segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Blog Day 2015

Quem diria, não é que esse planetinha conseguiu! Pois então, a Terra deu outra volta completa no sol, e é Blog Day novamente. E não é que essa velocidade toda me fez esquecer a data! Vergonha especialmente tendo visto, e infelizmente declinado a proposta do Rootatoos, para blogar todos os dias de Agosto em comemoração. Impossível cuidando de três blogs!

Ainda sim, no melhor espírito blogueiro, acordei com a data na cabeça, reprogramei o post que iria ao ar hoje, e abri espaço para a comemoração. Tradicionalmente neste escolhemos ao menos cinco blogs (o Rootatoos propõe 15, eles sonham alto) que adoramos e gostaríamos de indicar a você caro leitor, e..... e....e......errrr.....

Ops! Acabei de perceber, talvez eu não tenha cinco blogs novos. De fato mal pude acompanhar os que indiquei ano passado. Além disso, das poucas páginas novas que consegui acompanhar, nenhuma quer ser blog. Não no sentido tradicional da palavra, um blogueiro old style (à exceção, é claro, são os colegas do supra mencionado Rootatoos) .

Sites, vlogues, Tumbrls, páginas do Facebook, Instagram, canais do YouTube, a galera continua se comunicando e muito, mas parece que o formato mudou. Nada contra, mas....

Será o fim da era dos blogs? Será que eu estou muito ocupada (é a crise) para encontrar novos companheiros blogueiros? Admito, estou meio perdida este ano, então lanço o desafio à você caro leitor:

Me indique um blog!!!

O que você anda lendo? O que há de novo? Mas, fuja do óbvio! 

Nada das blog moda, e maquiagem. Não me levem à mal, não tenho nada contra, mas quero encontrar aqueles indivíduos únicos que vão além do look do dia. Além disso, mulheres tem outros interesses, e entre toda a gama de assuntos que um blog pode abordar, ouso dizer, os de "beleza" são os que menos precisam de ajuda para crescer. (mas é claro, se ele for realmente único, inovador e especial nesse tema, coloca aí nos comentários!)

Então tá combinado, mandem suas indicações, quem sabe não faço um post tardio com elas, e perco a má impressão de que os blogs no formato que conhecemos estão em extinção.

"Para os não iniciados, o Blog Day foi criado na convicção de que os blogueiros deveriam ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de diferentes países e/ou áreas de interesse. A data, 31 de Agosto, foi escolhida pois seus números lembram a palavra Blog = 3108."

Leia as postagens do Blog Day de anos anteriores: 2009201020112013, 2014 e mais sobre Rotaroots.
Leia Mais ››

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

The Whispers

Continuando a onda de séries de mistério em busca da "nova Lost", The Whispers utiliza um conto de Ray Bradbury, autor de Fahrenheit 451, como argumento. Zero Hora faz parte da coletânea Uma Sombra Passou por Aqui (The Ilustrated Man). Publicado nos anos de 1950, sua versão para TV, é claro, foi adaptada para os dias de hoje. À começar por transformar protagonista dona de casa, em agente do FBI.

Claire Bennigan (Lily Rabe) começa a investigar um acidente onde uma menina afirma ter sido resultado de um jogo proposto pelo "amigo imaginário" Drill. A parte estranha é que outras crianças de diferentes lugares começam a afirmar ter um amigo imaginário chamado Drill, com quem também estão em um jogo. É claro, os acontecimentos em torno desta entidade percebida apenas por crianças, é quase sempre suspeita ou perigosa. Some-se aí, oficiais desaparecidos, pessoas sem memória, artefatos estranhos encontrados do outro lado do mundo, e problemas de relacionamento entre os personagens.


A produção traz um elenco adulto de rostos conhecidos da telinha, além de Rabe (The Good Wife), traz Autumn Reeser (The O.C.) Kristen Connolly (House of Cards), Milo Ventimiglia (Heroes) entre outros. E um elenco infantil escolhido à dedo, que você provavelmente já deve ter visto por aí, como Abby Ryder Fortson (a filha fofa do Homem-Formiga), Kyle Harrison Breitkopf (Uma Família em Apuros), Kylie Rogers (Once Upon a Time in Wonderland) e Emma Tremblay (Elysium, O Juiz, O Doador de Memórias).

A preocupação com a escolha do elenco infantil procede, uma vez que são às crianças que movem a trama, enquanto os adultos tentam compreender o que acontece. No mais a série segue a formula investigação/perseguição contra o tempo, e o desconhecido, com novas questões levantadas a cada episódio.

A incapacidade de perceber, um plano misterioso em andamento, pois este está sendo executado por seus filhos pequenos, é uma premissa interessante. Não esperaria menos considerando a origem da adaptação. Contudo adaptação é a palavra chave! Segundo os produtores afirmam que há uma explicação para tudo, e que os episódios 5 e 8 desta primeira temporada trarão momentos chave de compreensão. Tudo para atender ao público atual que aparentemente se mostra extremamente frustado com finais em aberto. O que vai de encontro à estrutura do conto original.

