sexta-feira, 29 de abril de 2011

Desvalorização Real

Muitas pessoas já devem ter feito essa piada por aí, mas para não dizerem que não falei do casório...

...será que agora o selo dela, valoriza? Precisa ser mais caro não, no mesmo preço já tá bom!

Versão divertida do casamento! 
Para a sua sexta feira terminar tão animada quanto a festa do casal real.

Leia Mais ››

quinta-feira, 28 de abril de 2011

HP 7.2 - Aumentando a ansiedade!

Hoje eu publicaria um criativo guia interativo de Thor, que estreia amanha, disponivel em seu site. Mas uma força maior me fez mudar de idéia - Aí Thor, perdeu!

E começa a campanha viral para ampliar infinitamente a expectativa dos pottermaníacos. Aproveitem a ultima chance de ficar na maior ansiedade.

Primeiro trailer de Harry Potter e as Relíquias da Morte - parte 2.

Harry Potter 7.2 estréia dia 15 de Julho, com cópias em 2 e 3D.
Leia mais sobre Harry Potter.
Leia Mais ››

terça-feira, 26 de abril de 2011

O Mistério da Estrela - Stardust

O vilarejo de Muralha ganhou esse nome por ser cercado por um enorme muro, que o separa de uma terra misteriosa. O transito entre os lados do muro é proibido. A unica ligação entre os mundos é fenda no muro, vigiada constantemente por dois guardas. A cada nove anos, uma exceção a regra é aberta durante uma aguardada feira, nas proximidades do muro no lado oposto ao do vilarejo.

É durante uma dessas feiras que o protagonista da história foi concebido, quando seu pai Dustan conheceu uma moça feita escrava por uma vendedora de flores de vidro. Nove meses mais tarde um cesto com um bebê e um bilhete escrito -  Tristan Torn -  foi deixado na fenda, e o rapaz cresceu no vilarejo de Muralha, sem saber de sua origem. Aos 17 anos Tristan, é apaixonado por Victória Forester, a garota mais bela do vilarejo. E lhe promete uma estrela que acabara de cair caso, a moça o aceite como marido. Victória aceita a barganha, enviando Tristan em uma jornada, cujo primeiro desafio é atravessar a muralha.

Se você desconfiou que uma terra mágica, estava protegida pelo muro acertou. Reis, príncipes,  princesas, bruxas, duendes, unicórnios, piratas tornam a aventura mágica a partir daí. E a maior surpresa delas é a própria estrela que ali tem a forma de uma mulher.

 A história ainda envolve ainda uma disputa pelo trono da Fortaleza das Tempestade, que será do príncipe que primeiro encontrar uma jóia jogada aos céus pelo rei moribundo. E bruxas obcecadas pela beleza que buscam na estrela a solução para sua velhice.

A nada curta sinopse deste livro, apresenta um conto de fadas tradicional, com ritmo e estilo original. Normalmente é rotulado como "conto de fadas para adultos", por causa de passagens mais violentas. O Estilo assemelha-se a os contos de fadas originais, antes de serem "suavizados" por Disney e sucessores.

Os personagens, ricos em camadas, não são infinitamente bons ou totalmente maus. É verdade, eles pendem para um lado ou outro, mas são passíveis das falhas, erros, e motivações humanas. O que torna as relações infinitamente mais interessantes, assim como o resultado delas.

A narrativa espalha encontros em embates ao longo do livro. Evitando aquela sensação de que tudo acontece no fim, após uma longa jornada leve. Em o Mistério da Estrela, está sempre ocorrendo um grande encontro, embate ou descoberta. Esse o desenrolar, torna o clímax da história um pouco morno, afinal muitas coisas foram resolvidas durante a viagem.  Mas nada prejudicial, já que a aventura e fantasia é constante.

Foi adaptado para o cinema em 2007, com Claire Danes, Robert De Niro, Michelle Pfeiffer, Charlie Cox no elenco. Algumas boas alterações para que a história funcionasse na tela, transformou Mistério da Estrela, em um caso raro em que livro e filme, não disputam pela qualidade. Nada de afirmar: o livro/filme é melhor. Ambos são bons, mas diferentes.

O Mistério da Estrela - Stardust
Neil Gaiman
Rocco
Leia Mais ››

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Ultimas Ceias

Leonardo DaVinci pintou sua L'Ultima Cena (A Última Ceia) no refeitório do Santa Maria delle Grazie em Milão, entre 1495-1497. De lá para cá, a pintura enfrentou diversas agressões, da abertura de uma porta, bem no meio dela, até os bombardeios aéreos na Segunda Guerra Mundial.

