quarta-feira, 4 de novembro de 2015

007 Contra SPECTRE

Uma cena de introdução que inclui um plano sequencia de com centenas de extras, perseguições aéreas, explosões e até uma Bond Girl. São os minutos antes dos tradicionais créditos em vídeo-clipe da franquia, que vão fazer você sentir que os caros ingressos de cinema valeram à pena. Não que 007 Contra Spectre degringole de vez, após a sequencia de abertura. Mas, quando se começa tão alto, é complicado manter o mesmo ritmo.

A derradeira aventura de Daniel Craig na pele do agente com licença para matar, não supera Operação Skyfall, mas está longe de ser ruim. E por falar no filme anterior, são pistas geradas à partir das consequências dele que conduzem James Bond, neste longa. O problema é que além de ter causado problemas sem autorização durante a sequencia de abertura, o novo interesse do governo em vigilância global, coloca em risco o programa "00".

É claro, nada disso vai impedir Bond de investigar a existência de uma organização secreta internacional, com um líder misterioso (Christoph Waltz, vilão novamente) com uma visão peculiar de como criar um mundo melhor. E que, apenas para complicar, tem uma ligação com o passado do protagonista.

Inclua nessa trama complicada, elementos dos filmes anteriores, tornando-a ainda mais pessoal. A ligação com os outros filmes estrelados por Craig, criam uma sensação de continuidade e ao mesmo tempo encerramento. Bond tinha seu trabalho, este trazia consequências. Situações que cedo ou tarde ele precisará encarar/resolver antes de se aposentar. É disso que se trata 007 Contra Spectre.


Apesar de trabalhar com drama pessoal, e de trazer muitas imagens do passado, a trama falha em dar uma carga dramática para o protagonista. Sim ele tem esses traumas, mas sabe lidar com eles o suficiente para manter o bom humor (talvez essa fosse a intenção todo o tempo!).

E por falar em bom humor, nisso o roteiro acerta em cheio. Seja nas piadinhas incidentais, no bom uso do elenco de apoio. Ou mesmo nas referências à o "estilo" caricato dos antigos filmes da série. Basta olhar para o vilão brutamontes calado Mr. Hinx (Dave Bautista, o Drax de Guardiões da Galáxia).

Ou ainda para a liberdade de Q (Ben Whishaw) e Moneypenny (Naomie Harris), em zoar com alguém que tem licença para matar. Ao mesmo tempo que servem à trama secundária, uma batalha de poderes entre M (Ralph Fiennes) e Denbigh (Andrew Scott) o responsável pelo programa que deve tornar o program "00" obsoleto. (Sim, é Voldermort versus Moriarty!)

No mais o longa segue a tradicional fórmula dos filmes do agente secreto. Repleto dos clichês que seu público adora, e de referências para deixar os fãs mais dedicados felizes. Inclua aqui três Bond Girls na contagem Monica Bellucci e Stephanie Sigman (de Narcos) e a mais relevante para trama Léa Seydoux (de Azul é a cor mais quente). 

Assim como a pouco memorável canção de Sam Smith (muito longe da oscarizada Skyfall de Adele), não é excepcional, talvez apenas a primeira sequência. Entretanto, Spectre  encerra muito bem a passagem do mais improvável intérprete de James Bond até então. Bem produzido, inteligente e divertido!

007 Contra Spectre (007 Spectre)
Reino Unido - 2015 148min

Ação

Leia a resenha de 007 - Operação Skyfall ou confira o especial de 007 contra Goldfinger no parceiro DVD, Sofá e Pipoca.


0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top