quarta-feira, 30 de maio de 2012

Game of Thrones - fã de carteirinha! #3

Já que viciante segunda temporada de Guerra dos Tronos está chegando ao fim no próximo domingo (para tristeza de muitos), nada mais apropriado que postar outro vídeo de fãs de carteirinha. Na verdade um trio, fãs fieis afinal além de curtir a série (ou ao menos as partes que podem assistir, já que são crianças) Sophie Turner, Maisie Williams e Isaac Hempstead-Wright, trabalham nela. Interpretam respectivamente Sansa, Ayra e Bram Stark.

O vídeo é um dos extras do blu-ray da primeira temporada da série, já disponível no Brasil.



Game of Thrones - fã de carteirinha! #1
Game of Thrones - fã de carteirinha! #2
Leia Mais ››

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Keep Calm and Carry On

Não se espante com o título deste post. Este blog não virou um blog de auto-ajuda, muito menos um daqueles incentivadores cheios de mensagens inspiradas. Mas sim esse post é sobre a mensagem "Keep Calm and Carry on".

Na última enquanto criava o poster de "Keep Calm and Don't Forget Your Towel", para celebrar o Dia da Toalha, percebi que sabia quase nada sobre o poster que inspirou este, e tantas outras customizações encontradas na rede.

Pois um dos fenômenos "memísticos" da internet atual nasceu bem antes de sua grande difusora, embora já tivesse o mesmo objetivo, ser lido e inspirar os leitores. O cartaz com a mensagem "Mantenha a calma e continue", foi criado em 1939 pelo governo britânico. Distribuído em número limitado, seria usado para levantar o moral em caso de um desastre de guerra, era o início da 2ªGM.

De designer desconhecido o cartaz foi o terceiro de uma série de três. Os outros traziam as mensagens "Your Courage, Your Cheerfulness, Your Resolution Will Bring Us Victory" (Sua coragem, sua alegria, sua definição nos trará a vitória) e "Freedom is in Peril" (A liberdade está em perigo).


A mensagem foi redescoberta no sebo Barter Books na cidade de Alnwick, Inglaterra. Os donos não sabiam do que se tratavam, mas adoraram a mensagem, emolduraram e penduraram na livraria. Daí para o público descobrir sua história foi questão de tempo (e pouco).

Em domínio público, não demorou muito para o posteres e variações dele, em forma de camisetas, canecas, entre outros começarem a aparecer nas casas ao redor do mundo. Além é claro das bem humoradas versões compartilhadas, "twittadas", e "pinadas" diariamente.

O Brasil já possui até uma loja especializada no tema. E os fãs criativos, mas com poucas habilidades "photoshopísticas" podem até criar suas próprias versões automaticamente em um site.

Goste você da mensagem original, ou das versões século XXI, uma coisa é certa: os internautas não vão enjoar tão cedo. Então, mantenha a calma e continue espalhando a mensagem!
Leia Mais ››

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Dia do Orgulho Nerd - 2012

25 de maio, sexta-feira, e não é só "vida que segue", é  também o Dia do Orgulho Nerd!
Sim, meu caro, não iniciado nós nerds e geeks de todo o mundo temos um dia para chamar de nosso. E celebrar o direito que toda pessoa tem de ser um nerd.

A data foi escolhida em referência ao lançamento de Star Wars: Epsódio IV - Uma nova esperança, em 1977. Para comemorar publico aqui uma pérola que colecionamos durante o mês especial O Senhor dos Anéis, no blog DVD, Sofá e Pipoca.

Spock (Leonard Nimoy) cantando a Balada de Bilbo Baggins (o Hobbit, original). Tem como ser mais nerd? Saiba mais sobre o vídeo aqui. E logo abaixo tudo que você precisa saber sobre o Dia do Orgulho Nerd.


A primeira celebração aconteceu em alguns lugares da Espanha e na internet, em 2006. No ano seguinte a comemoração cresceu, alcançando todo o país, e ganhou vários eventos oficiais promovidos por várias instituições. Houve até doação de sangue nerd.

