quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Gato de Botas

Talvez fosse apenas para deixar o Burro morrendo de inveja, mas o Gato de Botas ganhou um filme solo no cinema. Um longa de origem para ser mais exata, que explica não apenas de onde vem todo seu charme latino, mas também sua má fama.

O Gato (Antônio Bandeiras) está com a cabeça à prêmio pois foi traído por seu, outrora, melhor amigo. Quando Humpty-Dumpty (Zach Galifianakis) reaparece com a pista de onde conseguir os feijões mágicos da história de João e o Pé de feijão, o Gato aceita a parceria com o ex-amigo para finalmente limpar seu nome. Junta-se a eles Kitty Pata Mansa (Salma Hayek), uma habilidosa gata com talento para o roubo. O plano é recuperar os feijões Jack & Jill (Billy Bob Thornton e Amy Sedaris), subir pelo pé de feijão até o castelo do gigante para ter acesso a gansa dos ovos de ouro.

Se esperava ver coadjuvantes de Shrek passeando por este longa desista. O Gato tem história completamente independente das aventuras do ogro. Nada mais coerente afinal, embora se passe no mesmo universso fantástico história acontece muito antes dos eventos do segundo filme do ogro, onde ele e o felino se conhecem. A não ser pelo protagonista todas as personagens são novas. Nessa independência que reside o melhor e o pior da franquia.

Sem amarras a franquia de onde foi derivado, o filme dá espaço a história do gato e suas inúmeras possibilidades. Dando a nova franquia (ou  você duvida que haverá um Gato 2?), um fôlego que Shrek perdera lá pelo terceiro longa. O gato tem um estilo mais próximo do faroeste, que do conto de fadas. E claro a "pegada latina", de seu protagonista prevalece na atmosfera.

A parte ruim é exatamente a escolha das personagens coadjuvantes, ao menos para nós brasileiros. O problema é que personagens como Humpty-Dumpty, e Jack e Jill, não são tão populares quanto Branca de Neve, ou Merlin. Logo, perdemos mais tempo tentando entender "o que" é Humpty-Dumpty*, que criando empatia pela personagem. O que é crucial para nos interessarmos pela trajetória de amor e ódio entre ele e o Gato.

Salva-se aí, a personagem interpretada por Salma Hayek. A química entre os felinos, é perfeita. Tão boa que é impossível não se perguntar: onde estava Kitty durante as aventuras em Shrek?

Que a Dreamworks domina a tecnologia que usa, não é novidade. Logo não é surpresa, mas satisfação, a qualidade técnica do longa. O realismo visual e de movimento das personagens é impressionante, e deve ficar ainda melhor na tecnologia 3D. 

O Gato de Botas, não é a grande surpresa do ano. Não vai ganhar o Oscar de animação. Mas é um ótimo novo caminho para uma amada, e estilosa personagem. Se mantiver a qualidade, e o charme, vamos adorar acompanhar. Pobre coitado do Burro!

Gato de Botas (Puss in Boots)
EUA , 2011 - 90 min.
Animação / Aventura

*Para quem não sabia, assim como a blogueira que vos escreve, Humpty Dumpty é uma personagem do folclore anglo-saxão, descrito como um ovo antropomórfico. Ele aparece em diversas obras da literatura como Alice através do Espelho de Lewis Carol. 


7 comentários:

Giselle de Almeida disse...

Sabe que eu não gostei? Saí decepcionadíssima do cinema...

Fabiane Bastos disse...

PQ?

Gostei bastante, mas quando voltei para casa tive que pesquisar quem eram Jack & Jill e Humpt Dumpt, hehehe

Giselle de Almeida disse...

Achei o roteiro sem charme e sem pé nem cabeça. Juro, quase dormi! Esperava bem mais do gato...

Ah, e graças a você eu descobri quem são esses personagens. Não fazia ideia de quem eram! ahahaha

Fabiane Bastos disse...

Disponha! hehe

Anônimo disse...

coitado né do humpt dampt ele morre no final coitado

Anônimo disse...

Eu achei o Filme legal, muito bom. Ah o que mais gostei que tem um colega meu de serviço chamado andré lacerda que é a cara deste tampinha sem pescoço ai kkkkkkkk

Anônimo disse...

Esse ovo é a cara d Rogério Maciel o cabeçudo kkkk

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top