sábado, 31 de dezembro de 2011

2011 em filmes

O último dia do ano chegou. E embora esta blogueira que vos escreve ainda tenha algumas resenhas de 2011, já podemos fazer uma retrospectiva cinematográfica de 2011. Tarefa que o pessoal da genrocks faz muito bem.

Eis a lista, em vídeo, com 230 lançamentos (a maioria blockbusters) deste ano. Vale lembar que muitos destes filmes só estreiam em terras brasucas em 2012, outros foram, ou irão, direto para o home-video, e cinema nacional nem pensar. Ainda assim é divertido à beça!

Feliz 2012!

E aí, quantos você viu?


Lista de filmes - Apollo 18 - The Tree of Life - Melancholia - Hugo - Warrior - The Whistleblower - Shame - Margin Call - Beginners - Soul Surfer - Extremely Loud and Incredibly Close - I Am Number Four -  Priest -  My Week With Marilyn - Another Earth - Unknown - Hanna - Green LanternSuper 8 -  Immortals -  The Big Year -  The Rite -  Prom - Source Code -  Limitless - In Time - ThorTransformers: Dark of the Moon - Sherlock Holmes: A Game of Shadows - The Girl with the Dragon Tattoo - The Beaver -  Shame - Bad Teacher - Mission Impossible: Ghost Protocol - Burke and Hare - Super - Carnage - X-men: First Class - Spy Kids: All the Time in the World -  J. Edgar -  Limitless - We Need to Talk about Kevin - Captain America -  Real Steel - Your Highness - Colombiana - Sucker Punch - The Muppets - The Rum Diary - A Very Harold and Kumar 3D Christmas - Moneyball  - The Perfect Host - Footloose - Ceremony - The Green Hornet - Cars 2 -  Drive Angry 3D - Bunraku - Conan the BarbarianThe Three Musketeers - Something Borrowed - Big Mommas: Like Father like Son - Finding Joe -  Season of the Witch -  Mozart’s Sister - Arthur - Anonymous - Killing Bono -  A Good Old-Fashioned Orgy - Zookeeper - Monte Carlo - Cowboys and Aliens -  The Guard - Coriolanus - Attack the Block - The Hangover Part 2 - Fast Five - Gnomeo and Juliet - The Ides of March - From Prada to Nada - The Darkest Hour - Machine Gun Preacher - Shark Night 3D -  Harry Potter and the Deathly Hallows Part 2 - Circumstance - Bunraku - The Sitter - Diary of a Wimpy Kid -  Dirty Girl -  Mr. Popper’s Penguins - Just Go With It - I Don’t Know How She Does It - 30 Minutes or Less -  The Adventures of Tintin - Bridesmaids -  Larry Crowne -  Judy Moody and the Not Bummer Summer - Glee: The 3D Concert Movie - Beginners -  Happy Feet 2 -  Alvin and the Chipmunks: Chipwrecked -  Jane Eyre - The Green Hornet -  Hysteria -  Winne the Pooh -  Hall Pass - The Art of Getting By -  The Roommate -  Skateland - Friends with Benefits -  What’s Your Number? -  Midnight in Paris -  Cedar Rapids -  No Strings Attached - Restless -  Our Idiot Brother -  Like Crazy -  Bridesmaids -  Red State - Crazy Stupid Love - The Dilemma - The Artist - Rio - Submarine - No Strings Attached -  One Day - Paul - The Smurfs - Beastly - Tyler Perry’s Big Happy Family - Three - Win Win - Elektra Luxx - Young Adult - The Change-Up - Horrible Bosses - 5 Atlas Shrugged - New Year’s Eve - Jack and Jill - We Bought a Zoo - The Descendants - Jumping the Broom -  Bucky Larson -  Arthur Christmas - Johnny English -  Born to be Wild - Burke and Hare - Flowers of War - The Rum Diary - Tinker Tailor Soldier Spy -  A Dangerous Method - The Awakening -  Don 2 - The Help - Straw Dogs - Dylan Dog: Dead of Night - Tower Heist - Trespass - Outrage - The Mechanic - Drive - The Devil’s Double - The Eagle - Fright Night - The Double - Scream 4 - Killer Elite - The Mechanic - Hoodwinked Too - Abduction - Shaolin -  Kill the Irishman -  Final Destination 5 - Courageous - Resistance - Rampart -  Khodorkovsky - Catch .44 - RangoPirates of the Caribbean: On Stranger Tides - Hesher - Water for Elephants - Take Me Home Tonight -  The Darkest Hour -  Tyrannosaur - Killing Bono - Three - Contagion - A Better Life - I Saw the Devil - Restless - The Grace Card - The Skin I Live In - Puncture - Sleeping Beauty - Stake Land - Texas Killing Fields - The Conspirator - The Eagle - Kill the Irishman - Father of Invention - Shame - American: The Bill Hicks Story - Martha Marcy May Marlene - The Son of No One - Battle: Los Angeles - Hobo With a Shotgun - The Darkest Hour -  Red Riding Hood - Twilight: Breaking Dawn - J. Edgar - Trust - A Separation - Answers to Nothing - Pariah - In the Land of Blood and Honey - 50/50 - I Melt With You -  The Iron Lady -  War Horse -  Rise of the Planet of the Apes - Abduction - The Bang Bang Club - Flowers of War -  Snow Flower and the Secret Fan - Don 2 - Janie Jones - Circumstance -  Tomboy - The Tree of Life - Angels Crest - Dolphin Tale - Another Earth - Insidious - Albert Nobbs - Extremely Loud and Incredibly Close - The Lincoln Lawyer -  Dream House -  Don’t Be Afraid of the Dark - Pina - The Adjustment Bureau - Take Shelter - The Thing - Mars Needs Moms - Kung Fu Panda 2 - Chalet Girl -  Paranormal Activity 3 -  Justin Bieber: Never Say Never - Albatross -  The Way - African Cats - Hop - Puss in Boots - The Greatest Movie Ever Sold - Soul Surfer - Being Elmo