Em 2008 o Dia do Orgulho Nerd foi comemorado também nos Estados Unidos, divulgado por vários blogs e sites. Em 2009 alguns eventos (como este) comemoraram a data em terras brasucas. De 2010 em diante a data já faz parte do calendário de nerds e simpatizantes. Além das comemorações pelo mundo a fora, uma semana inteira foi dedivada ao Orgulho Nerd no blog DVD, sofá e pipoca. Aqui a data é celebrada desde 2009.

DIA DA TOALHA

No dia 25/05 também é comemorado o Dia da Toalha, em homenagen aos fãs da série O Guia do Mochileiro das Galáxias de Douglas Adams. Na saga vivida por Arthur Dent a toalha é equipamento especial de qualquer mochileiro, uma vez que é util nas mais diversas situações. Nesse dia é possível encontrar mochileiros previnidos carregando sua toalha nas ruas. Convenhamos, isso também é muito nerd!

Eis aqui o manifesto nerd (é claro que temos um!). Aparentemente não é necessário seguir todas as diretrizes para se considerar um nerd, adoramos a diversidade.


Direitos
  1. O direito de ser ainda mais nerd.
  2. O direito de não sair de casa.
  3. O direto de não ter um par romântico e de ser virgem.
  4. O direito de não gostar de futebol ou de qualquer outro esporte.
  5. O direito de se associar a outros nerds.
  6. O direito de ter poucos (ou nenhum) amigo.
  7. O direito de ter tantos amigos nerds quanto quiser.
  8. O direito de não ter que estar "no estilo".
  9. O direito ao sobrepeso (ou subpeso) e de ter problemas de vista.
  10. O direito de expressar sua nerdice.
  11. O direito de dominar o mundo.
Deveres
  1. Ser nerd, não importa o quê.
  2. tentar ser mais nerd do que qualquer um.
  3. Se há uma discussão sobre um assunto nerd, você tem que dar sua opinião.
  4. Guardar todo e qualquer objeto nerd que você tenha.
  5. Fazer todo o possível para exibir seus objetos nerds como se fosse um "museu da nerdice".
  6. Não ser um nerd genérico. Você tem que ser especialista em algo.
  7. Assistir a qualquer filme nerd na noite de estréia e comprar qualquer livro nerd antes de todo mundo.
  8. Esperar na fila em toda noite de estréia. Se puder ir fantasiado, ou pelo menos com uma camisa relacionada ao tema, melhor ainda.
  9. Não perder seu tempo em nada que não seja relacionado à nerdice.
  10. Tentar dominar o mundo!
Leia Mais ››

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Battleship - A Batalha dos Mares

Uma sequencia de cerca de 10 minuto, onde oficiais cantam as posições dos inimigos como em um tabuleiro de Batalha Naval, são os únicos momentos momentos que quase valem a pena em Batalha dos Mares. A premissa de como seria possível mapear o oceano com uma grande quadriculada é interessante, e nem soa inverosímel. Embora todo o cenário que leva a trama até este ponto pareça o auge da combinação clichê+furos.

A Nasa descobre um planeta semelhante a Terra em massa, atmosfera e distância do sol, e envia um sinal de "estamos aqui" a partir de um transmissor de Pearl Harbor. Depois, somos apresentados a Alex Hopper (Taylor Kitsch), um rapaz problema, que depois de aprontar com a filha do chefe do irmão, recebe um ultimado fraterno: tomar jeito e entrar para a marinha. Anos mais tarde ele já Tenente e participa de um encontro entre as marinhas dos EUA e Japão. E os aliens finalmente respondem ao sinal com uma visita nada amigável. É claro que a reunião e a "visita" acontecem ao mesmo tempo e no mesmo lugar, Peal Harbor.

