domingo, 31 de agosto de 2014

Blog Day 2014

O Blog Day chegou novamente, e com boas novas, tem mais gente tentando resgatar o projeto. Ano passado descobri que não apenas a celebração havia esfriado, mas até sua página estava fora do ar. Este ano a galera do Rootaroots, está empolgada para a data.

Para os não iniciados, o Blog Day foi criado na convicção de que os blogueiros deveriam ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de diferentes países e/ou áreas de interesse. A data, 31 de Agosto, foi escolhida pois seus números lembram a palavra Blog = 3108. Este ano marca a décima edição da festa em forma de blogagem coletiva.

É claro, empolgados com a data o pessoal do Rootaroots, sugeriu que o post deste ano tivesse um total 15 blogs, divididos em 3 categorias: blogs que não saem do meu feed, blogs que eu conheci no Rotaroots e blogs para sair da rotina. O que não faz parte da minha realidade. Não dá tempo para indicar tantos blogs assim, e não vou simplesmente indicar por indicar.

Por isso, para justificar a iniciativa, eu resolvi escolher os tradicionais 5 (número tradicional de sugestões), entre os blogs do movimento. Para tal eu utilizei um extremamente contra-indicado sistema de seleção (eu visitei os 205, blogs da lista que se propuseram a participar), e escolhi aqueles que geraram mais empatia. Aqueles que realmente vou tentar acompanhar direitinho de agora em diante.

  • Faltou Açucar - Fiquei com vontade de ler todas as postagens da página inicial. Simples assim.
  • Descolada da Vida - O visual passa a impressão de uma pessoal que eu adoraria conhecer.
  • Gema de Ovo - gêmeas que curtem os mesmo hobbies, artesanato e blogar. Nada mais interessante e misterioso para a filha única que vos escreve.
  • Um Pouco de Mundo - produzindo "na coletividade", e sem um tema específico como é o costume. Tarefa difícil!!!
  • Triponina - apenas porque me fez lembrar de mim, em outras fases da minha vida blogueira.

Para as 200 páginas que ficaram de fora, não significa que são contra-indicados, ruins ou qualquer outra coisa. O meu injusto e longo processo de seleção usou a "empatia a primeira vista", na espenraça que esta atenda seu potencial.

Feliz Blog Day, semana que vem de volta com o Fã de Carteirinha!

Leia as postagens do Blog Day de anos anteriores: 20092010, 20112013, e mais sobre Rotaroots.
Leia Mais ››

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Once Upon a Time - 3ª temporada

Era uma vez, um tempo em que contos de fadas e aventuras medievais voltaram a moda. Então os criadores de uma famosa série de sucesso na TV resolveram repaginar e recontar essas histórias clássicas. Assim nasceu Once Upon a Time. Mas, se você sabe que estes criadores antes realizaram Lost, já deve imaginar que a narrativa não é tão simples quanto um "e viveram felizes para sempre".

E depois de quase ter um final feliz, os contos de fadas, foram amaldiçoados, quebraram a maldição, continuaram com problemas e enfrentaram vilões mais malvados que a Rainha Má original. E na terceira temporada investem em novos reinos e mitologias. Não que já não tivessem flertado com outros universos antes, o Doutor Frankestein, Mulan e até personagens do país das maravilhas já haviam dado as caras.

Para os não iniciados a série originalmente acompanharia a vingança da Rainha Má, contra os vitoriosos Principe Encantado e Branca de Neve. Vingança essa, que trouxe todos os personagens para um terrível castigo, nosso mundo nos dias de hoje. De lá para cá, diversas princesas, príncipes, fadas e vilões já deram as caras, sempre repaginados, e revelando que nenhum deles é 100% mal ou bom. O universo e as reviravoltas são muitos, logo aconselho ler os textos sobre as temporadas anteriores.

De volta ao terceiro ano da série, sempre com a "familia" (entre aspas pois o clã é bastante complexo) de Branca de Neve como personagens centrais, Once Upon a Time, abandonou a pacata Storybroke na primeira metade da temporada, para reapresentar Peter Pan e sua Terra do Nunca ao mundo.

Com produtores de Lost, quem duvidou que cedo ou tarde pararíamos em uma ilha?