Leia Mais ››

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Observações da vida cotidiana: Potter, o tempo, festas e afins

Impressionante como o feriado do período de festas de fim de ano pode ser mais atarefado que um dia de trabalho duro! Atrapalhando até mesmo a regularidade de posts de um certo blog...

Sobrinha de 4 anos brincando com um daqueles celulares de plásticos que tocam musiquinhas irritantes:
- Bia (que sou eu), vou tirar uma foto. - Ao que ingenuamente respondo:
- Mas, isso é um telefone!
A menina entrega uma expressão de incompreensão....Céus! Tô ficando velha.

Buscando nova utilidade p/ o filme fotográfico!
Minha sobrinha nunca vai saber para que realmente serve.

Vocês conhecem a agenda 1 semana em 2 páginas? Alguns anos atrás tive que vasculhar dezenas de papelarias e receber aqueles olhares de "sua doida isso não existe" de vários atendentes. Este ano tive que procurar nos cantinhos que os clientes escondem as coisas na Casa & Vídeo, para conseguir uma. É assim que quando dizem: tá na moda?

Pessoas tendo ataques histéricos na sala escura devido a impossibilidade dos eventos do filme Roubo nas Alturas. Gente! Qual o último filme de ação que esse pessoal viu? E o que diabos eles esperavam de um roubo arquitetado por Ben Stiller, Eddie Murphy e Ferris Bueller?