Na humilde opinião desta blogueira que vos escreve, não é o final em aberto que frusta os expectadores, mas a promessa não cumprida de um desfecho. Lost é o exemplo perfeito. Após seis anos de boas tramas e reviravoltas, e a constante promessa de que "tudo faria sentido no final", encerrou sua história de forma infinitamente menos criativa. Deixando a amarga sensação de que nunca houveram um plano maior, e de que os criadores não sabiam como encerrar a história. Dito isso, acredito que algumas histórias devem ficar em aberto. Nem tudo precisa de explicação, especialmente se a jornada é mais enriquecedora que as respostas.

Logo, é esperar para descobrir se a escolha por oferecer um motivo para tudo, é a escolha mais acertada. Tudo depende do caminho que a história seguir, considerando que o conto provavelmente não oferecerá material suficiente para fazer, duas ou mais temporadas, e o desenrolar da história ficará por conta da criatividade dos roteiristas.

Eu estou apenas torcendo para que a qualidade do material seja mantido, e que ganhe um encerramento, seja ele conclusivo, ou em aberto. Uma vez que séries do gênero, como Resurection e Believe, tem vida curta e cancelamento repentino, abandonando os expectadores, no meio da jornada.

The Whispers é exibida nas terças-feiras, às 22hs no AXN.

Leia Mais ››

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Expresso do Amanhã

Desta vez foi tentando salvar o mundo que quase causamos nossa extinção. Em Expresso do Amanhã, um procedimento para eliminar o aquecimento global da errado e condena o planeta na mais rigorosa era do gelo de que temos conhecimento. O que restou da humanidade está confinada em um trem auto-sustentável que viaja sem paradas por todo o planeta, o Snowpiercer.

É claro que para funcionar este microcosmo precisa de um sistema. E se você está é conhecedor de ficção cientifica, ou mesmo de história, já deve imaginar que esse sistema divide as pessoas em duas classes. A minoria privilegiada, que vive no luxo dos vagões dianteiros. E a maioria pobre que vive amontoada nos últimos vagões. A frente de todos na locomotiva, Wilford (Ed Harris), idealizador do veículo salvador da humanidade. Adorado como um messias pelo primeiro grupo e odiado pelo segundo, há dezoito anos.

E como gente satisfeita não movimenta trama, é a dos últimos vagões que surge a revolução que vai nos levar a percorrer literalmente todos os vagões, desta metáfora em forma de trem. O idealizador do plano é Curtis (Chris "Capitão América" Evans), sempre com os conselhos do ancião, logo sábio, Gilliam (John Hurt). Na empreitada muitos voluntários sem nome, além do jovem pupilo Edgar (Jamie Bell) e Tanya (Octavia Spencer) uma mãe em busca de seu filho.

Mason (Tilda Swinton), a cargo de vários soldados sem nome, é quem tenta manter a ordem diante de tal empreitada. É aqui que começamos a encontrar pequenas falhas no roteiro. Na existência de uma terceira classe trabalhadora/força militar, que não se encaixa na metáfora opressor/oprimido. Mesmo seus números, e lugar no trem são um mistério. 

Outra questão é a própria existência da classe oprimida. Uma vez que amontoados no último vagão, não são mão de obra indispensável. No máximo, fornecedoror eventual de pessoas com habilidades específicas. Manter duas mil pessoas, caso um dia você precise de um violinista e torcer para que haja um na multidão faminta, não parece um plano muito sustentável.

Resta descobrir se essas falhas pertencem ao roteiro, aos cortes que a produção sofreu antes de ser lançada mundialmente, ou à HQ francesa, Le Transperceneige, na qual o filme fora inspirado. Ainda sim, subverter a pirâmide e torná-la uma linha reta a ser percorrida a todo custo e sem desvios, é um conceito rico e interessante. Que levanta questões que vão da diferença de classes, métodos de controle, alienação e manipulação. Tudo isso desenvolvido com bastante violência em cenas de ação claustrofóbicas em vagões apertados.

O carisma do elenco estelar esforçado (mesmo quando a cargo de personagens descartáveis, ou propositalmente caricatos) e uma produção de arte que acerta ao oscilar entre a pobreza escura, suja e caótica da dos vagões finais, o mundo luxuoso e colorido da elite, e o branco inóspito do mundo lá fora, são pontos positivos da produção. Primeira em inglês do diretor sul-coreano Bong Joon-ho (O Hospedeiro, Mother).

Uma mistura curiosa de Metrópolis com Wall-E,  Expresso do Amanhã tem suas falhas sim, mas faz um esforço considerável para discutir temas que estão sempre atuais, enquanto mantém a ação em um ritmo acelerado. Uma pena que tenha demorado tanto a chegar por aqui (a produção é de 2013), e tenha sofrido cortes (para torná-la, mas palatável) que podem ser os responsáveis pelas falhas. Talvez se estivesse à bordo da locomotiva homônima, Snowpiercer tivesse chegado mais rápido, e intacta por aqui.