Depois de passar um tempo na "segunda estrela à direita, até o amanhecer", a trama dá um salto de tempo e apresenta uma nova ameaça em sua segunda parte. A passagem de um ano incorporada à trama, serve bem ao propósito de explicar o envelhecimento do ator mirim Jared S. Gilmore (Henry), e acomodar a gravidez de Ginnifer Goodwin, (Branca de Neve, que na vida real realmente é casada com Josh Dallas o Principe Encantado, também ficou grávida na série). Nesta segunda metade é a vez de os cidadãos de Oz darem as caras, principalmente a Bruxa Má do Leste (ou seria Oeste).

Tudo sempre acompanhado dos tradicionais flashbacks com a vida pregressa dos personagens, que nos ajudam a compreender porque fazem o que fazem nos tempos atuais. Mas a essa altura você já deve estar se perguntando, com tantos personagens novos, tem espaço para todo mundo? Não, não tem.

O excesso é provavelmente o maior problema da série, é muito provável que o expectador se pergunte por onde anda, um personagem ou outro. Ou ainda se surpreenda ao ver seus intérpretes em outras produções. Jamie Chung (a Mulan) por exemplo, trabalhou em Believe este ano. Já Meghan Ory (Chapeuzinho Vermelho), estrela Inteligence. Ambas fizeram participações especiais nesta temporada.

Verde de inveja, porque Regina é uma vilã que amamos!

A solução para isso foi assumir, seguir apenas as personagens consideradas principais e trazer de volta outras figuras quando estas se fazem necessária, sejam elas conhecidas como o Grilo falantes ou novidades como Rapunzel e Robin Hood. O que à exemplo de Game of Thrones tem funcionado bem. Neste caso o foco ficou em Emma (Jeniffer Morrison), Henry (Jared S. Gilmore), Lana Parilla (Rainha Má), Branca e Encantado (Ginnifer Goodwin e Josh Dallas), Rumpelstinksi (Robert Carlyle), Bella (Emilie de Ravin), e Gancho (Colin O'Donoghue). Além é claro dos vilões convidados da vez, Peter Pan (Robbie Kay) e A Bruxa Malvada do Oeste Zelena (Rebecca Mader).

Quanto ao universo extremamente expandido e cheio de reviravoltas. É complexo do tipo, perca um episódio e ficarás confuso para sempre. E sim vai afastar alguns, mas Doctor Who faz isso há 50 anos, e ainda tem muitos fãs.

Não que eu acredite que Once Upon a Time ficará no ar por 50 anos. Cedo ou tarde vai se tornar cansativo, ou a moda dos contos de fada vai passar. Por hora, a série apresentou uma boa terceira temporada (mencionei que teve viagem no tempo? Viagem no tempo faz tudo ficar melhor). E tem fôlego e potencial para um bom quarto ano. E com isso me dou por satisfeita!

Once Upon a Time é exibida no Brasil pelo canal Sony, e na Record recebeu o título nacional de "Era Uma Vez". Leia mais sobre Once Upon a Time, sobre séries, ou sobre Branca de Neve.
Leia Mais ››

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

5 Programas que marcaram (ou ainda marcam) minha vida

E quem sabe a sua também! (é as vezes meus títulos continuam paragrafo a dentro). Mas, vamos ao que interessa.

Como cidadã nascida nos 80, não tenho vergonha (nem orgulho) de dizer, fui criada em parte pela babá eletrônica favorita dos anos de 1980 e 1990, a TV. Detalhe, em época em que praticamente ninguém podia ter TV paga. Ainda sim existe uma dezena de programas que marcaram minha vida (até agora). E uma proposta dos "memes" deste do Rootaroots, é exatamente enumerar 5 desses entretenimentos televisivos.

1- As Novelas da extinta Manchete
Não lembra da Manchete? Calma, acontece entre os mais jovens. A Rede Manchete era o canal que ocupava a frequência da atual Rede TV. E claro, também tinha novelas como carro chefe. Mas porque marcaram minha vida? Ora porque eu assistia, ué! Mesmo estas produções sendo na grande maioria inapropriadas para a minha idade. Pantanal aos 6, Xica da Silva aos 12, e um monte de produções legais entre elas, como Ana Raio e Zé Trovão, entre elas. Nudez, violência, rolava de tudo nas novelas do canal. Mas calma, meus pais não são irresponsáveis, e eu assistia sob a supervisão deles, e ainda acho, que eles me distraiam em "momentos chave", se é que você me entende. Mas já era o suficiente para eu "tirar onda na escola".... Ah! E por falar na Manchete...



