segunda-feira, 9 de março de 2015

Simplesmente Acontece

Rosie (Lily Collins, Espelho, Espelho Meu) e Alex (Sam Claflin, Jogos Vorazes) são melhores amigos desde a infância. Verdadeiros "BFFs" apesar de saberem que amizade entre sexos opostos raramente dão certo. Provavelmente por isso escolheram ignorar a atração romântica entre eles. Apesar de mesmo o expectador saber que este é o pior e mais desnecessário caminho que o casal poderia escolher. Como sabemos. Simplesmente acontece que já vimos esse filme dezenas de vezes.

Não há nada que impeça o casal no início da jornada, mas eles deixam a chance passar. Então, a vida acontece, trazendo inúmeras situações "cotidianas" que vão impedir que os dois reajustem os ponteiros por mais de uma década.

E quando menciono inúmeras, são muitas, mesmo! Faculdades, novos interesses românticos, filhos, correspondências desviadas, vôos atrasados. Tudo ambientado em uma contraditória fotografia que torna o mundo um lugar ligeiramente cor de rosa, apesar de seus problemas.

E, claro, acompanhado das tradicionais mensagens de filmes água com açúcar. Nunca desista dos seus sonhos. Persistência e trabalho duro sempre tarão resultados, mesmo que demore. O verdadeiro amor sobrevive a distância, tempo, segredos ou qualquer outra dificuldade que você possa imaginar.

Entretanto alguns detalhes dentro deste universo cor de rosa ainda soam estranhas. Como a mãe católica que provavelmente não aprovaria o aborto, mas não tem problemas com a filha ficar grávida de um rapaz qualquer. Ou decidir dar o bebê para adoção. Parentes secundários somem e reaparecem sem prévio aviso. E melhores amigos massam meses sem notícia alguma um do outro em plena era da comunicação. Talvez essa seja uma crítica interessante do filme, nossa incapacidade de nos comunicar apesar dos recursos praticamente ilimitados.

Talvez também, todas estas questões sejam melhor trabalhadas em Onde Terminam os arco-íris romance de Cecelia Ahern no qual o filme foi baseado. Logo como adaptação Simplesmente Acontece falha em alguns aspectos e carece de originalidade. Mas, a produção é caprichada, os rostos conhecidos no elenco trazem expectadores, assim como o material original traz seus leitores.

É graças à estes expectadores garantidos e ao apego ao "final feliz" sob todos os defeitos, que simplesmente acontece de vez em quando, mesmo com o mais crítico dos expectadores, que a produção encontra seu espaço. O tradicional "filme de mulherzinha" que admitimos nos reder de vez em quando acompanhado de muito chocolate.

Simplesmente Acontece (Love, Rosie)
EUA - 2014 - 102min
Romance

2 comentários:

Jackeline Nuit disse...

gostei muito da resenha do filme, ainda nao assisti mas me pareceu otimo

http://www.jacknuit.com.br/

Fabiane Bastos disse...

Obrigada pela vista! ;)

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top