quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vingadores: Era de Ultron

Superar seu bem sucedido antecessor, essa é a provavelmente a tarefa mais difícil de uma sequência cinematográfica de uma franquia de sucesso. Some-se aí, o fato de não apenas ser uma sequencia, mas o ponto culminante de uma fase de universo narrativo criado por vários filmes, e terá o desafio de Vingadores: Era de Ultron.

Ainda limpando a bagunça pós-queda da S.H.I.E.L.D. e tentando manter a paz, encontramos os Vingadores em busca do cetro de Loki, em posse do Barão Von Strucker (Thomas Kretschmann). Com o artefato mágico em mãos Tony Stark (Robert Downey Jr.) vê a oportunidade que faltava para criar a inteligência artificial necessária para elevar o nível de seu exército de robôs e consequentemente a proteção mundial. Ao lado de Bruce Banner (Mark Ruffalo) eles criam Ultron (James Spader). Infelizmente o robô com discernimento próprio, chega à outra conclusão quanto ao caminho para a paz: leia-se a destruição da humanidade.

Logo, o super grupo tem que arrumar a bagunça, além de lidar com as cobaias,agora libertas, de Strucker. Pietro (Aaron Taylor-Johnson, sendo menos heroico com poderes, do que quando era apenas o Kick-Ass) e Wanda (Elizabeth Olsen), tem a "vingança contra um dos Vingadores" (com perdão do trocadilho), como objetivo. Enquanto Mercúrio serve apenas de apoio, são os poderes de manipulação da realidade e percepção da Feiticeira Escarlate que mais somam à narrativa, bagunçando à mente dos protagonistas e ampliando seus dilemas.

O que leva cada um deles a repensar seus motivos e atitudes. E Thor (Chris Hemsworth) à uma rápida investigação própria, que traz o gancho obrigatório para aventuras futuras. O mesmo faz a passagem por Wakanda, uma tímida primeira incursão nas histórias do Pantera Negra.

Parece muita coisa para desenvolver? E realmente é! Com tantos personagens Era de Ultron, não é tão eficiente quanto Os Vingadores ao distribuir o espaço de tela. Assim, enquanto o Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) finalmente tem um arco mais desenvolvido. Apenas um diálogo, explicam as ausências de Pepper Pots e Jane Foster, respectivamente namoradas de Stark e Thor. E a relação entre Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Banner é apresentada de forma  apressada.

Também é corrida, a criação de Ultron. A sensação é que o personagem já nasce com opinião formada, odiando imediatamente seus criadores, em especial Stark. O mais interessante é que a criatura parece ter herdado muito de seu criador, apresentando uma personalidade similar a do Homem de Ferro. Egocêntrico, irônico, com necessidade de platéia e piadinhas mesmo nos momentos mais tensos.

O bom humor aliais continua permeando o longa. Apesar do supra-mencionado "tom mais sombrio" em relação ao primeiro. Sim, a ameaça é maior, o problema mais complexo, até a paleta de cores é mais escura (ainda mais, se atrás das lentes dos óculos 3D), mas os personagens são os mesmos. Cada um deles tem sua forma de encarar o desafio, e o humor faz parte delas.


Tudo isso somado à uma quantidade exuberante de cenas de ação, mais grandiosas e ambiciosas que dos filmes anteriores. Neste aspecto o filme o filme acerta em cheio. Apesar de gigantesca e com muitos personagens envolvidos, em momento algum nos perdemos nas sequências de batalha, em meio a escombros explosões e muitos (muitos mesmo!) robôs. Mas é possível que alguns sintam falta de momentos de respiro. Ou seja, aquelas sequências mais calmas, que preparam para uma grande cena. Tudo é grandioso, todo o tempo!

Vingadores: Era de Ultron, ainda conta com participações especiais de coadjuvantes dos filmes solo dos heróis. Apresenta uma trama mais complexa, que merecia mais alguns minutos. Traz uma escala épica gigantesca para as aventuras dos maiores heróis da terra. E cumpre seu propósito principal entreter. Se não superaram sua primeira aventura, Capitão América (Chris Evans) e companhia ao menos mantiveram o nível de qualidade e diversão alto.

Vingadores: Era de Ultron (Avengers: Age of Ultron)
EUA - 2015 - 142min
Ação/Aventura


P.S.: Existe uma cena no meio dos créditos, mas nenhuma no final. Pode correr para o banheiro antes do fim.

Leia a resenha de Os Vingadores (2012)  e outros textos sobre o universo Marvel no cinema e na TV.

1 comentários:

Kahlil Appel disse...

Tão bom quanto o primeiro. Um filme extremamente divertido!

http://filme-do-dia.blogspot.com.br/

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top