2 - Os programas nipônicos infanto-juvenis da Manchete
Começando por Jaspion, e Changeman, passando por Patrine, Saylor Moon e Cavaleiros do Zodiaco. Foram eles que abriram espaço para os "pokemons" e "power rangers", e outras produções com monstros gigantes e heróis caricatos que vieram depois (e continuam vindo, Alô! Godzila e Circulo de Fogo). E apesar de eu não lembrar de muitas das histórias, os ícones ficaram na memória afetiva. Ouso dizer a nerdice nasceu ali!

3 - Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman
Eu já assistia séries naquela época, como Alf - O Eteimoso e Macguiver. Mas as aventuras em metrópolis que eram exibidas pela Globo, às terças-feiras após a novela, foi o primeiro enlatado estadunidense a me viciar. E de quebra ainda me apresentou aos heróis dos quadrinhos. Além disso, a série me fazia sentir muito adulta, afinal passava depois da novela, era programa para gente grande. Aliais os boxes das 4 temporadas do programa que vivem na minha estante e são re-assistidos de tempos em tempos provam: o programa era para todas as idades.

4 - Sai de Baixo
Outro programa para gente grande, que eu tinha orgulho em assisti. E vi mesmo todas as 6 temporadas, indo dormir tarde da noite no domingo apesar de ter escolha na manhã seguinte. Quando a Globo começou a exibir Casseta & Planeta nas terças-feiras, e jogou Lois & Clark, para depois da comédia nacional aí mesmo, que eu não dormia. E Viva! O programa sobre a família do Arouxe ainda é bom, como provam as reprises do canal Viva, e o reencontro que rolou entre eles ano passado.

5 - Carrossel
A versão mexicana dos anos de 1990, pessoal (a novelinha, aliais, teve muitas versões). Porque? Eu tinha a mesma idade, e estava na mesma série que a criançada do programa, na primeira vez que a novelinha foi exibida. Precisa dizer mais? Era a hora certa!

Sou viciada em TV. É claro que não conseguiria escolher só 5, então me dei um programa bônus. 

6 - The Pretender
Para você que nunca ouviu falar, The Pretender era uma série exibida pela Rede Record (coladinho com Arquivo X), sobre um gênio treinado por uma agência secreta para ser quem ele quisesse ser. Depois de fugir do "Centro", Jarod passava seus dias livres, ajudando as pessoas com suas habilidades de exercer qualquer profissão. Entre um caso de caridade da semana e outro ele ainda tinha que despistar sua perseguidora a durona Miss Parker. Lembra bastante Believe exibida esse ano na Warner. Altamente viciante, mas pouca gente conhece, por isso está lista.
Visual de couro estilo Matrix, sim era o final dos anos 90!
Ok! Admito, esta lista está mais para "5 Programas que marcaram a minha infância" do que a "minha vida". Mas qual é? Eu já falo muito sobre o que eu assisto atualmente no blog. E leva alguns anos para entendermos de verdade como alguma coisa marcou nossa vida. Menos As Crônicas de Gelo e Fogo, G. R. R. Martin te traumatiza no instante que você lê! Mas isso é assunto para outro post!

O tema deste post foi sugerido pelo Rootaroots (blogueiros de raiz, em prol da blogsfera old school) veja outros memes e blogagens coletivas do blog.
Leia Mais ››

domingo, 24 de agosto de 2014

Doctor Who: fã de carteirinha #2

Esta semana teve "Doctor Who World Tour" no Rio de Janeiro. E tem estreia temporada nova da série de ficção cientifica mais longeva da história, com a primeira aventura oficial do 12º Doctor, Peter Capaldi. Seria bobeira minha não embarcar nessa certo?

Essa semana o fã de carteirinha, traz o assustador curta STONE - A Doctor Who Short Horror Film feito por whovians habilidosos. Estrelando os vilões mais assustadores da série (na opinião desta humilde blogueira). 

Não ouse piscar!


E você de qual vilão de Doctor Who tem mais medo? Qual seu favorito? (Eu adoro os Adipose, doaria alguns quilinhos para criar um tranquilamente, rs).

