quinta-feira, 27 de novembro de 2014

As Crônicas de Gelo e Fogo - Volumes 1 ao 5

Sim, finalmente eu terminei de ler os cinco volumes de As Crônicas de Gelo e Fogo. E não, eu não fiz resenhas de nenhum dos livros. Porque? Oras, por que a história ainda não terminou! E mesmo divididos em em diferentes volumes é complicado resenhar algum deles, ou mesmo determinado episódio. Certa vez uma amiga sugeriu, resenhe os arcos das personagens. Uma ideia interessante, verdade. Mas logos percebemos o problema óbvio, fazer isso indicaria que o analisado já falecera. Trazendo o inconveniente spoiler, e esbarrando em outro dilema da saga: nem a morte é certa neste universo. - Ops! Mini-spoiler.
Versão de bolso nacional: menores sim, mas ainda são tijolos!
De fato, a saga ainda não terminou. Entretanto, como G.R.R. Martin, continua afirmando que o próximo livro "vai sair, quando sair", achei razoável, criar uma quase resenha. Um balanço da aventura até aqui. Logo, se você esteve preso em um calabouço escuro, nas últimas duas décadas (estes livros estão sendo publicados desde 1996), eis uma tentativa de sinopse.

Westeros é uma terra medieval, dividida em sete reinos que seguem um único rei. Logo, não é de surpreender que o poder seja um constante objeto de disputa. Por um motivo ou outros todos desejam senta-se, ou aos seu no desconfortável Trono de Ferro (aquele feito de espadas, que você já deve ter visto em fotos de amigos em poses orgulhosas no Facebook).  Lá as estações climáticas não tem período determinado e podem levar anos. Longos verões são ótimos, já longos invernos são mortais.

Ah! E por falar em inverno, nas terras do Norte (originalmente protegidas pela familia Stark), sempre é frio. Além disso bem por lá exite uma gigantesca muralha de gelo, que separa o norte do "mais norte ainda", protegendo o reino das dos mistérios que residem por lá.

Além dos Starks, quando começamos a aventura, outras famílias poderosas também estão em voga, e convivem em aparente harmonia. A casa Baratheon, atual governante dos sete reinos e a casa Lannister donas das riquezas da terra. Reparou que escrevi "atual governante", é que logo que começamos somos informados, que houvera uma rebelião há não muito tempo, que destronou e quase eliminou a família que governara por séculos. Da família Targaryen, restaram apenas um casal de irmãos sobreviventes. Ainda crianças na época da rebelião, o casal vive exilado em terras além mar.

Sim, o mapa continua a crescer, assim como a gama de personagens. Acredite ou não os três parágrafos acima são apenas a ambientação de quando a saga começa, em A Guerra dos Tronos, primeiro livro da saga.

É logo, neste primeiro que começamos a notar as singularidades da escrita de Martin. O autor opta por seguir pontos de vistas de personagens aleatórios, ao invés de um protagonista ou narrador onipresente. Se apegando provavelmente àquele que ele acredita poder contar melhor o que está acontecendo em determinado local. Migrando de uma ponta a outra dos sete reinos, conforme muda de personagem, e deixando claro para o leitor, como é a vida naquele universo.

Por um personagem ou outro, nós sabemos o que acontece em quase todos os lugares. Mas, os personagens estão no escuro, e isso fica evidente para o leitor, e torna as intrigas mais emocionantes. O modo de pensar, falar e agir dos personagens também interfere na forma como o autor escreve. Assim, nós leitores temos que nos adaptar entre a forma de ver o mundo de um experiente guerreiro, de uma mãe cautelosa, ou um garoto de oito anos.

Como se a forma diferente de apresentar sua fantasia não fosse suficiente, Martin também decidiu que queria uma história em que realmente o leitor sentisse medo e inseguranças pelas personagens. O que resulta no maior exercício de desapego que uma pessoa pode fazer, não há escapadas espetaculares impossíveis, muita gente comete muitos erros, e as consequências sempre se apresentam. Estas vão de mutilação, loucura, exilamento, até a morte de seu personagem favorito ou genocídio, daquele clã que você achava que estava indo bem.

É esse desapego a causa de todo o reboliço em torno de As Crônicas de Gelo e Fogo, especialmente depois que a HBO decidiu adaptar a saga como uma série de TV (Game of Thrones caso você ainda esteja na dúvida), e não teve medo de manter os acontecimentos extremos e traumatizantes da história.

Mas nem toda violência  e sexo do mundo (é para adultos gente!), manteria a audiência ou persuadiria alguém a ler os tijolos de mais de 800 páginas. Se a história e personagens não fossem interessantes. Acirradas disputas pelo poder, rituais e tradições complicadas, diferentes religiões e elementos mágicos inclusos de forma gradativa dão conta da trama.

Quanto aos personagens, estes são cheios de facetas. Niguém é totalmente bom ou mal, alguns sabem jogar o "jogo dos tronos", outros apenas dão sorte, à aqueles que aprendem com o tempo, e todos crescem e evoluem com o passar do tempo. Cada um com seu arco próprio, que provavelmente terminará na morte certa (essa é minha mente traumatizada falando), o que não significa que a jornada não valha a pena. Personalidades para todos os gostos, personagens para amar, odiar com prazer, ser indiferentes, e provavelmente  mudar constantemente de ideia sobre o que sente em relação a cada um deles.

Longos, de conteúdo pesado e complexo, As Crônicas de Gelo e Fogo, não são leitura para qualquer um. Talvez este seja seu maior defeito, a não ser que conte traumatizar/fortalecer os corações de seus leitores.  Além disso exigem tempo e dedicação e paciência, uma vez que os dois últimos volumes The Winds of Winter e A Dream of Spring não tem data exata para sair. Ironicamente combinando com o tom de insegurança de sua trama, muitos temem que nunca sairão, o autor tem mais de 60 anos, e livros de 800 páginas não se escrevem da noite para o dia.

Ainda sim, aqueles que forem corajosos e persistentes (e gostarem do gênero, claro) não vão se decepcionar. Traumatizar sim, decepcionar nunca!

A Guerra dos Tronos, A Fúria dos Reis, A Tormenta de Espadas, O Festim dos Corvos e a A Dança dos Dragões, começaram a ser publicados no Brasil em 2010 pela editora Leya. A editora também lançou O Cavaleiro dos Sete Reinos - Histórias do Mundo de Gelo e fogo que se passa no mesmo universo, emobora tempos antes da trama principal e não tem ligação direta com ela.

As Crônicas de Gelo e Fogo (Vol.1-5)
George R. R. Martin
Leya


4 comentários:

Gabriel Dantas disse...

Muito bom o seu post!

Também quero fazer um sobre os livros, mas não é tarefa fácil.

gotasdexp.blogspot.com

Fabiane Bastos disse...

Obrigada!

Não é fácil mesmomas, não desista. Boa sorte na sua missão!

Carmen Arroyo Flores disse...

A história é maravilhosa. Estou ansiosa para assistir Guerra dos Tronos, o último capítulo me deixou super animado, o tempo restante já em breve para a transmissão e que é muito emocionante! Eu acho que todo o elenco tem feito um grande trabalho, é uma das minhas séries favoritas, tem uma grande história.

Fabiane Bastos disse...

Também é uma das minhas séries favoritas Carmem. Obrigada pela visita!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top