Alguma semanas atrás, começara a aparecer imagens no Facebook no estilo "todo mundo tem um amigo..." com avatares de todos os tipos marcados pelos nomes de usuários da rede, conhecidos do dono da postagem. As pessoas que tiram fotos de si mesmas em frente ao espelho reaparecera. O número de mensagens positicas acompanhada de fotos fofas aumentou, isso sem falar no crescimento dos já inconvenientes convites para meu calendário, meu chip, e afins.Essa não! O Facebook está virando o Orkut. ABANDONAR O NAVIO!!!!! Todo mundo (que tem algo de produtivo para fazer em redes sociais) para o G+!


Com o lançamento do primeiro trailer de O Hobbit, e a chegada do último DVD de Harry Potter da minha coleção uma coisa ficou evidente. Acabou! Mesmo. Não vamos mais esperar pelo próximo HP, e J.K. não escreveu pelúdios ou histórias paralelas como Tolkien para nos dar um pouco mais de seu mundo mágico. O jeito é se despedir e trabalhar o desapego..... Será???
Fãs, adoro eles!



Leia Mais ››

sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal do mal

Porque o espírito natalino pode tocar até os mais frios corações.
E porque quem não tem coração de pedra adora rir!

FELIZ NATAL!



Leia Mais ››

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Vai começar Malhação então, é hora de desligar a TV!

Existe uma coisa que os expectadores nascidos a partir da segunda metade dos anos 1990 não sabe: Sessão da Tarde, já programa obrigatório de muita gente. O mesmo vale para a versão do SBT da sessão, o Cinema em Casa. Não que todos os filmes fossem pérolas da sétima arte, muitos deles nem eram bons de verdade. Entretanto mesmo quando eram ruins, o faziam com estilo. Nada de Sabrina vai à Austrália salvar o meio-ambiente. Bruxas se reuniam em convenções, transformavam as crianças em ratos e eram mortas à machadadas pelo Mister Bean.

Existe muita porcaria em vídeo na internet. Existe muita porcaria em filme na sessão da tarde. Porque não apresentar a essa desafortunada geração os bons tempos da sessão da tarde, com bons vídeos? Essa é a intenção do Cidadão nascido nos 80. Os vídeos escritos, dirigidos e editados por Tiago Oliveira Sampaio, comentam os clássicos da Sessão da Tarde, com muito bom humor, e uma visão um pouquinho (tá, muito) menos inocente que quando curtíamos os mesmos filmes nas tardes da Globo.

É claro, ele começou com o clássico dos clássicos, ganha uma reprise quem advinhar o filme mais exibido da sessão da tarde!



Lua de Cristal, Os Goonies, Robocop e outros filmes que a Globo não exibe mais, seja por que gastou a fita ou porque a classificação indicativa proíbe, estão em sua lista. Os vídeos são publicados sempre as sextas feiras. Durante a semana, o Nascido nos 80, responde a perguntas enviadas pelos expectadores segundo a filosofia da Sessão da Tarde. 

Nada mais divertido, que lembrar a época em que você assitia TV aberta a tarde sem culpa. E abandonava a telinha apenas quando malhação estava prestes a começar.

Leia Mais ››

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Seja educado, cinema é lugar sagrado!

Seja educado, cinema é lugar sagrado
Em 2009 o Cine Pipoca Cult lançou a campanha "Seja educado, cinema é lugar sagrado!", em prol do ensino de bons modos para os frequentadores de multiplexes pelo mundo a fora. Sei que estou 2 anos atrasada, mas como nunca é tarde para fazer nossa parte...

E por falar nisso aproveito para publicar aqui um texto publicado no antigo Pub&Comunic (a versão 2.0 já está no ar há alguns meses) sobre o tema. Aproveite para descobrir se você sabe ser educado no cinema e, caso não seja, pegar algumas.

Normas de conduta no cinema 

Desde seu inicio a “cara” dos cinemas mudou. Saíram das ruas para os shoppings, de salas únicas para multiplexes. As poltronas ficaram mais confortáveis, o som e a imagem com qualidade incrível. E a função de lanterninha desapareceu. Para os mais jovens, o lanterninha era o funcionário encarregado de, com o auxílio de uma lanterna, levar os atrasadinhos a poltrona mais próxima e de fiscalizar a sessão, podendo até expulsar o baderneiro se preciso.