Leia mais sobre Doctor Who, ou assista outros Fãs de Carteirinha, ou ainda Fãs de Carteirinha do Doctor Who!
Leia Mais ››

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Os livros que me recuso a jogar fora!

Então, meu tio trabalha em um residencial da terceira idade, e de vez enquando (leia-se quando um dos velhinhos se vai), a família não se interessa por seus livros, LPs e CDs. Amante de cultura, meu tio resgata esses objetos antes de ir para o lixo. Separamos os que estão em bom estado, procuramos se amigos e família tem interesse em algum dos títulos, mais ainda assim, sobram alguns.

E em minha mais recente faxina de inverno (leia-se a Oi Velox me deixou offline novamente), encontrei uma pilha destes livros. Meu pai decretou: Lixo! - Mas eu me recuso a simplesmente joga-los fora, devem ser úteis para alguém. Então.... venda online!

Segue a lista que devo postar aos poucos neste site admito, os preços são "chutados", logo aceito negociações. Clique no título do livro.

SALVE UM LIVRO DO LIXO!!!

Não vou mentir estão todos em bom estado de encadernação, entretanto alguns tem as páginas bastante amareladas. Já leu ou quer ler alguns destes? Se manifeste, e os salve da lixeira.

P.S.: Se você está se perguntado porque eu simplesmente não doo os livros para a biblioteca municipal? A resposta é simples, porém absurda: meu município não tem biblioteca. Muito mal tem umas 2 livrarias, mas isso é assunto para outro post!
Leia Mais ››

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

As Brancas de Neve da cultura pop

Dia destes estava revendo posts antigos e me deparei com o texto "Outras Brancas de Neve", que fiz para o blog parceiro DVD, Sofá e Pipoca. E qual não foi minha surpresa, quando reparei que o post estava super ultrapassado apenas alguns anos depois de sua publicação. Culpa da nova onda de contos de fadas que invadiram a cultura pop.

Logo, resolvi reciclar atualizar o post, e como por lá o tema Branca de Neve já passou, aqui é o local para isso. Começando pelo princípio:

No Cinema

Branca de Neve e os Sete Anões
O clássico da Disney de 1937 não foi a primeira adaptação do conto dos irmãos Grimm. Mas foi ela que afirmou os parâmetros mais populares da história conhecida hoje em dia. Principalmente, a redução da tentativa de assassinatos da bruxa de 3 para 1, e o "beijo do amor verdadeiro" que acorda a princesa*. Se você quiser saber tudo sobre esta versão não deixe de conferir o especial cheio de curiosidades no DVD, Sofá e Pipoca.

Branca de Neve
Lembram da Kristin Kreuk, a Lana Lang de Smallville? (atualmente na série Bela de Beauty & the Beast, essa gosta de um conto de fadas!) Ela já encarnou a princesa num telefilme de 2001, que tinha ainda Miranda Richardson como a madrasta invejosa e o gatíssimo Tyron Leitso como o príncipe. Clássico do Cinema em Casa, do SBT. O visual da atriz até que não mudou muito, né?

Ela e os caras
Se a Cinderela pode, porque a Branca de Neve não? Na versão século XXI da história, Amanda Bynes dá vida a Sidney White, uma caloura que vai morar em uma fraternidade com sete nerds, depois que a moça mais bela do campus a expulsa da fraternidade mais popular. Com direito a "Apple" envenenada e tudo (percebeu a letra maiúscula? Não se trata da fruta, mas do computador!). O filme é de 2007.


Deu a Louca na Branca de Neve
Sequencia da franquia Deu a Louca na Cinderela, a animação de 2009 tenta (eu disse tenta) contar uma versão escrachada da história nos moldes de Shrek. Entretanto não é das franquias mais primorosas.

Versão de 2012 com Júlia Roberts no papel de Rainha Má, Lily Colins como Branca de neve e Armie Hammer (os gêmeos que não inventaram o Facebook) como príncipe. Assumidamente voltado para a criançada e com um diretor indiano, o filme acerta no tom multicolorido e dá novas características para os ainda caricatos anões. Feito para atual geração de meninas, coloca uma espada nas mãos da princesa, enquanto o príncipe é volta e meia feito de bobo, ainda tem espaço para uma fera na floresta e um número musical. Com tanta agitação quase esqueceram da icônica maçã. Leia a resenha.