Expresso do Amanhã (Snowpiercer)
2013 -Coréia Do Sul , França , EUA , República Tcheca - 126min
Ação/Drama/Ficção científica

Leia Mais ››

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Como quase perder um cliente: o caso do Cinépolis

Isso mesmo, quase! Por que empresa inteligente sabe que pode se retratar por um erro pontual, e recuperar o cliente, mesmo que este continue de olho vivo!

A empresa em questão é a rede de cinemas Cinépolis, que respondeu e prometeu corrigir o atendimento de sua filial de São Gonçalo, RJ. Mas vamos ao caso:

13 de Julho de 2015 - Segunda-feira chuvosa em meio às férias escolares.

A bomboniere tinha apenas metade dos caixas funcionando e todos os monitores de preços apagados. Fazer o que? Tem dia que precisamos de pipoca, bora enfrentar a fila, curiosamente mais lenta que o normal. Já que estava com minha amiga cinéfila de sempre e este é um dos cinemas que frequentamos bastante, nem nos importamos com o fato dos monitores não apresentarem as ofertas, e pedimos o combo de sempre.

Surpresa! O combo não estava disponível. Assim como nenhum outro, mesmo aquele promocional do Homem-formiga (leia-se com brinde), anunciado no site como disponível naquele cinema. Não fosse o bastante, a atendente era obrigada a informar repetidamente a cada pessoa atendida os preços de apenas 2 tamanhos de pipoca e refrigerantes disponíveis.

É claro que questionamos, porque não havia um cartaz. Daqueles feito com uma folha do escritório na emergência mesmo, que resolveria o transtorno e impediria que muitos perdessem o inicio da sessão, por enfrentar uma fila de atendimento lento apenas para não encontrar o produto. A resposta: uma risada e a afirmação de que "estava seguindo ordens".

- Mas você não pode mencionar ao gerente? Dizer que as pessoas estão pedindo isso?
- Meu gerente mandou atendermos assim!


A sensação de que a falha do foi usada para se aproveitar do grande número de crianças em espera na fila pelo lanche somado à falta de informação para vender opções pequenas à preços altos, era inevitável. Afinal, o pai acabava pagando para não frustar os pequenos. Para encerrar com chave de ouro o abuso do mal tratamento, quando finalmente saímos da sessão encontramos a bomboniere com todos os monitores de ofertas ligados. Será possível que em duas horas, os combos passaram a estar disponíveis? Ou agora estavam anunciando produtos que não tinham? A sensação de falta de respeito só aumentava...

Então, eu enviei um e-mail para o setor de reclamações do Cinépolis, que surpreendentemente me respondeu em poucos dias lamentando o ocorrido e afirmando que meu e-mail seria encaminhado para  o responsável pela unidade que analisaria o caso e tomaria as devidas providências. Ok, acabou aí, eu pensei. Mas, olha a surpresa!

Realmente recebi uma resposta do gerente regional. Explicando que ocorrera um problema com o fornecimento de embalagens, que a falha na forma de atendimento ao cliente seria corrigida, e me oferecendo uma cortesia para tirar a mal impressão da experiência. Como não sou boba aceitei. E como eles não são bobos, nesse dia nada deu errado. Ao contrário, até ofereceram uma cortesia extra para minha amiga, nada mais justo, já que ela estava comigo no dia do péssimo atendimento.

E foi assim que o Cinepolis quase perdeu não uma, mas duas clientes. Mas conseguiu remediar satisfatoriamente a situação. 

- Mas Fabi, se deu tudo certo qual o motivo deste post?

Por quatro simples razões: 
1 - um ingresso não me compra. Eu já pretendia escrever sobre isso mesmo, apenas demorei mais para esperar o desfecho
2 - eu continuo atenta para ver se o serviço melhorou mesmo;
3 - para mostrar que uma empresa pode sim se esforçar para realmente atender o cliente que  faz uma reclamação;
4 - Para lembrar a você caro leitor e a mim mesma, que a gente pode e deve reclamar.

Admito, já de me manifestar em situações semelhantes, porque daria trabalho ou porque nada mudaria mesmo. Entre outras desculpas que a gente inventa de vez em sempre. Enquanto tem uma galera fazendo algazarra  tentando mudar o país em um único grito, é coerente lembrar: as mudanças vem mesmo das atitudes do dia-a-dia.

Então reclame, bata o pé. Mas faça isso de forma correta sem ofender ninguém. E se policie para não fazer o mesmo, em situações diferentes. #FicaADica

Leia outros casos de "como perder um cliente", Burger King, Doggis.

