segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A Mulher de Preto 2 - Anjo da Morte

É a Segunda Guerra Mundial, e Londres tem sofrido vários bombardeios. Logo as crianças são enviadas ao interior do país, para ficarem à salvo, mas nem todas tem a sorte de ir para Nárnia. Um grupo em particular sob a tutela da governanta Jean (Helen McCrory) e da professora Eve (Phoebe Fox), que inclui o órfão recente Edward (Oaklee Pendergast), são designados para a mansão Eel Marsh.

Situada em meio há um pântano, a casa caindo aos pedaços, volta-e-meia se torna uma ilha de acordo com a maré. Consequentemente prendendo seus pequenos residentes no local, que como você deve imaginar, tem uma história própria. Barulhos misteriosos, sonhos estranhos e claro visões da tal Mulher de Preto do título, vão aos poucos revelando a maldição da casa, que põe em risco a vida de crianças. Isto é, se você não assistiu ao original A Mulher de Preto.

Eis aqui a primeira falha do filme. Se por um lado não é preciso ter assistido ao primeiro filme estrelado por Daniel Radcliffe (o Harry Potter) em 2012, para compreender esta sequencia. Por outro, caso você tenha assistido não há mistérios a serem descobertos. É a mesma casa, a mesma maldição, a mesma entidade, embora com um "modus operante" um pouco diferente.

Enquanto o original acertava em apostar no suspense, para criar tensão e consequentemente o terror. A Mulher de Preto 2 - Anjo da Morte segue a problemática fórmula de apostar em sustos fáceis, geralmente causados pela trilha sonora. Após o segundo "bú", o bom expectador já entendeu o sistema, e fica difícil assustá-lo.

Com uma protagonista feminina, o roteiro segue a jovem Eve, na tentativa de compreender o que se passa e posteriormente, tentar salvar a todos, especialmente o pequeno Edward. Para justificar esta sensibilidade, o roteiro também cria um passado misterioso porém pouco convincente para ela.

Já a personagem de McCrory, apresenta uma história passada mais interessante, mas que nunca é desenvolvida. O equivoco se completa com a presença do piloto Harry (Jeremy Irvine), cuja unica função real é garantir um "mocinho" para a trama, já que uma "frágil mulher dos anos 40", não poderia fazer tudo sozinha.

Entre visões confusas e sustos fáceis, existem sim algumas cenas, em geral envolvendo as crianças, que criam boa tensão. Infelizmente estas logo são substituídas pela clássica fuga para o porão, ou objetos que mudam de lugar. O elenco, que inclui muitas crianças, bem que se esforça mas, o roteiro não ajuda muito.

E por falar em porão, a produção falha até em recriar a casa. Abandonada desde o início do século, a casa em si é a mesma, mas seu interior falha em recriar o ambiente entulhado e opressor que o primeiro filme apresentara. Mesmo os outrora incrivelmente assustadores brinquedos, parecem terem sido trocados durante os anos em que a casa esteve vazia. 

Tentando reaproveitar a premissa do eficiente filme original A Mulher de Preto 2 - Anjo da Morte falha em recriar a tensão. E acaba apelando para os sustos fáceis e final previsível. Desperdiçando o bom elenco, e uma boa ideia. A de um refúgio, que na verdade é mais perigoso que as bombas nazistas. Uma pena!

A Mulher de Preto 2 - Anjo da Morte (The Woman in Black: Angel Of Death)
Reino Unido - 2014 - 98min
Terror/Drama


0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top