A outra versão de 2012 para o conto, com a (muito mais bela) Charlize Theron no papel de Rainha má, fica até difícil torcer pela princesa vivida por Kristen Stewart, vai ver por isso o destaque ao caçador Chris 'Thor' Hemsworth, que acaba roubando todos os louros do príncipe. Tentando transformar o longa em um épico medieval, o longa peca ao se levar a sério de mais. Transformando a mocinha em "a escolhida" e colocando a moça de armadura completa em campo aberto. Leia a resenha.

Na TV

Churi Churin Fun Flais
Precisa dizer mais? Clássico da infância de muita gente, a versão de Roberto Bolaños do conto de fadas é reprisada há 30 anos no SBT.



Os Anjinhos: Branca de Neve e a Galerinha Jóia dos Sete Minis
Lá em 2005, a série animada já tinha 2 garotinhas (uma boazinha e a mimada Angélica), 6 bebês e um cachorro. Então porque não? É claro, na versão Rugrats, nada de príncipe apenas lição de moral, afinal são bebês né!

Supernatural
No episódio Bedtime Stories, Sam e Dean encontraram a versão mais macabra da princesa. A guria aí da foto realmente foi envenenada pela madrasta. Em coma, virou uma espécie de assombração que tornava real os contos que o pai contava para ela, excluindo a parte do final feliz, claro. Apesar de dois galãs, não houve bitoca que acordasse a garota. O episódio é da 3ª temporada, exibida originalmente em 2007.

A série que mistura todos os contos de fada que você consegue imaginar, além de outras histórias de fantasia como Frankestein, Peter Pan e o Mágico de OZ, com o mundo real, tem como base a história da Branca de Neve. Aliais a moça de pele branca como a neve (Ginnifer Goodwin), e sua família, incluindo a madrastra má, continuam sendo os personagens que conduzem a história.

Momento fofoca: Ginnifer Goodwin se casou na vida real com Josh Dallas intérprete do príncipe encantado na série. A gravidez da personagem na terceira temporada foi adicionada ao roteiro para incorporar a gravidez real do primeiro filho do casal. 


Participações especiais - porque nem sempre a moça é a estrela

Shrek
Casados e vivendo no reino Shrek e Fiona precisaram se socializar no longa de 2007. E uma das amigas da princesa ogra é Branca de neve (Amy Poehler - diálogos, Megan Hilty- canções), assim como sua antepassada da Disney a moça continua ter uma ótima relação como animaizinhos silvestres.


Xuxa em O Mistério de Feiurinha
No longa de 2009 da Rainha dos Baixinhos, a moça é concunhada de Cinderela (Xuxa, claro!). Vivida por Daniele Valente, está lá para fazer volume junto com as outras princesas que casaram com príncipes encantados, todos os moços são irmãos e filhos de ninguém menos que Hebe Camargo.

Versão Annie Leibovitz
Este é o nome da fotógrafa que faz retratos de personagens de contos de fadas com celebridades nos papeis principais. Para sua Branca de Neve a moça escalou a oscarizada Rachei Weiz. Já a Bruxa ficou a cargo e Olívia 'Treze' Wild. Alec Baldwin é o espelho.



* Oriundo da tradição oral, antes de ser compilado pelos irmãos Grimm, a história de Branca de Neve possui diferentes versões. Muitas delas, com trechos tão sombrios e violentos.

Qual a sua Branca de Neve favorita? Esqueci alguém? Comente!
Leia mais sobre princesas aqui. Ou continue acompanhando curiosidades do Cinema e da TV.
Leia Mais ››

domingo, 17 de agosto de 2014

Frozen: fã de carteirinha#3

Já enjoou de "Let It Go", canção chiclete da animação Frozen? Eu ainda não. Mas, estou fazendo de tudo para cansar da música, ou no mínimo torna-lá a canção mais postada neste blog doa ano de 2014 quiçá, de todos os anos!

A cantora e atriz "estadunidense" Christina Bianco dá uma ajudinha interpretando a canção, com "as vozes" de diferentes cantoras. A moça imita desde a original Indina, passando por Britney Spears, Celine Dion e até Julie Andrews.



Você já enjoou da música? Tudo bem, este post não está perdido, veja Christina Bianco fazer o mesmo número com "Total Eclipse Of The Heart" e com espaço para ainda mais divas, afinal essa música é enorme!



