segunda-feira, 23 de julho de 2012

Valente

Sério que a Pixar nunca teve uma protagonista feminina? Detalhe verdadeiro, que passou despercebido (ao menos por mim), mas já foi devidamente reparado. Merida, uma "Valente" princesinha escocesa que não está nem aí para os modos perpetuados por suas colegas da realeza Disney.

Um espírito livre, único e inflamando, assim como seus rebeldes cabelos vermelhos. A mocinha se rebela quando a mãe decide organizar um torneio pela sua mão. Causa uma confusão entre seus lordes pretendentes, e foge para "esfriar a cabeça" na floresta. Lá, Merida encontra uma bruxa (parece saída de A Viagem de Chihiro, homenagem de Lassenter a Hayao Miyazaki) pede por um feitiço para "mudar seu destino". Este, é claro, dá errado.

Até aí já assistimos quase metade do filme, muito tempo para o filme dizer a que veio. E a partir da reviravolta principal não é muito difícil deduzir o desfecho. O filme tem o formato "Disney" de contos de fadas, com boas lições, e final feliz, não que seja um demérito. Mas não é o que se costuma esperar da Pixar. Fica a sensação de que o estúdio de Walt Disney, está interferindo bastante no estúdio da luminária.

Mas tudo bem deduzir o que acontece. Pois a graça está no "como acontece" e no "quando acontece", e claro, naqueles que estão envolvidos em tantos acontecimentos. E Merida é um ótimo exemplo para garotinhas consumistas da franquia "Princesas". Nada de ficar esperando pelo príncipe, aliais a figura do par romântico nem existe aqui. A mudança no perfil da mocinha, até foi ensaiado nos anos de 1990. Mas é com Merida que a mudança é evidente.

Alem da protagonista, outro ponto forte do longa é o visual. Deslumbrante, com cores vivas e um ótimo 3D. Leva o expectador para dentro das florestas e castelos escoceses sem a necessidade de atirar coisas na tela. Recuso barato, para entreter os pequenos e exaustivamente explorado pelas outras animações da temporada.

Valente não tem uma história revolucionária, mas é bem contada, com bons personagens e visual incomparável. Fica entre a segurança da fórmula da Disney e a ousadia visual da Pixar. Não é a melhor animação do estúdio, mas está bem a frente das outras lançadas esse ano (o que não é difícil).

O elenco original tem Kelly Macdonald, Billy Connolly, Emma Thompson, Craig Ferguson, Julie Walters, Robbie Coltrane. A versão nacional tem as vozes Murilo Rosa, Rodrigo Lombardi e Luciano Zafir, irreconhecíveis até os créditos.

Valente (Brave)
EUA , 2012 - 95 min.
Animação - Aventura - Fantasia - Infantil

2 comentários:

Devaneios disse...

Gostei muito da sua resenha. Deu vontade de conferir o filme para ver Merida dando o grito do feminismo nas animações.

Fabiane Bastos disse...

Oba, obrigada! Assista sim, é uma graça e uma boa mensagem.

Obrigada pela visita!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top