Resistindo ao tempo, a agressões externas, e até a engordurada atmosfera de um refeitório, chegou aos nossos tempos como principal representação da conhecida passagem cristã. E como qualquer ícone dos nossos tempos, é copiado, referenciado, alterado à exaustão. Os campeões de cópias da obra de DaVinci, são os cartoons e os fast-foods (em especial aquele de um certo palhaço. Meus favoritos são as versões de House e Bones para a refeição.

Confira abaixo 36 versões da ultima ceia que podemos encontrar na rede:
Leia Mais ››

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Fúria Sobre Rodas

Nicolas Cage precisa de um hobbie, ou está endividado até o pescoço. Só assim para explicar a enorme quantidade de longas com o astro previsto para 2011. Dois já foram, Caça às Bruxas e Fúria sobre Rodas, e ao menos outros dois deve estar por vir Trespass e The Hungry Rabbit Jumps. Quando se faz tantos filmes de uma só vez, não é de se admirar que alguns deles não faça o menor sentido.

Milton (Nicolas Cage), estava cumprindo pena quando sua filha foi assassinada por uma seita satânica. De volta ele tem apenas três dias para resgatar sua neta do sacrifício. Durante a missão conhece Piper (Amber Heard), uma garçonete durona que se envolve na briga e é obrigada a embarçar na missão ao lado de Milton. Para completar a correria o avô dedicado faz tudo isso sendo perseguido por um contador (William Fisher), que deve leva-lo de volta a sua vida de penitência.

Não se engane pelo título de filme de corrida. Fúria Sobre Rodas (Drive Angry, no original) está mais próximo de Sobrenatural, que de Velozes e Furiosos. A explicação para o nome? A placa do carro que leva Cage em sua jornada tem a inscrição Drive Angry, ao invés de números

Entretanto, se curte corridas de carro, tiroteios e explosões não precisa ficar triste. O longa tem tudo isso e em 3D! O road-movie de perseguição trash-sobrenatural de ação, parece não ter decidido muito a que veio. Mas veio, com jeitão de video rock dos anos 1980, para ter estilo. Loira de shortinho falando palavrão, para estimular a testosterôna na sala. E com o protagonista com nome de autor de poéma épico (John Milton - O Paraíso Perdido), para parecer inteligente.

Completa com um mistério-obvio (daqueles que a maioria saca de primeira) sobre o passado da personagem principal e pode vender! Sem se preocupar, com coerência ou lógica. Preocupação é para os fracos!

Sim. É possivel se divertir com Fúria Sobre Rodas, afinal tem explosões (existem programas que só mostram isso), lutas, perseguições. O segredo é fazer como Cage em seus últimos longas, não levar nada muito a sério e se divertir, sem grandes (ou mesmo pequenas) exigências.

    Fúria Sobre Rodas (Drive Angry)
    EUA , 2010 - 104 minutos
    Ação
    Leia Mais ››

    segunda-feira, 11 de abril de 2011

    Rio

    Após pré-estréias especiais na cidade titulo, com direito a presença de astros de Hollywood Rio finalmente pode ser assistido pelos cariocas, paulistas, capixabas..., enfim por todo o Brasil. Afinal, a animação estreou em 1000 cópias, ocupando metade das salas do país.

     No início de Rio dezenas de aves, de todas as cores e tamanhos, cantam e dançam com o Pão de Açucar ao fundo. Um filhote de ararinha azul observa animada a agitação com seus enormes e fofos olhinhos curiosos. Mas antes que possa se juntar a festa, a alegria é interrompida por contrabandistas de aves. Um problema com caminhão de transporte depois e Blu (Jesse Eisenberg, A Rede Social) vai parar a fria Minessota, onde é encontrado por Linda (Leslie Mann). Muinto bemtratado pela moça, Blu vive quase como humano. Adora chocolate quente e nunca aprendeu a voar. Linda por sua vez não tem amigos, muito menos relacionamentos, com humanos. É quando o cientista Túlio (Rodrigo Santoro), os encontra que a história começa. 

    Em prol da preservação da espécie, Linda e Blu aceita a proposta de Túlio. Os três viajam ao Brasil, para salvar a espécie. Blu, o ultimo macho da espécie deve acasalar com Jade (Anne Hataway) ultima fêmea da espécie. Mas a noite rômantica (se é pode-se chamar assim), é interrompida por contrabandistas de armas que roubam o casal, os levam para a favela antes de executar um "plano infalível", a lá Cebolinha, para tira-los do país. É claro, que o incompatível casal vai se conhecer melhor durante a fuga dos bandidos, além de visitar vários cartões postais da cidade e conhecer a fauna carioca.