Com certeza estadunidenses precisam desesperadamente superar o ataque dos Japoneses à Pearl Harbor, ocorrido em 1941. Mas colocar oficiais americanos e japoneses lutando lado a lado por uma causa maior, não ajuda. E muito menos, tem a carga dramática que eles tentam embutir nas cenas de "parceria". Escolha repetida e que não convence.

Já a ameaça maior, os alienígenas, são controversos. Vivem em um planeta semelhante ao nosso, resolvem tomar o nosso de assalto, mas não suportam o sol? Porque não tentaram invadir plutão então?

Já a trama repleta de personagens clichês (mocinho rebelde com potencial, oficial patriota e responsável, general durão, mocinha com pai general) é rasa desde o princípio, mas a partir do momento em que os agressores isolam a ilha, a coisa se perde de vez. Personagens desaparecem, táticas de batalhas e a geografia da região deixam de fazer sentido.

Assim acompanhamos o massacre de um barco e seus tripulantes apenas com o propósito de dar responsabilidade ao protagonista. Um núcleo de personagens em terra que pouco fazem para mover a história, para frente. A escalação de Lian Neeson, para fazer nada na história. Acantora pop Rihana apenas como alívio cômico falho. Além de um final bonitinho patriótico, politicamente correto e previsível.

E o que mais poderíamos esperar quando Holliwood decide trasnformar em um "Transformers na água", um jogo de tabuleiro sistemático e sem trama como Batalha Naval? (no Brasil o filme não ganhou o nome do jogo, pois os direitos de produção do brinquedo pertencem a Estrela, e o filme à Harsbro). Para quem não lembra, é aquele jogo onde escolhemos posições e um tabuleiro na tentativa de acertar os navios inimigos. Com perdão do trocadilho, mesmo se a trama não fosse rasa, ainda seria um tiro n'água!

Battleship - A Batalha dos Mares (Battleship)
EUA , 2012 - 131 min.
Ação / Ficção científica / Guerra
Leia Mais ››

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Embarque nesse...

Se você completou corretamente a frase acima caro leitor, provavelmente já tinha idade para assistir novelas no início da década de 1990. Época em que a rede do baú conquistou um feito inédito: bater a audiência do jornal nacional com uma novela mexicana infantil. É baseado nesse sucesso que o SBT aposta suas fichas na versão brasileira. E é aí que mora o perigo, não apenas para a audiência do canal, mas para a memória afetiva de toda uma geração.

Já vi essa situação acontecer antes, quando a Fantástica Fábrica de Chocolates de Tim Burton estreou nos cinemas. La estavam um bando de pais enchendo a cabeça dos filhos com as maravilhas que viram na primeira versão do filme. Com Burton deu certo, sua versão é tão boa (alguns diriam até melhor) quanto a original. Eis aí mais uma rara oportunidade de pais apresentarem a seus filhos uma coisa que curtiam,mais importante, e que era legal de verdade (quem teve a idéia de apresentar o irritante bate-bate para a petizada?).

Eu não tenho filhos, e realmente não tinha grandes esperanças depois de presenciar a existência dos péssimos seuquencia e remake, Carrossel das Américas, e Viva as Crianças - Carrossel 2. Mas, já que a professora Helena nos ensinou que a esperança é a última que morre (e não estou acompanhando nenhuma série na segunda nesse horário), e entre TV Globinho e Patati Patatá fica evidente que as crianças brasileiras precisam de programas de qualidade, resolvi me arriscar.

Sério que precisava tocar a musica da abertura para pontuar cada fala dos pequenos? Meloso, e não funciona com o público alvo. Crianças de até 10 anos não lembram da música de abertura de uma novela dos anos 90. A atuação é característica de uma novela do SBT, e dispensa qualquer comentário. A abertura é uma graça com bonequinhos de papel.

O problema mais evidente é mesmo a direção de arte. Me digam onde a Escola Mundial do SBT fica? Pois é lá que vou matricular meus filhos um dia. Afinal, uma escola pública (que deve ser, já que Maria Joaquina ainda é a única aluna abastada da escola) com TVs nas salas, armários para os alunos, móveis e paredes super-coloridos, e tudo com cara de novinho em folha é raridade no Brasil.