Leia Mais ››

domingo, 23 de agosto de 2015

Workshop: “Elaboração de Projetos Culturais para leis de incentivo e editais”

Interrompemos nossa programação para divulgar uma oportunidade:

Workshop “Elaboração de Projetos Culturais para leis de incentivo e editais” acontece no Rio de Janeiro em setembro

A cultura é um importante pilar para o desenvolvimento econômico do país. Além de gerar emprego e renda, as atividades culturais exercem um importante papel na inclusão social. Esse é um setor que tem crescido 6,3%, em média, por ano e é responsável pela geração de mais de 3 milhões de postos de trabalho. O governo tem um importante papel via editais de fomento. Mas, para os pequenos empreendedores culturais, uma das grandes dificuldades é justamente compreender quais os meandros que compõem as leis de incentivo e os editais: a melhor forma de expor um projeto, a elaboração de um orçamento e uma forma mais interessante de apresentar o projeto para convencer de que este é digno de ser incentivado.

Pensando nisso, a Absoluta Criações apresenta o workshop “Elaboração de Projetos Culturais para leis de incentivo e editais”, que abordará principalmente esses pontos, além de orientar os participantes no preenchimento do sistema Salic, que passa a ser obrigatório também para as inscrições dos editais da Funarte (Myriam Muniz, entre outros de música e circo).

As ministrantes são as consultoras Ana Ferguson e Solange Bighetti, com mais de 20 anos de experiência na área de espetáculos teatrais, shows, documentários e festivais de grande porte, na elaboração, enquadramento e prestação de contas de projetos culturais.

Serão 3 dias de aula, com espaço para que cada participante elabore seu próprio projeto e traga suas dúvidas para as consultoras. Dias 08/09 (terça), 10/09 (quinta) e 15/09 (terça).

Uma ótima oportunidade! Afinal, um edital bem elaborado pode ajudar você a contribuir com a cultura do país!

Para outras informações e inscrições, os interessados podem entrar em contato pelo email absolutaproducao@gmail.com ou pela fan page facebook.com/absolutacriacoes.

Serviço:
Workshop “Elaboração de Projetos Culturais para leis de incentivo e editais”
Quando? Dias 08/09 (terça), 10/09 (quinta) e 15/09 (terça), às 18:30 (até 21:30)
Onde? Na Av. Franklin Roosevelt, 194/905 - Centro - Rio de Janeiro
Valor do investimento: R$ 400,00, com desconto de 10% para quem se inscrever até o dia 31/08, com pagamentos à vista ou em duas vezes. Após esta data, 10% de desconto apenas para pagamento à vista no boleto ou depósito. O desconto pode chegar a 15% para quem indicar outras pessoas, que realizarem inscrições. Lembrando que os descontos não são cumulativos.
Informações e inscrições: absolutaproducao@gmail.com ou facebook.com/absolutacriacoes.
Leia Mais ››

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

#TheGameDarkside

Então você segue "blogando" a vida, tentando manter sua agenda de posts organizada até que alguma coisa chama sua atenção, e você sente a necessidade de bagunçar o coreto atropelar os posts programados. A bola da vez é a proposta da DarkSide Books, para o lançamento da série The Game, de Anders de La Motte.

Em parceria com o Geek Freak, a editora convida os leitores a jogar por prêmios, assim como o protagonista dos livros. Tudo envolto em uma aura de mistério, fantasia e terror, claro! Apesar da parte de seguir o regulamento, e preencher formulários para que os organizadores saibam que você está participando (que é meio burocrático, e nada fantástico), admito, fiquei curiosa!

Eu já me inscrevi, se os desafios forem demais para mim, ao menos vou observar os concorrentes com atenção. A menos que a produção deste post, me desclassifique automaticamente. Acho/espero que não. Ao menos não li nada sobre isso no regulamento.

E você está pronto para jogar?



Vai participar? Me conta para eu torcer (ou não, hehehe) por você!
Regulamento - FAQ

Leia Mais ››

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Dia Mundial da Fotografia

Já tem gente comemorando a semana inteira, mas é hoje 19 de Agosto o Dia Mundial da Fotografia. E admito, esta é uma data que nunca comemorei de verdade, contudo sinto que este ano a coisa muda de figura. Mencionei que este ano incluí fotógrafa à minha lista de atribuições?

De fato, eu já tinha algumas noções tanto de técnicas quanto da história da fotografia, da época da faculdade, mas isso ainda foi na era analógica. Em 2015 entrei de cabeça na nova era da fotografia, com uma câmera na mão, alguns cursos (aceito sugestões de outros), e idéias, um tanto quanto vagas, na cabeça.

Logo não existe hora mais apropriada para apresentar meu novo projeto: Fabiane Bastos Fotografia. Não vou explicar muito não, pois quero que você visite, conheça, comente, critique (construtivamente, claro). E se gostar (ou mesmo se não), curta, compartilhe, mostre para seus amigos, para sua família, para seu gato, enfim espalhe por aí.

- Mas esse post é mero jabá Fabi?! - Claro que não. Aproveito para resgatar algumas informações interessantes sobre esta data comemorativa.

Porque hoje é o dia da fotografia?