Leia mais Fã de Carteirinha e Frozen

Leia Mais ››

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

#ilustraday: vintage

A blogosfera está cada vez mais profissional. Para poder viver de blog, as páginas ficam cada vez mais com cara de site, revista eletrônica, galerias. Entretanto todo bom profissional sabe, que de vez em quando é bom volta as raízes. E quando se trata de blogs, as raízes são simples, relembrar os tempos de diário pessoal, memes, blogagens coletivas....

É por isso que esta blogueira que vos escreve resolveu participar do #ilustraday.  A proposta é simples postar a partir do dia 15 de cada mês uma ilustração sobre um tema pré-determinado. Use lápis ou corel, sendo bom desenhista ou não a intenção é trocar idéias!

Em agosto o tema é: Vintage! Segue então, minha inspiração vintage vetorizada desta manhã  (é para variar deixei para fazer em cima da hora!)


O  #ilustraday está rolando desde Julho de 2014, e não precisa ser blogueiro para participar, é enviar seu desenho para eles via inbox no Facebook. Então deixe a vergonha de lado, faça seu melhor boneco de palito vintage e participe!!!

P.S.: Eu participei em Julho, mas para variar em cima da hora (vida de blogueira é enrolada, gente!), e ainda estava com um febrão daqueles. Por isso não rolou post, só a ilustração na página do blog. Para me redimir repara no desenho, dessa vez feito a mão, na imagem ao lado. O tema era "qualquer coisa que te inspirasse". Dumbledore me inspira!

O ministério dos "haters" adverte: Este post não pretende se classificar como obra de arte, nem insultar que realmente sabe desenhar, é apenas uma diversão sem grandes pretensões.
Leia Mais ››

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Amantes Eternos

Então você é imortal, e esta neste mundo a tanto tempo que poderia ser Adão ou Eva, pôde ver e aprender de tudo ao ponto de ficar entediado. De fato Adam (Tom Hiddleston) e Eve (Tilda Swinton), os tais Amantes Eternos do título parecem ter estado sempre por aqui. Vampiros tradicionais, conhecem diferentes idiomas, viveram todos os períodos da história (em alguns melhor que em outros), conheceram grandes nomes da humanidade. Com "tempo" de sobra, levam a vida em seu próprio ritmo, mesmo. São amantes, mas vivem em continentes diferentes.

É quando Eve, vai ajudar Adam a sair de sua mais recente crise existencial, que as coisas complicam. Tudo porque sua irmã Ava (Mia Wasikowska), de comportamento totalmente oposto aos seus parentes, resolve se unir a eles. Enquanto, Adam e Eve, já alcançaram um estágio de vida quase contemplativo, apreciando os raros bons produtos e cultura criados pelos zumbis (a humanidade), vivendo cautelosamente no anonimato. Ava cheia de energia e impulsiva, não se preocupa com consequências. Nem mesmo com os perigos, de consumir sangue indiscriminadamente da auto-contaminada humanidade.

Melancólicos, taciturnos e decepcionados com os rumos que a humanidade, e o mundo que ela domina tomaram, sempre racionando alimento. Os vampiros de um futuro próximo sentem falta dos bons tempos da idade média, quando a comida era saudável e fácil de desovar. Ou quando podiam confraternizar com as raras mentes brilhantes da humanidade como Aristóteles e Tesla, e os artistas mais inspirados, todos devidamente homenageados nas paredes do abarrotado apartamento de Adam.

A direção de arte caprichada aliais, mostra através do atravancado apartamento de Adam a bagagem cultural e emocional que seres tão longevos carregam. Assim como acerta em vestir os protagonistas como os opostos, que se atraem e completam. Ele sempre em tons escuros, ela de branco. Ava por sua vez, parece uma colagem de diferentes estampas, e períodos da moda, completamente desconexa e deslocada. Tudo isso claro, com o tom gótico e soturno da noite, afinal nossos personagens dormem de dia.

E por falar em personagens, impossível acertar mais ao escalar Tom Hiddleston e Tilda Swinton, como protagonistas. Além de atuação competente, ambos incutem nos personagens aquele ar estero, meio andrógeno e cheio de classe, mesmo que decadente, associada aos vampiros. Já Mia "Alice" Wasikowska, acerta no tom divertido de provocação e insanidade de sua personagem. O elenco ainda conta com Anton Yelchin e uma interessante ponta de luxo de John Hurt.