Uma das coisas mais legais para quem tinha 7 anos, estava na 2ª série, e assistia Carrossel é que a escola deles parecia muito com a nossa apesar de ser baseada em um sistema educacional de um país estrangeiro. É verdade que a maioria de nossas escolas não tem aula de música, mas as paredes são simples. De preferência com tons pastéis para acalmar os "diabinhos", e parecem gastas assim como chão, que não tem uma nova cor a cada degrau.

Talvez o problema seja de nosso governos, que não cuidam das escolas e não da TV que quer criar uma perfeita. Seja como for é difícil acreditar que os cenários da novelam seja algo além disso, cenários. Lugares de mentira.

Contudo, a novela original teve cerca de um ano de duração. E considerando que o primeiro capítulo segue a história ao pé da letra, a emissora vai ter tempo de sobra para melhorar seu produto. O jeito é esperar para ver se o esforço original e seus possíveis ajustes vão encantar a geração do facebook.

Enquanto isso (e para ninguém dizer que apenas reclamo), uma oportunidade para minha geração matar a saudade e a curiosidade: uma reunião do elenco dos anos 1990 (que já era a 3º versão da novela) 15 anos depois.


P.S.: Que me desculpe a atriz mirim que escalaram, mas como assim a Maria Joaquina não é loira???

Leia Mais ››

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Problemas de Garotas Nerds

Ser nerd está na moda, verdade! Mas ser uma garota nerd ainda é complicado, afinal muitos os rapazes acham que você é "poser" e só lê Guerra dos Tronos porque está na moda. A moda segue a novela das 8h (que passa as 9h), suas amigas não nerds não pegam as referências das coisas que você consome. E, claro, muita gente ainda acha que quadrinho, video-games e afins e coisa de menino, logo se você curte deve ser estranha.

Difícil né! E olha quem nem mencionei aqueles problemas que todos os nerds (meninos e meninas) enfrentam. Como a impossibilidade de consumir tudo que gostaria, por motivos financeiros e de tempo. Pensando nisso o "Nerd Girl Problems" começou a enumerar esses problemas nerdísticos femininos, e a conta já foi longe.

E já que padeço desses mesmos problemas, nada mais justo que publicar um ou outro por aqui.

#279 - Todos pensam que você é estranha por ter um detalhado plano de sobrevivência ao s Zumbis. 
Não entendem que estar preparado é importante!


#284 - Você da nomes inspirados em Star Wars aos seus bichinhos de estimação, mas ninguém entende a referência.
Bota o nome de um personagem do Zorra Total pra ver se alguém faz aquela cara de não entendi? Se bem que não sei o nome de nenhum personagem desse programa.


Leia Mais ››

domingo, 13 de maio de 2012

Ser mãe é...

Tirinha dos Proféticos diz o que é ser mãe, embora a gente saiba que elas são mais!!! Vai dizer que a sua não é assim?

Feliz Dia das Mães!


Leia Mais ››

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Como Agarrar Meu Ex-Namorado

Filme de Katherine Heigl (a doutora modelo de Greys Anatomy), com o título Como Agarrar Meu Ex-Namorado. Deve se tratar de uma "comédia-romântica-clichê", das quais a loira já fez várias certo? Errado!

Baseado no livro homônimo de Janet Evanovich, primeiro de uma série de 17 volumes, conta a história de Stephanie Plum (Katherine Heigl) uma ex-vendedora de lingerie que ao fracassar em arrumar um novo emprego decide se tornar caçadora de recompensas. Seu primeiro caso: um ex-namorado (Jason O'Mara, de Terra Nova) que nunca ligou de volta, ex-policial acusado de assassinato.

