quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Conan - O Bárbaro

O jovem Conan foi o único sobrevivente do massacre que dizimou seu povo. Desde então resolveu dedicar a sua vida a vingança ao responsável pelo massacre. Tarefa difícil, uma vez que nem o nome do malfeitor era conhecido. Apenas quando adulto Conan (Jason Momoa), reencontra seu alvo: Khalar Zim (Stephen Lang, o vilão de Avatar). Que com a ajuda de sua filha, uma bruxa, busca o poder para trazer de volta sua esposa, também feiticeira.

Embora tenha assitido ao longa original com Arnold Schwarzenegger, em uma sessão da tarde qualquer quando criança, admito: não lembro do filme o suficiente para uma comparação. Fato que talvez ajude a analisar este com mais imparcialida, ou atrapalhe tudo de uma vez.

De histórias de vingança o cinema está cheio, inteligente Conan reserva para este boas cenas de luta e mortes criativamente violentas. Mas essas cenas apenas não fazem um filme, e embora Momoa acerte no carisma, o roteiro genérico e os elenco de apoio não ajudam.

Adequável a qualquer personagem, o roteiro não confere ao herói uma identidade. Conan é um bárbaro excepcional, leal aos amigos, bom com os indefesos e implacável com os vilões. Como dezenas de outros guerreiros excepcionais que as fantasias tem nos provido nos últimos anos.

Enquanto isso seus caricatos oponentes se esforçam para amedrontar por baixo da exagerada maquiagem. Apresentando as pressas o conceito de magia  que é pobremente explorado, principalmente quando serve apenas para incrementar cenas de luta. Impossível não se incomodar com o duelo ruim, contra os mal feitos homens de areia.

Os vilões só não se saem pior que a mocinha.a sacerdotisa Tamara (Rachel Nichols, precisando de tempero) aparece de repente na trama, e ganha uma importância que pedia melhor apresentação, para assim torcermos por ela.

Uma pena, para a legião de fãs de Conan, para os vários possíveis futuros fãs, e para quem curtiu o bárbaro Kharl Drogo vivido por Momoa em Game of Thrones. O novo, Conan - O Bárbaro tentou se adequar ao mercado, e perdeu em personalidade. Desperdiçando assim a oportunidade de apresentar uma nova mitologia aos mais jovens, que vão esquecer do filme assim que deixarem a sala escura.

Conan - The Barbarian
EUA , 2011 - 112 min.
Ação / Fantasia


2 comentários:

Giselle de Almeida disse...

Eu vou esperar esse filme chegar em DVD e vou assistir no mudo. Basta só ver Khal Drogo! hehehe

Fabiane Bastos disse...

Khal Drogo da de 10 nesse Conan! Pena q a Khalisee (escreve assim?) era uma boba!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top