já era a hora!

Menção Honrrosa - Katniss Everdeen
Tem que falar da moça que venceu os Jogos Vorazes 2 vezes. Ela puxou toda essa nova geração de protagonistas femininas, e terminou sua saga este ano. Infelizmente com menos impacto que poderia. Katniss (Jeniffer Lawrence) termina muito mais traumatizada nos livros. Mas a versão mais romanceada do final das telas, tirou e muito o impacto de sua jornada. Mas um final razoável não apaga uma boa saga não é mesmo.
______________________

Sim, eu sei que algumas moças exemplares da cultura pop de 2015, ficaram de fora. Supergirl, Jane Doe (Blindspot), a Vespa (Homem-Formiga), Annalise Keating (How to get away with Murder), o quarteto de Sense 8, e até as menininhas fofas de Tomorrowland. Mas aí, a lista ficaria gigantesca.

Além disso, este é o meu Top5! Te desafio a fazer o seu, e nos apresentar os predicados de suas candidatas! Qual moça tem inspirou em 2015?


0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top