O ritmo de Amantes Eternos é intencionalmente o mesmo em que vivem seus protagonistas. Calmo e constate, uma lentidão proposital, que pode afastar expectadores, na tentativa de coloca-los na mesma posição temporal privilegiada de seus protagonistas. Aqueles que ficarem no entanto vão encontrar um elogio sutil à criação humana e sua efemeridade. 

Além de um bom longa de vampiros. Que aborda não apenas a visão romântica e intelectualizada das criaturas, mas também seu lado sombrio, entediado e melancólico. Lados opostos de uma mesma existência, assim como seus Adam e Eve!

Amantes Eternos (Only Lovers Left Alive)
EUA, Inglaterra - 2013 - 123 min
Drama / Romance / Suspense

Leia Mais ››

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

12 Homens e Uma Sentença

Resgatando textos antigos, de publicações com que contribui e atualmente estão fora da rede (pois sou preguiçosa demais, para escrever algo que não possa ser lido). Encontrei este ótimo texto publicado no falecido site "Pub&Comunic" em Abril de 2011, pela ocasição falecimento do cineasta Sidney Lumet. Segue o texto (devidamente atualizado), que faz uma breve apresentação de Lumet, através de seu primeiro longa:

12 Homens e Uma Sentença*

O primeiro longa para cinema de Sidney Lumet, é um clássico entre filmes de tribunal. Curiosamente este tem apenas uma pequena cena inicial passada na sala de julgamentos: a saída dos jurados para decidir a culpa ou inocência do réu. Acompanhamos os 12 homens para a sala de deliberação, está aí o cenário de praticamente todo o longa.

Antes que você decida que um filme inteiro passado em uma só sala deve ser arrastado, repetitivo e cansativo, leia a sinopse:

12 Homens e Uma Sentença (12 Angry Men, 1957), mostra o processo de deliberação de um júri sobre a culpa de um jovem porto-riquenho acusado pelo assassinado do pai. Loucos para ir para casa e acabar com o incômodo dever de jurado, 11 deles acreditam na culpa do joven. Sr. Davis (Henry Fonda), o jurado número 8 não acredita na inocência, nem na culpa do rapaz. Sem a unanimidade ou a certeza de sua culpa, o júri deve rever as provas e analisar cuidadosamente o caso.

Com 11 pessoas nada dispostas a colaborar com o trabalho, não é de se admirar que os conflitos logo apareçam. As discussões muito bem elaboradas apresentam não apenas a evolução do caso, mas a personalidade de cada pessoa na sala. Ao final do longa conhecemos bem aquelas personalidades, embora ainda os tratemos como jurado 8, primeiro jurado, etc. Não chegamos a saber os nomes da maioria deles.

Enquanto expectadores, além de termos um vislumbre das atitudes humanas diante de divergências de opiniões, personalidades e a obrigação de uma tarefa que não se quer cumprir, ainda nos convencemos da culpa, da inocência, ficamos confusos ou oscilando entre as opções. Indiferente é que não conseguimos ficar.

12 Homens e Uma Sentença, não fez sucesso na época de seu lançamento. Indicado a 3 Oscar (Melhor Diretor, Melhor Filme e Melhor Roteiro Adaptado), não levou nenhum. Recebeu 1 BAFTA (Melhor Ator Estrangeiro - Henry Fonda) e o Urso de Ouro do Festival de Berlin. Extremamente teatral teve diversas versões para os palcos ao redor do mundo, e uma refilmagem para TV em 1997.

Sidney Lumet, faleceu em 08 de Abril de 2011, aos 86 anos. Diretor de mais de 50 filmes, produziu cerca de 1 longa por ano desde 1957. Com várias indicações ao Oscar, recebeu apenas um, em 2005, pelo conjunto da obra. Em sua extensa filmografia destacam-se Um Dia de Cão (Dog Day Afternoon, 1975 ), Rede de Intrigas (Network - 1976), O Príncipe da Cidade (Prince of the City - 1981) e O Veredito (The Verdict - 1982), de 1982. Seu ultimo filme foi Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto (Before the Devil Knows You're Dead - 2007). A fragilidade da justiça, da polícia e sua corrupção estão entre seus temas recorrentes.

*Texto atualizado, originalmente escrito para o site Pub&Comunic, em Abril de 2011.

Leia Mais ››
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top