segunda-feira, 22 de junho de 2015

Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros

Desde o início primeiro Parque dos Dinossauros, lá em 1993, a gente sabia que não podia dar certo. Contudo o encantamento era tão grande por observar aquelas criaturas extintas realisticamente retratadas nas telas*, que bem no fundo torcíamos para o parque "dar certo" a cada reprise. O que explica a existência de duas não tão carismáticas continuações.

Então, 22 anos mais tarde Jurassic World, nos traz o parque idealizado por John Hammond, não apenas em pleno funcionamento, mas um sucesso de público há anos. É claro, ainda não soa uma boa ideia para nós, expectadores experientes. Especialmente quando a Masrani Global, empresa que comprou a ilha Nublar após o incidentes dos primeiros filmes, nos apresenta sua forma de manter o interesse do público. Só pode dar errado, mas que atire a primeira pedra âmbar, quem ainda não deseja visitar o parque.

A equipe comandada pelo Dr. Henry Wu (B.D. Wong, que nostalgicamente trabalhava no parque de 1993), cria híbridos, maiores e mais ferozes, para atrair novos visitantes, já que após uma década de funcionamento os dinossauros comuns não são mais tão interessantes. Sim uma abordagem cínica da própria franquia (e de muitas outras), que continua a aumentar a escala e número de monstros para levar multidões ao cinemas. Comentário com direito ao fã purista, que prefere os animais originais, assim, como muitos o primeiro filme.

Enquanto isso a gerente de operações Claire Dearing (Bryce Dallas Howard, vestida em um branco impecável assim como Hammond, em 1993), recebe os sobrinhos no parque após anos sem visitá-los. Do outro lado da ilha o ex-militar Owen Grady (Chris Pratt) conduz uma pesquisa comportamental com os Velociraptors. E quando a "nova atração" sai do controle são eles que vão sobrar para controlar o gigante, e evitar que os 20 mil visitantes do parque sejam comidos.


Eles salvam a maioria, mas ainda tem muita gente que vira petisco de dino pelo caminho. Durante cenas de ação bem coordenadas, que usam tanto monstros de CGI, quanto animatrônicos para criar o realismo. Apenas por isso é possível aceitar diálogos fracos dos personagens unidimensionais que desperdiçam o elenco talentoso.

Enquanto Grady desperdiça o talento cômico de Chris Pratt, que caberia muito bem na franquia (e daria uma ajudinha à sua candidatura à novo Indiana Jones. Sério, só falta o chicote). As crianças são o típico adolescente que não queria estar ali (Nick Robinson), e o garoto que ama dinossauros (Ty Simpkins). Mencionei o dono otimista e ingênuo, o cientista com intenções equivocadas e o militar o más intenções?

Nenhum deles no entanto é mais problemático que a personagem de Bryce Dallas Howard. Uma executiva fria, que não sabe lidar com os sobrinhos, cujo arco dramático descobrir seu instinto maternal na jornada. Correndo de salto, e diminuindo o volume de roupas, em 2015! Tratamento feminino herdado do livro de Michael Crichton, que Spilberg havia consertado. Estou surpresa por não haver mais reclamações feministas até o momento.


Talvez não haja tanta reclamação porque os humanos não são importantes. "Vamos" ao Jurassic World pelos dinossauros, tradicionais e híbridos, e pelo caos que eles criam. Nisso o filme é impecável! E ficamos pelas atrações bem sacadas do parque em funcionamento, uma versão jurássica da Disney, (lindo o dino-aquático comendo um tubarão, outro monstro predador de Spilberg, não é Spoiler está no trailer). Ou pelas referências orgânicas à franquia como um todo.

Não há como Jurassic World, superar o encantamento e o carisma de O Parque dos Dinossauros. Não acho que nenhum longa, existente ou futuro, da série consiga tal proeza. Entretanto é um bom ponto de partida para a renovação da franquia. Uma sequência, com características de re-make, que respeita o material original.

E apesar de ter dado errado novamente, não fique surpreso se tentarem colocar o parque em funcionamento mais uma vez. Afinal, apesar das atrações perigosas, eu mesma, ainda saí da sala de cinema querendo um passaporte para visitar o parque!

Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros (Jurassic World)
EUA - 2015 - 124min
Aventura

*Há controvérsias por parte dos Paleontólogos, quanto ao realismo científico das criaturas de Spilberg. Mas, o realismo a que refiro é o de efeitos especiais. Ou vai dizer que quando criança não ficou na duvida se eles eram reais? Ainda esta semana tive que explicar à minha prima de 7 anos, que não. Os dinossauros do filme original não existem de verdade, é só magia do cinema, duas décadas e ainda funciona.

2 comentários:

Karen Araujo disse...

Eu cheguei a outras conclusões sobre a Claire e compartilho: http://www.coisasinfinitas.com.br/2015/06/o-sapato-da-discordia-em-jurassic-world.html

Fabiane Bastos disse...

Opa, já dei uma checada no seu ponto de vista!
Obrigada pela visita!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top