    Com personagens extremamente carismáticos, o longa está mais próximo da aventura que da comédia. Acompanhamos a descoberta do romance entre os protagonistas, o amadurecimento de Blu. As aventuras de Linda, ao lado de Túlio pela cidade, uma vez que seu filhote, mesmo que de forma forçada, finalmente abandonou o ninho. E até a redenção do menino que ajudava os contrabandistas (Jake T. Austin). Enquanto o drama se desenrola, personagens de apoio tão carismáticos quanto os protagonistas fazem graça e muita música para a platéia.

    Divertido e inteligente, a narrativa é conduzida com perfeição. Intercalando a fuga de Blu e Jade com a busca de Linda e Túlio pelas aves, mostra os humanos como reflexo dos animais, tanto em suas aventuras, quanto no romance. A simetria é divertida e rende ótimas cenas de ação que inclui moto-cross pela favela, e alta velocidade com carros alegóricos!

    A trilha sonora é uma atração a parte, misturando música interpretada pelos personagens e musicos de renome como Sérgio Mendes e Ivete Sangalo. Will.I.Am. e Jamie Fox interpretam muitas das canções, além de darem vida a Pedro e Nico respectivamente. Dois divertidos passaros que ajudam Blu e Jade em sua jornada. 

    Visualmente impecável, o Rio não podia escolher tecnologia melhor para representar suas belezas naturais, e artificiais. Abusando dos cartões postais da cidade reproduzidos com realismo incrível, dos bondinhos de Santa Teresa, passando pelo vôo de asa-delta da pedra bonita, até o sambódromo (é claro que o filme se passa durante o carnaval, né! E tenho quase certeza: o desfile de carnaval era de Paulo Barros!).

    Pois é esse "é claro que o filme se passa durante o carnaval", o único ponto fraco do longa. Realizado pelo brasileiro Carlos Saldanha (A Era do Gelo) a grande expectativa era por um longa que fugisse aos eteriótipos: samba, futebol e praia. Rio reforçar todos eles! O menino, que ajuda os bandidos, é orfão,  negro e vive na favela. Todos se vestem com plumas e paêtes durante a festa, e perdem a cabeça ao ouvir o samba ou param o que estão fazendo para contemplar um gol. Afirmar que não gosta do ritmo? Um choque para os personagens cariocas! 

    Não que as crianças, o grande público do filme, e alguns dos adultos se importem com isso! Mas seria ótimo, se para variar, o filme fugisse a regra. É verdade Saldanha não vive o cotidiano do brasileiro a duas décadas, e por isso, pode ter esquecido como são as coisas por aqui. Contudo, não acredito que deva-se culpar apenas o diretor pela representação caricata da cultura brasileira, uma vez que os roteiristas são todos estrangeiros. E mesmo bem sucedido, Saldanha não conseguiria vender aquilo que os "gringos", não quisessem comprar. Eles querem o Rio exótico, mesmo repetitivo e fora da realidade. 

    Além disso, quando afirmam que o longa deveria mostrar mais que carnaval, futebol,  praia e (nossa ultima inclusão turística) favela, não posso evitar pensar. Mostrar mais o que? O que é tão exclusivo, e com tanto apelo público além dessas coisas? Não adianta nada exportar algo que exista lá fora. Não vai vender! Mesmo irreal, exagerado e cansativo não lembre de nada que venda mais que aquilo que estamos vendendo. Embora, eu não consiga entender a "favela" como produto de exportação. 

    Quanto ao menino da favela: de que outra forma ele se envolveria com contrabando de animais? É negro? Oras, se nenhum dos personagens fosse também alegariam racismo. Complicado, não?

    Então, lembrei de assistir no Cinema em Casa (a Sessão da Tarde do SBT), a um filme chamado Lambada - a Dança proibida, onde uma princesa índia brasileira (interpretada pela ex-Miss EUA, Laura Harring), viaja ao exterior para impedir a destruição da floresta tropical por uma multinacional. A moça de uma brancura européia falava fluentemente a língua estadunidense, e salvou a floresta executando uma misteriosa dança dos nativos da terra: a lambada! Mencionei o curandeiro que usa picadas de cobra para curar pés torcidos? Nem preciso explicar que eu achava que o longa era uma comédia. Mas perto dele o longa de Saldanha é de uma precisão incrível!