Com o sumiço desse importante profissional da indústria cinematográfica, cada vez mais as pessoas esquecem como devem agir no cinema. Protagonizando cenas absurdas de falta de respeito com o próximo. Segue então um lembrete para aqueles que esqueceram, ou nunca aprenderam como se comportar no cinema.

Antes do filme começar...

1 – Compre os ingressos com antecedência. Não estou falando de passar no cinema no dia anterior para adquirir as entradas, mas de chegar no mínimo meia-hora antes do horário da sessão. Em fins de semana a fila pode levar até mais que meia hora, melhor prevenir que perder o filme escolhido.

2 – Escolha o filme antes de chegar à bilheteria. Nos fins de semana você vai passar muito tempo na fila, por que não aproveitar para ter certeza do que vai ver. Se deixar para escolher pedindo a opinião do bilheteiro pode atrasar a sessão de alguém atrás de você, e aumentar ainda mais as filas. O mesmo vale para a compra da pipoca. Escolha antes! O bom do cinema é que preços horários e promoções estão sempre dispostos em painéis gigantes a vista de todos.

3 – Vá ao banheiro antes do filme começar e beba pouco refrigerante durante a sessão. Se mesmo assim não tiver jeito ou o filme for longo, sente-se no corredor para não atrapalhar as pessoas na sua corrida ao banheiro.

4 – Quando o cinema marca a sessão para as 21h quer dizer que a projeção vai começar ás 21h. A sala abre cerca de 20 minutos antes chegue cedo para escolher o lugar. Mesmo com cadeiras numeradas, afinal com a sala já escura como você vai enxergar os números?

5 – As vezes as coisas dão errado! Trânsito, fila na bilheteria e não tem jeito agente chega com a sala escura. Nesse caso, se conforme e se sente logo. Nada de achar que vai conseguir um lugar no meio ou incomodando quem já está acomodado, pedindo para pular uma cadeira, para você e seus amigos sentarem juntos.

6 – Bolsas, sacolas e casacos não pagam ingresso. Tudo bem deixa-las na cadeira ao lado se a sala está vazia, mas se alguém quiser aquele lugar nunca se recuse a libera-lo. A bolsa é grande? Pesada? Da próxima vez não a leve.

Começou a sessão, os problemas aumentam...

7 – Todo cinema faz o favor de te lembrar: celular no silencioso! E nada de atender ou passar mensagens durante o filme. Mesmo abaixado em posições ridículas para não ser notado, alguém vai te ver, pois celulares tem luzes e o resto da sala está escura. Se estiver esperando uma ligação importante sente-se no corredor e saia para atender. Ou ainda, nem vá ao cinema. Preocupado com o telefone você não vai prestar atenção no filme mesmo.

8 – Eles também lembram que é proibido filmar e fotografar. Gravar o filme viola os direitos autorais. Além de ser crime, o flash da sua câmera fotográfica, e o LCD da sua filmadora dificilmente passarão despercebidos na sala escura.

9 – Sabe por que nossos avós curtiam tanto um cineminha? Porque era a única hora em que podiam falar ao pé do ouvido de seus namorados sem olhares de reprovação. Quer falar algo com a pessoa do lado durante o filme? Pode sim, desde que seja breve ao pé do ouvido, e de preferência relativo ao filme. Se quiser bater papo, fique na praça de alimentação do shopping, é mais barato. Também nada de emitir em alto e bom som suas opiniões sobre o filme, contar toda a filmografia do Johnny Depp, ou tentar lembrar de onde conhece aquele ator. Quer se expressar? Tenha um blog.

10 – Mas não é porque nossos avós cochichavam no ouvido durante o filme que você pode namorar. Se quiser dar uns “amassos”, fique em casa ou vá para outro lugar. Deve haver lugares mais em conta que a sessão 3D de sábado a noite e que não te torne atração maior que o que está sendo exibido na tela.

