terça-feira, 8 de abril de 2014

Game of Thrones - The Exhibition

Publicidade inteligentemente disfarçada, absurdamente sistemática, que ainda deixa um monte de fãs felizes feito Joffrey no trono. Este é o jeito mais simples de descrever Game of Thrones - The Exhibition. É claro, que quando disse "absurdamente sistemática" não estava me referindo ao falho sistema de distribuição de ingressos online, que parecia ignorar a quantidade de fãs da série de TV e livros por aqui. Com ingressos (todos gratuitos) adquiridos, vamos a parte fácil.

Fácil porém misteriosa, os ingressos tinham horário de entrada e saída e além deles à mão (ou via smartfone,  "muderno") o visitante também precisa de documentos e enfrentar uma longa fila (o que arruinou completamente nossos horários de entrada e saída, mas...). Já na fila, a galera cadastra seu Facebook no app do evento, que a cada novo trecho da exposição atualiza automaticamente seu status com fotos e informações sobre o que você provavelmente está olhando.

É aí, que está a parte da publicidade inteligente, ao inundar o Facebook com imagens da exposição através dos perfis de quase todos os participantes. Isso sem contar com as fotos que os próprios participantes tiravam e postavam, já que câmeras eram permitidas e o WiFi era gratuito. Mas é só jogada de marketing, ou a exposição valia o esforço?
Mega fila e mega organização, nada de furar fila aproveitando o colega que chegou mais cedo.
Assim é GoT separando aliados desde a fila de entrada, rs

Vamos, à exposição (cuidado pode haver spoilers)

Se decepcionou quem achava que ia tirar aquela foto com a cabeça de Ned Stark, pois a exposição é mutante e segue as temporadas da série. Logo, você que curtiu ano passado em Sampa, provavelmente não viu as mesmas coisas que nós aqui no Rio. O que não significa que não haviam coisas legais a serem vistas. Mantendo a tradição de cabeças Starks decepadas por exemplo, um Vento Cinzento extremamente realista (só faltava o cheiro), deu o ar da graça.

Figurinos, armas e elementos de cena, era todos da terceira temporada, com algumas (poucas) surpresas da quarta. O que inclui, belo vestido de casamento de Sansa, as mãos (decepada e de ouro) de Jaime. Vestimentas da Khaleesi, jóias da coroa e de Jardim de Cima. Também não faltaram réplicas, de dragões e ovos, storyboards,  e outros objetos icônicos como o corvo de três olhos, Agulha e Garra Longa.

Confira algumas fotos:




Tinha bastante para ver? Tinha. Mas, podia ter muito mais! Com seções divididas por linhas narrativas da última temporada, ficou de fora muita coisa das temporadas anteriores, como utensílios do Starks, do Khalasar de Drogo ou do Ninho da Águia. Nem mesmo uma corrente de meistre estava em exibição. E estes velhinhos sábios estão em todos os cantos de Westeros.

Mas tinha o Trono de Ferro (isso mesmo, com letra maiúscula), com cenário, ambientação e um animado fotógrafo para pegar os melhores cliques dos pretendentes a regentes que passaram por lá. Queria saber se ele vai manter essa empolgação durante os 5 dias (eu fui no inicio do 1°).

E por falar em ambientação, toda a exposição tinha este ar de "sinta-se em Westeros", desde a 2ª fila de entrada (é tinham 2, ou 1 dividida em etapas, como preferir). Iluminação especial, trilha sonora constante (tensão quando tocava Rains of Castemere), vídeos, e um ar-condicionado ligeiramente mais potente quando nos aproximávamos da Muralha.

E por falar na Muralha, dava para subir nela. Mas, nada de escalar como os selvagens, pegamos carona nos elevadores usados pela patrulha da noite. Um simulador bastante divertido era a última atração do passeio, que ainda sorteou brindes, e ofereceu cópias impressas e emolduradas em nossas fotos no Trono.

Grande campanha publicitária sim (qual rede social não ficou inundada por Game of Thrones este fim de semana?), especialmente porque o Brasil teve a sorte de receber a exposição no fim de semana da estréia da quarta temporada. Mas, ao mesmo tempo um deleite para os fãs, que se divertiram "encontrando sua tribo" (podem não morar perto da sua casa, mas são muitos os fãs de GoT), e principalmente com trabalho tão minucioso e organizado.

Quem saiu perdendo foram apenas os frequentadores usuais do bem escolhido, porém de localização duvidosa, Shopping VillageMall. Não que o espaço tenha ficado superlotado (o lugar era gigantesco), ou que os nerds tenham feito bagunça. Aparentemente eles apenas não gostam que "o povão invada seu espaço". Palavras entreouvidas em loco mas, esse esnobismo é assunto para outro post. Para essa galera deixo apenas uma dica:

Valar Morghulis!

Além de imagens promocionais e algumas fotos mal tiradas pelo meu celular, este post tem belos cliques da colega fotógrafa/blogueria/cinéfila/viciada em séries Geisy Almeida.

Leia mais sobre Game of Thrones

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top