terça-feira, 23 de abril de 2013

Dezesseis Luas

Não. Chamar uma bruxa de conjuradora não a torna mais "legal", e nem é suficiente para nos fazer acreditar que existe uma elaborada cultura e mitologia por trás de sua existência. Mas romance sobrenatural adolescente está na moda, e faz dinheiro, então habemus "Dezesseis Luas".

Lena Duchannes (Alice Englert) é uma adolescente recém chegada à cidade para morar com seu tio. Descendentes dos fundadores da cidade, a família tem fama de satanista. Não é para menos, são mesmo conjuradores bruxos. E quando completam 16 anos são convocados para servir o bem ou o mal. E como pessoas que você sempre conheceu não são nada interessantes, bem como nada extraordinário pode acontecer com você a menos que seja uma recém chegada, Ethan Wate (Alden Ehrenreich) rapidinho se vê interessado na moça. Claro, ela está prestes a completar suas 16 luas e enfrentar seu destino imutável.

Mencionei a maldição que diz respeito aos antepassados de Lena e Ethan? E a conjuradora bruxa das trevas que quer ter a garota ao seu lado? Sim a história é confusa, e deixa muitas pontas soltas quando tenta fazer mistério sobre seu desfecho. Entre as dúvidas mais gritantes, o porque? Porque desse destino imutàvel? Porque apesar de ser uma incógnita Lena parece ter certeza de que vai para o lado negro da força? E como a personalidade de uma pessoa construída ao longo de 16 anos pode ser apagada em apenas 1 noite?

Ok. Talvez eu esteja esperando demais de um romance adolescente, mas se você tem o espaço de um livro e se propõe a criar um mitologia, crie! Mas faça algo convincente e certifique-se, antes de assinar os direitos de filmagem, de que vão usar direito. Não li o livro, não sei se essas respostas estão lá. Mas antes que fãs fervorosos me digam que eu tenho que ler o livo para entender, me respondam: quantas HQs e livros de mitologia nórdica vocês precisaram ler para entender o filme do Thor???

Ainda sim, o filme tem uma boa produção de arte e efeitos especiais. Visualmente mais bonito que outros longas do sub-gênero (sim, estou falando de Crepúsculo), e com um ótimo elenco de apoio, que sabe-se lá porque aceitou o papel. Estão em cena Jeremy Irons, Viola Davis, Emma Thompson e Emmy Rossum. Deste apenas Thompson realmente se destaca, interpretando lobo em pele de cordeiro.

Isso me lembra, outro desperdício. A família de Lena é considerada satanista pela religiosa e hipócrita cidadezinha que eles mesmos fundaram. O preconceito é tanto que a moça é quase proibida de frequentar a escola pública. De onde veio o preconceito? Porque a família aceita isso numa boa, mesmo sabendo que a cidade está cheia de falsos beatos? Tema interessante, jogado sem explicação em cena, e esquecido com a mesma rapidez.

Ao menos este romance não é um triângulo, e realmente acontece embora seus protagonistas não tenham nenhuma química. Tem um visual bonito, e bons embates entre conjuradores bruxos. Mas não se anime muito a série escrita por Kami Garcia e Margaret Stohl, conta com quatro livros!

Dezesseis Luas (Beautiful Creatures)
EUA , 2013 - 124 min
Fantasia

3 comentários:

Fred disse...

Parabéns pelo seu blog.
Estou sempre de olho e eu gosto muito!
Abraço a todos.

Marcelo keiser disse...

Pretendo assistir a esse filme em breve. Tenho curiosidade pelas comparações com a saga "Crepúsculo" que andei lendo em alguns blogs!

bjus

Fabiane Bastos disse...

Obrigada Fred, fique a vontade para comentar e discutir!

Parece um pouco melhor Marcelo. Mas também não achei Crepúsculo uma ameaça na primeira vez que vi. Que venhan as outras luas p/ tirarmos a prova!

Bjs
Voltem sempre!!!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top