Em 19 de Agosto de 1839 foi anunciada na Academia de Ciências da França, a invenção do Daguerreótipo, criado pelo francês pelo francês Louis Daguerre.

A data do anúncio do processo fotográfico criado por Daguerre foi escolhida para celebrar a fotografia mundialmente, apesar de não ter sido o primeiro processo criado. A primeira fotografia reconhecida foi produzida pelo, também francês, Joseph Nicéphore Niépce seu método a heliografia exigia cerca de oito horas de exposição à luz solar. Imagina posar esse tempo todo!

Depois da morte de Niépce, Daguerre aperfeiçoou seu projeto e o resto da história você já sabe! (Não sabe? Clique aqui!).

*Fotos: Feira de antiguidades da Praça XV, RJ. E na modalidade "fotografia sincronizada" com Franciene Pio.
Leia Mais ››

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Descendentes

Sim. Eventualmente eu assisto canais de criança, e vez ou outra (como essa) algo na programação chama a atenção. A "bola da vez" é o telefilme do Disney Channel, Descendentes.

Demorou bastante para a Disney aproveitar seu vasto universo de contos de fadas em versões atualizadas dos contos. Fórmula que tem funcionado muito bem em produções como Once Upon a Time, Ever After High e mesmo em outras mídias como série em quadrinhos, Fábulas da Vertigo. O caminho escolhido pela casa do Mikey foi o da TV, escalando estrelinhas já conhecidas da criançada pelas séries do canal, para viver os filhos dos personagens imortalizados em seus clássicos.

Assim, após se casar com Bela, a Fera uniu todos os reinos mágicos sobre uma única bandeira, e isolou todos os vilões em uma ilha cercada por uma barreira mágica. Duas décadas depois seu filho Ben (Mitchell Hope), está prestes a ser coroado rei (aos 16, e com um pai jovem em capacidades plenas de reinar!?), e decide que seu primeiro decreto é dar uma chance aos descendentes dos vilões. Afinal os filhos, não podem pagar pelos erros dos pais, mas também vivem isolados na ilha. Os escolhidos para o "intercâmbio" são Mal (Dove Cameron), filha de Malévola (Kristin Chenoweth); Evie (Sofia Carson), filha da Rainha Má (Kathy Najimy); Jay (Booboo Stewart), filho de Jafar (Maz Jobrani), e Carlos (Cameron Boyce), filho de Cruella de Vil (Wendy Raquel Robinson).

Adivinhou quem deduziu que os pais incumbiram seus rebentos de uma missão maléfica. E que os adolescentes tem que decidir se vão agradar os pais, ou descobrir o próprio caminho. Tudo isso enquanto frequentam uma tradicional "high school estadunidense" cheia de príncipes, princesas e filhos de outros "bonzinhos" das histórias.


Não é das premissas mais originais, nem uma trama cujo final seja o mistério. Mas este provavelmente nunca fora o objetivo do telefilme, que acerta nas releituras ao caracterizar tanto personagens conhecidos, como seus descendentes. O capricho se estende do figurino à direção de arte, claro nas devidas proporções de um orçamento de um filme para TV (repara só, se a tal escola, também não fora a mansão Xavier na franquia X-Men, a casa de Lex Luthor e Smallville, e a mansão Queen em Arrow).

Se o roteiro feito é sobre medida para a geração criada na base do "politicamente correto", chegando à ignorar que muitos destes vilões foram mortos nas histórias originais, e ter famílias inter-raciais sem necessidade de explicação,  e nesse sentido funcionam muito bem. O visual moderninho e as estrelinhas do Disney Channel garantem o público fiel. O escorregão fica por conta da parte musical.

A filha e a mãe de Aurora, caso você não se lembre a 
Bela Adormecida da Disney é loira, mas quem se importa?
Inicialmente tido como um filme sem canções, a produção se tornou um musical após a entrada do diretor e coreógrafo Kenny Ortega (responsável pela trilogia High School Musical) na produção. O resultado são coreografias complexas para músicas que destoam do resto da produção. E perdem o público brasileiro mais jovem que ainda não acompanha legendas (estas por sua vez, pequenas e parcialmente escondidas pelo logo do canal), como minha companheira de sessão de 7 anos.

Salvam-se aqui "Rotten to the Core", que apresenta os descendentes, a releitura fofa de "Be Our Guest" (a canção que o castiçal Lumiere canta durante o Banquete em A Bela e a Fera) e "Evil Like Me". Esta última aparentemente incluída apenas para aproveitar os dotes musicais de Kristin Chenoweth, e cuja graça reside única e exclusivamente no estilo Broadway que ela confere à cena.
Chenoweth como Malévola
Além de Chenoweth, o elenco adulto também conta com Kathy Najimy (Mudança de Hábito e Abracadabra) e Keegan Connor Tracy (que curiosamente vive a Fada Azul em Once Upon a Time). Entre os descendentes preste atenção em Booboo Stewart, o filho de Jafar já deu as caras em X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, na saga Crepúsculo, na série Todo Mundo Odeia o Chris, entre outros trabalhos.

