terça-feira, 24 de janeiro de 2012

2 Coelhos

- O certo é "cajadada".
- É "caixa d'água".
- Não, é "cajadada"...

Desde o trailer 2 Coelhos incita discussão. Seja pela forma correta da expressão que inspirou seu título, pelo gênero pouco produzido no cinema brasileiro atual, pela inspiração nas produções de ação estadunidense, pelos inusitados estilos de linguagem ou pela crítica social e política que carrega em sua trama.

Edgar (Fernando Alves Pinto) tem um intrincado plano, que envolve vários personagens que são apresentados aos poucos, assim como a trama por uma constante narração do protagonista. Júlia (Negrini) uma funcionária da promotoria e seu marido advogado Henrique (Villa Lobos), ambos corruptos, como o deputado Jader (Marchese). Maicom (Descartes) o bandido, e o misterioso e melancólico professor universitário Walter (Ciocler).

E isso é o máximo que podemos dizer sem entregar a intrincada trama, que só vai total fazer sentido ao fim do filme. Embora, deixe uma forte sensação de que Edgar poderia alcançar o mesmo objetivo por caminhos menos labirínticos. Mantém o cérebro do expectador funcionando em busca da resposta por toda projeção o que compensa, qualquer insatisfação com o final.

Falso documentário, intervenções gráficas, efeitos fantásticos, elementos de video-clipe, video-game, publicidade, narrativa não linear e os (supra-mencionados) efeitos especiais indicam a intenção do filme em ser uma obra contemporânea. A linguagem ágil, e cheia de intervenções é feita sob medida para expectadores que consomem constantemente uma quantidade gigantesca de informações, oriunda dos mais diferentes meios de vários lugares, e que nem sempre seguem uma ordem lógica. Sim, o filme traz alguns exageros, e sequencias cuja necessidade é duvidosa, mas já consumimos erros muito maiores por aí. Além disso, é impossível acertar todo o tempo.

O elenco afinado, incorpora perfeitamente às personagens ambíguas, onde todos são mocinhos e bandidos até que se prove (ou não) o contrário. Dão coerência ás críticas sociais e políticas que o roteiro carrega.

2 Coelhos não é intrigantemente original, mas é o suficiente para manter o expectador ocupado. Merece aplausos por não insultar a inteligência do expectador e por tentar trazer algo de novo para o cinema nacional, viciado em comédias bobas e biografias.

E só para constar, a expressão correta é: matar 2 coelhos com uma cajadada só!

2 Coelhos
Brasil - 2011 - 106 min.
Ação / Policial

0 comentários:

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top