segunda-feira, 21 de maio de 2012

Embarque nesse...

Se você completou corretamente a frase acima caro leitor, provavelmente já tinha idade para assistir novelas no início da década de 1990. Época em que a rede do baú conquistou um feito inédito: bater a audiência do jornal nacional com uma novela mexicana infantil. É baseado nesse sucesso que o SBT aposta suas fichas na versão brasileira. E é aí que mora o perigo, não apenas para a audiência do canal, mas para a memória afetiva de toda uma geração.

Já vi essa situação acontecer antes, quando a Fantástica Fábrica de Chocolates de Tim Burton estreou nos cinemas. La estavam um bando de pais enchendo a cabeça dos filhos com as maravilhas que viram na primeira versão do filme. Com Burton deu certo, sua versão é tão boa (alguns diriam até melhor) quanto a original. Eis aí mais uma rara oportunidade de pais apresentarem a seus filhos uma coisa que curtiam,mais importante, e que era legal de verdade (quem teve a idéia de apresentar o irritante bate-bate para a petizada?).

Eu não tenho filhos, e realmente não tinha grandes esperanças depois de presenciar a existência dos péssimos seuquencia e remake, Carrossel das Américas, e Viva as Crianças - Carrossel 2. Mas, já que a professora Helena nos ensinou que a esperança é a última que morre (e não estou acompanhando nenhuma série na segunda nesse horário), e entre TV Globinho e Patati Patatá fica evidente que as crianças brasileiras precisam de programas de qualidade, resolvi me arriscar.

Sério que precisava tocar a musica da abertura para pontuar cada fala dos pequenos? Meloso, e não funciona com o público alvo. Crianças de até 10 anos não lembram da música de abertura de uma novela dos anos 90. A atuação é característica de uma novela do SBT, e dispensa qualquer comentário. A abertura é uma graça com bonequinhos de papel.

O problema mais evidente é mesmo a direção de arte. Me digam onde a Escola Mundial do SBT fica? Pois é lá que vou matricular meus filhos um dia. Afinal, uma escola pública (que deve ser, já que Maria Joaquina ainda é a única aluna abastada da escola) com TVs nas salas, armários para os alunos, móveis e paredes super-coloridos, e tudo com cara de novinho em folha é raridade no Brasil.

Uma das coisas mais legais para quem tinha 7 anos, estava na 2ª série, e assistia Carrossel é que a escola deles parecia muito com a nossa apesar de ser baseada em um sistema educacional de um país estrangeiro. É verdade que a maioria de nossas escolas não tem aula de música, mas as paredes são simples. De preferência com tons pastéis para acalmar os "diabinhos", e parecem gastas assim como chão, que não tem uma nova cor a cada degrau.

Talvez o problema seja de nosso governos, que não cuidam das escolas e não da TV que quer criar uma perfeita. Seja como for é difícil acreditar que os cenários da novelam seja algo além disso, cenários. Lugares de mentira.

Contudo, a novela original teve cerca de um ano de duração. E considerando que o primeiro capítulo segue a história ao pé da letra, a emissora vai ter tempo de sobra para melhorar seu produto. O jeito é esperar para ver se o esforço original e seus possíveis ajustes vão encantar a geração do facebook.

Enquanto isso (e para ninguém dizer que apenas reclamo), uma oportunidade para minha geração matar a saudade e a curiosidade: uma reunião do elenco dos anos 1990 (que já era a 3º versão da novela) 15 anos depois.


P.S.: Que me desculpe a atriz mirim que escalaram, mas como assim a Maria Joaquina não é loira???

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top