Descendentes é um filme feito sob medida para os expectadores do Disney Channel, e neste sentido cumpre o que promete, o que incluí a possibilidade de sequências. Para os pais, e outros espectadores que esbarrarem nele acidentalmente, é apenas uma curiosidade fofa, que remete aos seus clássicos Disney favoritos.

Descendentes (Descendants)
2015 - EUA - 112min - Telefilme
Musical/Aventura/Fantasia


Leia mais sobre produções da Disney e sobre Princesas.

Leia Mais ››

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Quarteto Fantástico

Dica número um para cinéfilos e simpatizantes sobre blockbusters: evite criar expectativas. Com elas fica mais fácil exigir demais e se decepcionar. O caso do novo filme do Quarteto Fantástico ainda é mais complexo, já que quando anunciado muita gente rejeitou a ideia, aos poucos convencidos pelos trailers, materiais promocionais e nomes envolvidos. Resultado, um escorregão com cara de exigência do estúdio que aticou a ira dos "haters" ao redor do globo.

Assistimos pela terceira vez a história de origem da primeira "família de super-herois". Atualizada, aqui os poderes não se originam em uma viagem espacial, mas de uma jornada à uma dimensão paralela. Experimento cientifico que busca entender e salvar nosso planeta, e que só funciona quando Reed Richards (Miles Teller) entra no projeto iniciado por Victor Von Doom (Toby Kebbell) e comandado por Dr. Franklin Storm (Reg E. Cathey), pai de Susan (Kate Mara) e Johnny (Michael B. Jordan), e figura paterna para todas as "crianças" prodígio do projeto.

Aproveitando o bom elenco para trabalhar a relação entre os personagens, o filme se desenvolve com uma ficção cientifica com toques de terror, especialmente nas primeiras manifestações de seus poderes. Ao abordar as habilidades como uma anomalia assustadora, e não como algo que assusta a princípio, mas é em seguida abraçada pelos atingidos. Aqui todos, preferem ser "curados", alguns com mais esperança que outros.

Logo, assistimos à orgânica amizade entre Reed e Ben Grimm (Jamie Bell), passar de saudável à uma relação de mágoa e culpa. Bem como, o comportamento rebelde de Johnny tomar novos contornos, que vão de encontro à visão de seu pai e irmã. Enquanto o governo tenta tirar proveito de suas cobaias humanas de laboratório. Uma abordagem diferente, para filmes de super-heróis.

Então, faltando cerca meia hora para o fim da projeção, parece que alguém percebeu: "céus, ainda não vimos a "super-equipe em ação!". É exatamente aqui que o filme despenca ao correr para apresentar, combater, um vilão com plano mais mirabolante e absurdo possível - SPOILER - ele quer destruir a terra e governar, sozinho, um planeta inóspito. (What???) - FIM SPOILER.

Surge aí, um desfecho desconexo e apressado, que não condiz com o ritmo e estilo da narrativa apresentado até então. O baixo orçamento também não ajudou nos momentos com efeitos especiais mais elaborados, que inclui o obrigatório raio azul vindo do céu. Ao menos entre o Quarteto, os efeitos são bem produzidos, embora o Coisa apesar de realístico tenha ficado um tanto quanto inexpressivo.


Quarteto Fantástico apresenta uma abordagem nova interessante para heróis já conhecidos das telas. Resultado do estilo próprio do diretor Josh Trank. Mas se perde quando deixa o estúdio e a necessidade de se encaixar no padrão "aventura de super-heróis", interferirem. Uma pena! Pois o elenco mais jovem e competente, é a opção mais propícia, para ver como as relações entre cada personagem, os tornariam uma família. 

Já, que o estrago está feito, e as críticas estão ganhando enormes proporções (em parte por causa do comportamente de Trank, em relação ao resultado e contra a Fox). Resta a nós que toda a turbulência, não eliminem as possíveis sequencias, e nos condenem a começar, mais uma vez, essa história.

Quarteto Fantástico (Fantastic Four)
2015 - EUA - 100min
Ação/Ficção científica
Leia Mais ››

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

A Escolha Perfeita 2

Por algum motivo qualquer, o primeiro A Escolha Perfeita, passou despercebido por muitos brasileiros nos cinemas em 2012. Mas, simpático e despretensioso a produção foi descoberta quando chegou à TV e home-vídeo. Sorte de sua sequencia, que agora tem um público nacional ansioso pela sua estreia na tela grande.

É o último ano da maioria das universitárias que compõem As Barden Bellas, grupo à capela formado apenas por mulheres, que depois de se provar no primeiro filme, emplacou três vitórias seguidas no campeonato nacional. É claro, se as protagonistas estão por cima, o único caminho possível é para baixo. E após um acidente de proporções monumentais durante uma apresentação, as moças são banidas dos campeonatos nacionais. A solução é tentar a sorte no campeonato mundial, onde os grupos "estadunidenses" não são nada populares.

