segunda-feira, 6 de agosto de 2012

E aí, Comeu?

E aí, Comeu? começa com um close de Marcos Palmeira revelando uma de suas "interessantes" observações sobre a vida. Quando ele finalmente se afasta descobrimos, que ele estava no banheiro. Não demora muito para perceber que essa escolha colocou a platéia da sala escura, na mesma posição em que o mictório estaria. Daí em em diante a qualidade do conteúdo despejado nos expectadores não melhora muito.

Acompanhamos três amigos vividos por Bruno Mazzeo, Marcos Palmeira e Emilio Orciollo Netto em suas desventuras amorosas, sempre pontuadas por suas conversas de boteco pós-expediente. O personagem de Mazzeo, foi abandonado pela esposa (Tainá Müller) e acaba por se envolver com uma adolescente enquanto tenta esquecer-la. Orciollo Neto vive um playboy solteiro com quedas por casadas e que só consegue manter relacionamentos pelos quais paga. Enquanto Palmeiras é um jornalista que desconfia que a esposa (Dira Paes) está tendo um caso.

Com mais da metades das cenas passadas em um bar, e regado à cerveja, não é surpresa que conversa entre os amigos, seja uma combinação de grosseria e filosofia barata sobre mulheres e vida amorosa. Mas é surpresa que ele tente passar a ideia de que é algo mais.

Teoricamente, após sofrer, enfrentar e solucionar seus problemas amorosos (necessariamente nessa ordem), o trio aprenderia com seus erros, e passaria a compreender (só um pouquinho, já que são mulheres) suas parceiras. Mas o resultado,  é só um reforço de estereótipos disfarçado de "compreensão" do amor e relacionamentos.  Talvez se levasse a "boa mensagem" menos a sério, o resultado fosse melhor.

Outro problema é o formato quase episódico em que as histórias são apresentadas. Além do excesso de personagens "de passagem". Assim temos o garçom (Seu Jorge), presente apenas para oferecer comentários engraçados sobre afro-descendentes. Um grupo de mulheres que frequentam o mesmo bar e trocam ofensas com os protagonistas, e só.

Geralmente eu defendo o cinema nacional, mas pérolas como essa realmente nos fazem repensar a causa. Usar palavreado baixo e grosseiro, não é ser ousado. Muito menos original.  Mesmo assim o "exigente" público nacional, que volta e meia critica as produções brasucas ainda lotava a sala, mais de um mês após o lançamento do filme. Alguém explica???

P.S.: Em minha defesa, este era o único filme em cartaz que eu ainda não tinha visto. E eu precisava fazer hora até minha sessão de Batman começar.

E aí, Comeu?
Brasil - 2012 - 100 minutos
Comédia / Romance

3 comentários:

Carnaúbo Merequente disse...

Gostaría que fosse dada ampla divulgação. Um abraço

http://extra.globo.com/tv-e-lazer/mobilizacao-no-facebook-leonora-amar-estrela-de-cinema-dos-anos-40-50-estaria-abandonada-em-hospital-no-rio-5710425.html

Hugo disse...

É o tipo de filme voltado para o público que gosta de novela e nada mais.

Infelizmente estas produções fazem sucesso.

Abraço

Fabiane Bastos disse...

Triste é que segura a sala por meses, enquanto bons filmes menores perdem espaço.

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top