É, a sinopse ainda soa como uma comédia romântica, mas ao invés da dinâmica "a gata e o rato", o filme segue a linha policial. Colocando Stephanie como detetive em uma primeira missão que mais parece um curso de detetive express, já que a moça inexperiente a linha correta de investigação que nenhum dos detetives profissionais da polícia (que também não é essas coisas), e passa de atiradora iniciante, para "mira perfeita" em poucos dias e quase sem praticar. Non sense!

Cheio de reviravoltas forçadas o filme surpreende mesmo é pelo fato de não seguir a linha romântica. Afinal a moça só escolheu o caso para se vingar do ex, desde o início a indícios de que o rapaz está sendo acusado injustamente (ops spoiler! ah, mas você também já imaginava), e até o poster tem o estilo leve de uma comédia. É de se esperar que o romance vire a motivação cedo ou tarde. Mas o romance não acontece, e quando ficamos surpresos com mortes ou explosões não é exatamente mérito do roteiro. É poque estamos esperando o filme virar uma comédia romântica a qualquer minuto.

O elenco ainda tem John Leguizamo e Debbie Reynolds como coadjuvantes de luxo em um filme que não decide a que veio. O problema foi a tentativa de transformar os romances policiais em um "produto feminino", como se mulheres não gostassem de histórias de detetive, ou não fossem capazes de acompanhar tramas complexas e sem musiquinhas alegres no final (aqui é Brighter Than The Sun de Colbie Caillat).

Como Agarrar Meu Ex-Namorado (One For The Money)
EUA - 2012 - 91 min.
Comédia / Policial / Romance


Leia Mais ››

terça-feira, 1 de maio de 2012

Os Vingadores - The Avengers

Admito que tenho certo receio sempre que um filme que gera muita expectativa está por estrear. E como houve expectativa para a união dos maiores heróis da Terra nas telonas. Criando seu universo no cinema com filmes solo dos heróis, a Marvel deixou na expectativa em leitores e leigos, nerds ou não. Difícil mesmo é atender a essa demanda.

Quando Loki (Tom Hiddleston), irmão de Thor decide tomar a Terra para si, a S.H.I.E.L.D. decide que é hora de reunir seus "prodígios" para salvar o planeta, a tarefa é claro fica a cargo de Nick Fury (Samuel L. Jackson). O único problema é que equipes não são formadas por convocação, especialmente com personalidades tão diferentes. Logo, Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth), Hulk (Mark Ruffalo), Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) gastam mais da metade do filme acertando os ponteiros.

Assim temos grandes embates entre grande poderes intercalados por boas discussões e seguidos por um grande clímax. Tudo bem executado, com espaço razoável de tela para cada um de seus protagonistas e fidelidade aos quadrinhos. Se isso já é parte do que os fãs desejam, o enredo ser coerente completa o pacote. A trama equilibra a tecnologia de Homem de Ferro, o realismo (nível herói, claro) de Capitão América e as várias dimensões de Thor de forma crível.

Downey Jr, cada vez mais confortável como Tony Stark ganha as melhores piadas, mas não "rouba" o filme como muitos imaginaram. Mesmo, os agentes Coulson (Clark Gregg) e Maria Hill (Cobie Smulders)tem sua função. A surpresa ficou a cargo do Hulk, criado através da técnica de captura de movimento, ganha seu terceiro intérprete nos cinemas, Mark Ruffallo, e com ele muito mais carisma. Tanto os diálogos entre o cientista e Stark, quanto as sequencias de luta do monstro verde são impagáveis.

O único grande problema é a necessidade de conhecer os outros filmes da franquia. Não é imprescindível, mas conhecer as histórias separadas facilita bastante na hora do quem-é-quem e seus respectivos motivos e atitudes.

Eficiente, divertida e bem sucedida, a iniciativa inédita e ousada da Márvel em criar franquias que se comunicam. Até o 3D funciona bem. Não vai mudar vidas, mas certamente atende, para alguns até supera, às expectativas. E o que mais poderíamos pedir?


Os Vingadores - The Avengers (The Avengers)
EUA - 2012 - 142 min.
Ação
Leia Mais ››
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top