quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Lucy

É provável que em algum momento de sua vida você tenha acreditado, ou ainda acredite, no mito de que seres humanos utilizam penas 10% do cérebro. Verdade, ou mito, não deixa de ser interessante imaginar o que alguém que "supostamente" usa 100% do cérebro seria capaz de fazer. É neste argumento que Lucy aposta.

Reconhecido por retratar mulheres fortes o diretor Luc Besson (Nikita - Criada Para Matar, O Profissional e O Quinto Elemento). Coloca Scarlett Johansson no papel título como uma heroína de ação, que passa a utilizar cada vez mais o potencial de seu cérebro, após forçada a ser mula de uma nova droga, que acidentalmente foi absorvida pelo seu corpo. Enquanto Morgan Freeman, empresta sua credibilidade para explicar e tornar crível para o expectador a ingênua teoria.

E já que provavelmente o, sempre competente, Freeman vai te convencer, não é difícil acreditar que Lucy transforme-se rapidamente de periguete burra para um não apenas um gênio, mas uma entidade superior com potencial para se transformar na versão feminina do Dr. Manhatan.

Transição que Johansson faz muito bem, mantendo sempre enorme presença em cena. Mesmo quando ainda é um ser comum como o resto de nós, acuada por bandidos.. Consolidando a atriz como protagonista e heroína de ação, já que até agora a Viúva Negra, lhe dera apenas o cargo de uma muito eficiente ajudante.

Aumentando a gama de protagonistas fortes e femininas das telas (algumas delas criadas pelo próprio diretor deste), é um interessante filme pipoca, e não precisa, nem tenta, ser mais que isso. O longa intercala trechos de ação, e discussão filosófica em seus menos de 90 minutos de projeção, de forma frenética.

O único ponto fraco fica a cargo do desfecho metafísico transcendental, mal explicado e questionável (que acidentalmente lembra o recente Transcendence com Johnny Depp). Mas, à essa altura, você já aceitou Lucy como ser superior, com um plano, e suspeita que talvez não tenha compreendido o final por completo. Afinal, você só usa 10% de sua capacidade cerebral!

Lucy
França - 2014 - 89 min.
Ação

2 comentários:

Anônimo disse...

Ótimo filme, eu achei a cena final a melhor parte.

Fabiane Bastos disse...

O final é bastante original.
Obrigada pela visita!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top