    Foi então que percebi, que assim como o Cinema em Casa que me fazia rolar de rir, Rio não é para ficar analisando. Como os personagens sugerem todo o tempo, e as crianças aceitam de primeira, devemos admirar a vista, sentir a música e curtir a viagem, pois vale a pena!

    Rio
    EUA - 2011 - 96 min.
    Animação
    Leia Mais ››

    quinta-feira, 7 de abril de 2011

    2 minutos em Rio!

    Esquentando os tamborins!
    A estréia nacional é nessa sexta (08/04).


    Dirigido pelo carioca Carlos Saldanha (A Era do Gelo 3), Rio acompanha Blu, uma arara azul nerd, em sua viagem à cidade maravilhosa, para perpetuar a espécie. No elenco Jesse Einsenberg, Anne Hataway, Rodrigo Santoro, Will.I.Am, e Jamie Fox.
    Leia Mais ››

    segunda-feira, 4 de abril de 2011

    Sucker Punch - Mundo Surreal

    É muito provável que você encontre um excesso de imagens ilustrando este post, se comparado com minhas outras resenhas. O motivo é simples: Sucker Punch me fisgou pelo visual, e todos sabem, uma imagem fala mais que mil palavras!

    O visual foi a isca perfeita, mas não é tudo que o primeiro longa auoral de Zack Snyder oferece. Babydoll (Emily Browning, a Violet de Desventuras em Série) é confinada em um hospício por seu ambicioso padastro (Gerard Plunkett), que de tão malvado ainda paga um "extra", para realizarem uma lobotomia na garota. Tendo apenas cinco dias até que o médico responsável pelo procedimento (John Hamm) chegue, a garota cria um mundo fantasioso e nele um plano para escapar. Com a ajuda de quatro amigas, Rocket (Jena Malone), Sweet Pea (Abbie Cornish), Amber (Jamie Chung), e Blondie (Vanessa Hudgens), vai coletar os itens que vão possibilitar sua fuga.

    A ação se passa em 6 mundos diferentes. O mundo real, onde o cinza e a palidez dos personagens toma conta e de onde nos despedimos assim que possível. O bordel, estilo Moulin Rouge onde Baby projeta sua fuga. E os campos de batalha onde vão executar seu plano, uma versão estilizada da Primeira Guerra, o Japão feudal, uma fantasia medieval, e um futuro tecnológico. Todos bem distintos visualmente, pode-se dizer que do ponto de vista da produção de arte são filmes diferentes.

    Emoldurados por números musicais, essas missões em outro mundo são embaladas por uma musica caprichada, que potencializa a ação e emoção das batalhas, muitas delas versões de músicas conhecidas. Existem ainda faixas interpretadas por Browning,Oscar Isaac (que interpreta o enfermeiro-chefe do hospício/diretor do bordél) e Carla Gugino (Madam Gorsk,i psicóloga/coreógrafa do bordéu).

    As cenas de ação, já seguem um estilo característico do diretor. Ângulos inusitados e muita, muita câmera lenta. É provavel que se fossem exibidas em velocidade normal o filme perdesse cerca de 30 minutos de sua projeção.

    Garotas em roupas justas empunhando armas, e realizando números de dança (que só vão estar disponíveis na íntegra em DVD), o tornam um filme "para meninos". Muitas pessoas diriam machista, entretanto ao mesmo tempo que o diretor coloca seus fetiches na tela (as roupas das moças revela,estereótipos da fantasia masculina, colegial, enfermeira, empregada francesa...), também dá a elas as armas, coragem e atitudes necessárias para chutar os traseiros de quem ousar chama-las de mocinhas. Puro Girl Power!

    Fruto legítimo da era das referências em que vivemos, é aqui que se encontra a maior diversão do longa. Encontrar referências não apenas entre os mundos, real, bordel e campos de batalha, mas também oriundas da cultural pop mundial. Dragões, orcs, samurais, filmes de guerra, bombas a serem desarmadas, musicais e até meca-zumbis, tem de tudo em Sucker Punch. Para quem curte, um ou mais gêneros, ou mesmo cultura pop em geral é diversão na certa. Entretanto, o mais curiosos é perceber que o primeiro longa original de Snyder, talvez tenha mais referências que seus longas anteriores, (A Lenda dos Guardiões, Watchmen - O Filme, 300, Madrugada dos Mortos) todos refilmagens ou adaptações, juntos.

    Sucker Punch - Mundo Surreal (Sucker Punch)
    EUA/Canadá - 2011 - 110 min.
    Ação / Fantasia / Ficção científica

    Leia Mais ››
     
    Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
    Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
    back to top