11 – Um lanchinho cai bem durante o filme. Mas cinema não é lanchonete, evite pacotes barulhentos, ou alimentos com cheiro forte. A sala não tem janelas, o cinema todo vai saber o que você está saboreando.

12 – O filme está chato? Saia, durma (sem roncar né!), nada de jogar pipoca, bolinhas de papel nas cadeiras a frente. Já é proibido entrar com latas e garrafas, na maioria dos cinemas por causa disso. Imagina se proibirem a pipoca também? Além de fazer sujeira, lembre-se: você não gostaria que fizessem o mesmo com você.

13 – Você pagou um ingresso, uma cadeira. Seu pé na cadeira da frente, mesmo que ela esteja vazia é falta de educação. Além de destruição de propriedade privada, sujando a cadeira com seu tênis lamacento. O mesmo vale para ficar chutando a cadeira da frente. Coloque-se no lugar da pessoa que vai ser interrompida pelos seus chutes ou vai encontrar a cadeira suja na próxima sessão.

O filme acabou, mas a educação continua...

14 – Na correria para o banheiro ao final do filme, nada de atropelar as outras pessoas. Elas tem o direito de assistir os créditos sequiserem. Alguns deles trazem surpresas que você pode estar perdendo.

15 – Leve seu lixo. Seu hipócrita! Você reclama que a sala está suja quando entra, mas também não leva seu lixo para a lixeira mais próxima. 20 minutos para limpar a sujeira de 300 pessoas? Nem o melhor cinema do mundo! Faça sua parte.

Você segue as recomendações à risca, mas fica irritado com a falta de respeito dos outros? Nesse caso temos duas opções: Iniciar o movimento “Volta lanterninha”, para reestabelecer a profissão nos cinemas e se livrar de uma vez por todas daquele expectador sem noção da poltrona ao lado.

Reconheço, que esta tática pode levar um tempinho, o que nos leva a segunda alternativa: procure sessões matinais, ou no meio da semana. Afinal quem se preocupa em assistir um longa-metragem na noite de terça-feira ou antes do meio-dia, assim como você, está muito afim de ver o filme. E de bônus ainda aproveita as promoções nos ingressos normalmente concentradas entre segunda e quinta.

Lembre-se cinema é a maior diversão, mas não é bagunça. Na dúvida, não faça coisas que não gostaria que fizessem com você. Aproveite as dicas, e bom filme!


Leia Mais ››

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Dicas práticas para quando sua internet cai

Se você depende de internet para seu trabalho, mesmo que seja por apenas algumas horas, já deve ter passado por isso. É o dia em que você está mais atarefado, é dia de fechamento, o prazo é curto, o trabalho está acumulado, ou quaquer grande questão trabalhística que teria apenas uma forma de ficar mais complicada...

... é claro, a internet cai, ou pior oscila. Apenas para te deixar preso ao PC imaginando que aqueles 5 minutos em que ela funcionou são um sinal que o problema está prestes a ser resolvido. Mas a internet não volta, o trabalho continua se empilhando e você resolve tomar uma atitude!

É aqui que entram a super-eficiente técnica para fazer seu trabalho mesmo com um péssimo serviço de internet.

Aviso: esta técnica foi criada a partir de experiencias adiquiridas após anos usufruindo do "ótimo" seviço de internet via rede telefonica de cidade pequena.

Dica 1 - Não adianta ligar na hora
Eu sei é desesperador, mas em horário comercial tudo que vai conseguir é ouvir todo o repertorio de musicas de espera. E este se resume a uma única música, bem ruim e curta, logo repetida à exaustão. Porque não tocam Katty Perry, Beatles, jingle de Natal da Leader Magazine, qualquer coisa é melhor que aquela fita chiando que deixam tocar. Já que nos vão nos deixar esperndo poque não nos entreter direito?