Agora veteranas retornam à cantoria Becca (Anna Kendrick), Fat Amy (Rebel Wilson) e cia. Incluindo Chloe (Brittany Snow), e até aquelas participantes do grupo das quais nem ficamos sabendo os nomes direito. Os antigos rivais o grupo masculino Troublemakers também voltam, mas desta vez correm por fora cumprindo apenas a função de interesses amorosos. Entre as novidades o destaque fica com a caloura Emily (Hailee Steinfeld, de Bravura Indômita).

Episódico o filme basicamente repete a fórmula do anterior, mas desta vez tenta dar mais destaque ao desenvolvimento de outros personagens além de Becca. Assim, assistimos aos conflitos de Amy, Chloe e da novata Emily, antes do grupo se engajar no desafio principal, vencer o mundial. O que o torna um filme menos equilibrado que o anterior.


O ritmo pode ser menos acertado, mas o clima, no entanto é o mesmo. Apesar da mudança na direção, agora à cargo de Elizabeth Banks, que também atua na frente da tela ao lado de John Michael Higgins, novamente como a ácida dupla de comentaristas.

A Escolha Perfeita 2 é uma comédia simples (simples mesmo do tipo que o vilão veste preto) despretensiosa e sem receio e abusar das piadas e das situações ridículas. E que assim como seu antecessor ganha o expectador com o carisma dos personagens e de sucessos musicais pop de diferentes épocas.

Originalmente baseado em um livro, Pitch Perfect: The Quest for Collegiate A Cappella Glory, a produção encontrou uma fórmula que diverte, e funciona. Sucesso no mercado dos EUA, onde estreou em maio, este filme garantiu o terceiro para a franquia. A Escolha Perfeita 3 deve chegar aos cinemas em 2017 e ja tem confirmado o retorno de Anna Kendrinck, rebel Wilson e Brittany Snow.

A Escolha Perfeita 2 (The Perfect Pitch 2)
2015 - EUA - 114min
Comédia/Musical




Leia Mais ››

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Chamando criadores de contos fantásticos!!!

Ainda na onda de oportunidades para novos autores, agora é a vez das aventuras fantásticas. Parece que espaço não falta para você caro leitor/futuro escritor de best-sellers que vai me dedicar um livro. E apesar de correr o risco de tornar este blog um tanto quanto repetitivo, vou continuar postando estas oportunidades.

"Até 31 de agosto de 2015, a Andross Editora estará recebendo contos fantásticos para publicação no livro "Etéreo - Contos fantásticos  A publicação deve ser lançada em novembro de 2015 no evento Livros em Pauta.

Qualquer pessoa pode participar. Basta acessar o site www.andross.com.br, ler o regulamento de participação e submeter seu texto à avaliação. As inscrições vão até 31 de agosto de 2015.

SINOPSE DO LIVRO:
Alquimistas de todas as épocas pesquisaram formas de compreender uma desconhecida energia superior, não-física e de extremo poder a que denominaram ÉTER. Segundo seus estudos, juntamente com fogo, ar, terra e água, ela seria o quinto elemento presente no universo. Por ser intangível, constituiria a energia que liga o homem ao sonho e o sonho à insolitude. Essa é a chave para a criação de histórias fantásticas que, de forma sublime, transforma o cinza cotidiano em um infinito etéreo: a fantasia.

Todos os autores que forem aprovados para publicação nessa coletânea automaticamente concorrerão ao STRIX, prêmio criado e concedido pela Andross Editora aos autores cujos textos mais se destacarem em suas coletâneas. O processo de votação encontra-se no site da editora.

SERVIÇO: 
Livro:Etéreo - Contos fantásticos” 
Organização: Alex Mir
Envio do texto: até 31/08/2015
Lançamento: 28 de novembro de 2015 (no evento Livros Em Pauta
Regulamento: no site www.andross.com.br 
Realização: Andross Editora

Atualmente a editora está selecionando textos para vários volumes. Confira as regras para colocar seus contos nos livros Círculo do MedoMetamorfoses, Outrora e Nanquin.

Leia Mais ››

sábado, 8 de agosto de 2015

Os Pais de Westeros

Para fugir da rotina de "posts melosos dos dias das mães" este ano resolvi criar uma analise muito parcial sobre as mães de Game of Thrones. Nada mais justo que a fuga da rotina se estenda até o dia dos pais.

Segue então uma lista das melhores (dependendo do ponto de vista) figuras paternas de Westeros. É claro que tem vários SPOILERS, então leia por sua conta e risco e não me venha com chorumelas!