E quando, você finalmente for atendido, vai ser por uma máquina. Sim, é sério! A gravação chamada Eduardo é muito ocupada. Mas ela te resgata da musiquinha, faz um bocado de propaganda da empresa antes de oferecer números com opções, entre os quais não consta o assunto que você quer tratar. Antes de para um atendente. O que significa...mais musiquinha.

Dica 2 -  Ligue de madrugada
Quando outras pessoas tão estressadas e atarefadas como você estão ocupadas com coisas tolas como, dormir, é relativamente mais fácil conseguir um atendente disponível. O que nos leva a dica 3

Dica 3 - mantenha o atendente na linha
Afinal, é só conseguir que um ser humano fale com você que as quatro luzinhas diabólicas do modem resolvem acender, apenas para te fazer passar por mentiroso. Não importa o que você vai dizer a ele, afinal os atendentes não são necessáriamente preparados para resolver problemas de computador, mas para te atender (ao menos é a sensação que seu "ótimo" trabalho passsa). Então, apenas matenha-o falando enquanto com a outra mão (já que você ligou do fixo ao qual a linha está vinculada, e a maioria não tem viva-voz) termina rapida e desesperadamente seu serviço na rede agora funcionando melhor que em qualquer dia. Quando terminar ou a insistencia para enviar um técnico (pago por vc), ou os pedidos para "resetar" o modem, (nunca faça isso) forem muitos se livre do técnico.

Se preciso repita, quantas vezes necessário o passo 3. Entretanto é provavel que no dia seguinte a internte funcione perfeitamente, e se manterá assim até que você tenha esquecido todo o occorido, e as técnicas e soluões para lidar com os problemas que surgem no caminho, então...

Dica 4 - anote tudo
Assim você elimina etapas quando o problema votar a ocorrer (e vai voltar). Pode ser, em um caderno, texto do word, notinhas de geladeira, tatuar na pala da mão, vale tudo para não esquecer. Eu, particularmente prefiro guardar em posts raiovosos escritos em plena madrugada.

Pensando melhor, acho q vou dormir, esfriar a cabeça e revisar antes de publicar isto. Não que esteja com medo de reclamar, mas para evitar erros de portugues causados pelo sono...

Boa noite!

P.S.:  Nenhuma queda desde que apliquei a técnica terminei o serviço e escrevi  esse texto. O que comprova a eficácia do método.


Leia Mais ››

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Happy Feet 2

O que Hollywood precisa aprender é que algumas histórias não precisam de sequencia. Happy Feet é uma delas. O filme original de 2006, era uma história coerente com várias boas mensagens e completa. Enquanto  Happy Feet 2 parece ter apenas um objetivo, arrecadar, e se possível em 3D.

Mano (Elijah Wood), agora é pai. O pequeno Erik (Ava Acres), se sente inferior pois não é capas de dançar. Já mano que passou por problema similar (ser diferente), embora da maneira inversa, não sabe lidar com isso. Eis aí a primeira incoerência, ele devia compreender o rebento como ninguém.

Erik foge ao lado de amigos. Eles seguem o pinguim Ramon (Robin Williams), que resolveu voltar para casa por ser rejeitado pelas fêmeas, por ser mais baixo que os pinguins imperador. Detalhe ninguém tenta impedi-lo, ou mesmo fazem uma festa dedespedida. Mui amigos! Os conterrâneos de Ramon estão obcecados Sven (Azaria), seu mais novo líder espiritual apresentado pelo antigo Amoroso (Robin Williams, Sidney Magal impagável na versão nacional). A estranha ave tem a impressionante habilidade de voar.