Eddard "Ned"Stark
Provavelmente o único pai realmente dedicado que teremos nesta lista. Pai de Robb, Sansa, Arya, Bran, Rickon e supostamente de John, era Senhor de Winterfel, e foi maõ do rei. Honrado, honesto, dedicado, fez tudo certinho. Criou bem seu suposto bastardo, seu protegido Theon Greyjoy e até pagou aulas de "dança" para Arua. Só errou ao não aprender a jogar o jogo dos tronos, o que o fez perder a cabeça ainda no primeiro livro/temporada. Deixando seus filhos literalmente espalhados pelos sete reinos, à própria sorte.

Rei Robert Baratheon
Pai de provavelmente metade dos bastardos de Westeros, não conhecia a maioria deles. Oficialmente era pai de Joffrey, Myrcella e Tommen, embora sua educação não fosse uma das maiores preocupações do monarca, que preferia beber, caçar e produzir bastardos. Ele mesmo admitiu que deveria ter passado mais tempo com o primogênito em seu leito de morte. Horas antes de morrer e deixar o reino nas cruéis mãos de Joffrey, e de uma inevitável guerra pelo trono.

Tywin Lannister
Esse é o cara, o pai dele não batia bem da bola, logo ainda muito jovem já era responsável por Rochedo Casterly. Era tão bom nisso que foi chamado para ser Mão do Rei, duas vezes. Pai dos gêmeos Jaime e Cersei, e do não Tyrion. Embora há quem afirme que deste último ele duvidada da paternidade. Seja por saber que o Rei Louco tinha interesse por sua esposa, seja pelo simples fato de que "todos os anões são bastardos aos olhos de seu pai". Não gostava muito do anão favorito dos leitores, apesar deste ser o filho mais parecido com ele. Tratava todos os rebentos, e até os netos em rédeas curtas. Não que eles não desobedecessem ás escondidas. O que nos leva ao próximo pai!

Jeor Mormont
997º Senhor Comandante da Patrulha da Noite. Não sabemos muito sobre seus filhos biológicos, à exceção de de Sor Jorah, exilado por vender escravos. Mas, sabemos que o bom comandante se tornou a figura paterna de muitos dos jovens que por um motivo ou outro vão parar na patrulha. Infelizmente não eram estes irmãos que estavam com ele durante sua última visita à cabana de Craster.

Jaime Lannister
Pai/Tio de Joffrey, Myrcella e Tommen. Já que um guarda dormir com a rainha, especialmente quando esta é sua irmã gêmea, não é uma coisa muito aceitável na maioria dos reinos, nunca pode assumir a paternidade das crianças. Entretanto, na série de TV Jaime pode demonstrar um pouco de seus sentimentos paternos para Myrcella, que morreu ainda na mesma cena. Eita!

Craster
Selvagem que vive ao norte da muralha. Se casa com as próprias filha, e tem muitas, muitas mulheres. Os meninos são deixados na floresta, como oferenda aos Vagantes Brancos.

Randyll Tarly
Nunca vimos essa criatura nos livros ou na série. Entretanto entrou na lista pelo que fez por seu primogênito. Por julgar Sam um covarde indigno de seus títulos, quando o rapaz fez 18 anos o obrigou a entrar para a patrulha da noite. Caso contrário o levaria para "caçar" e contaria à sua mãe que ele teve um acidente.

Balon Greyjoy
Pai dos falecidor Rodrick e Maroon, tentou se declarar rei das Ilhas de Ferro, mas foi derrotado e obrigado a ajoelhar perante Robert Baratheon. Entre as punições foi obrigado a enviar seu filho Theon para ser criado pelos Starks. Quando o rapaz finalmente podê retornar para casa, o rejeitou alegando que este passara mais tempo com "sua outra família". Sobrou apenas a Asha (Iara na série) para o velho dedicar seu afeto.

Stannis Baratheon
Não teve muita sorte como pai, já que sua mulher só conseguiu levar até o fim a gestação de Shireen. E a menina contraiu escamagris ainda no berço. A menina sobreviveu, e até recebia um pouco de carinho do pai, hora ou outra (Sor Davos, o cavaleiro das cebolas, exercia bem melhor esse papel). Até que R'hllor colocou o dilema paternidade versus sacrifício em voga. Stannis da série queimou a menina viva, o do livro parece caminhar na mesma direção.

Ok! Talvez esta lista não tenha sido a mais lisonjeira para celebrar o dia dos pais. Uma vez que, em Westeros se você tem a sorte de conhecer seu pai, e ele ser um cara legal com você, isso provavelmente não vai durar. Mas já que a lista está feita, e sou preguiçosa demais para escrever algo e não usar...

E sim, eu sei. Faltaram muitos pais, mas (à exceção de Tarly) escolhi mencionar apenas aqueles pais, que vimos de fato sendo pais. Caso contrário esta lista seria gigantesca.

Então Feliz Dia dos Pais e parabéns por ser infinitamente melhor que a maioria dos caras nos parágrafos anteriores. E se você é filho, agradeça muito pelo seu pai não ser como eles.

Leia mais sobre Game of Thrones, sobre Pais da Ficção, ou confira a lista das Mães de Westeros

Leia Mais ››
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top