Mano vai buscar os filhotes, mas quando retorna descobre que todos os pinguins imperadores estão presos por um iceberg que fechou a saída da região em que vivem.  Olha a mensagem ecológica aqui! O bloco de gelo ameaçador é resultado do derretimento das calotas polares causado pelo aquecimento do planeta devido aos buracos na camada de ozônio. Começa então a jornada para libertar a espécie, antes que todos morram de fome. 

Sentiu minha dificuldade em apresentar uma sinopse simples? Pois não é culpa minha. O longa demora a dizer a que veio, e decidir que história vai contar. Drama de pai e filho, resgate dos pinguins, a identidade de sven? Sem contar com a presença dos humanos, novamente introduzindo atores reais na animação de forma assustadoramente eficaz. Os "alienígenas", passam por dois pontos das trama, em nenhum deles sua presença surte grande efeito na narrativa.

Ainda temos a presença dos Krills, camarões microscópicos, dublados por Brad Pitt e Matt Damon na versão original. Uma tentativa existêncialista de alívio cômico, a dupla busca um sentido para existência, evolução e tudo mais. Claramente inspirados em Scrat, o esquilo de A Era do Gelo, seguem sua narrativa paralela, que eventualmente se encontra e interfere na principal. 

Apenas os pais de Mano (Hugh Jackman e Nicole Kidman), no original não contribuem para a superpopulação do longa. As personagens desapareceram, e não nem mesmo usadas por como referência para lidar com seu próprio filho. Mas, vai saber quanto tempo vive um pinguim gerado por CGI. Ou ainda, o quão eficiente é sua memória.

Ainda sobre mano, embora este já seja um pinguim adulto, metade do seu corpo ainda mantém a pelagem do bebê mano do filme original. Um artifício usado para manter a empatia com a personagem no primeiro filme, que aqui nos faz imaginar que o pobre pinguim tem algum problema genético que interrompeu seu crescimento. Este é o único grande problema estético do longa. O que não é uma surpresa uma vez que o filme conta com a tecnologia do filme anterior, mais 5 anos de evolução. E, é claro, o 3D que embora competente se mostra dispensável em grande parte do filme. À exceção são os super-detalhados, luminescentes e minúsculos krills, e seu mundo de escala microscópica, que ganham rara (e estranha já que camarões não são os animais mais fofos) beleza com uma dimensão a mais.

E por falar nos Krils, os executivos de cinema podiam aprender algo com eles, e se perguntar o sentido da existência de um longa. Já que nem mesmo a morte de Britany Murphy, voz original do par romântico de Mano, Glória (substituída neste longa pela cantora Pink), serviu de sinal para fazer-los pensar sobre a necessidade de contar essa história. Na minha opinião, não precisava.

Happy Feet 2
Austrália - 2011 - 100 min.
Animação / Infantil


Leia Mais ››

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Gato de Botas

Talvez fosse apenas para deixar o Burro morrendo de inveja, mas o Gato de Botas ganhou um filme solo no cinema. Um longa de origem para ser mais exata, que explica não apenas de onde vem todo seu charme latino, mas também sua má fama.

O Gato (Antônio Bandeiras) está com a cabeça à prêmio pois foi traído por seu, outrora, melhor amigo. Quando Humpty-Dumpty (Zach Galifianakis) reaparece com a pista de onde conseguir os feijões mágicos da história de João e o Pé de feijão, o Gato aceita a parceria com o ex-amigo para finalmente limpar seu nome. Junta-se a eles Kitty Pata Mansa (Salma Hayek), uma habilidosa gata com talento para o roubo. O plano é recuperar os feijões Jack & Jill (Billy Bob Thornton e Amy Sedaris), subir pelo pé de feijão até o castelo do gigante para ter acesso a gansa dos ovos de ouro.

Se esperava ver coadjuvantes de Shrek passeando por este longa desista. O Gato tem história completamente independente das aventuras do ogro. Nada mais coerente afinal, embora se passe no mesmo universso fantástico história acontece muito antes dos eventos do segundo filme do ogro, onde ele e o felino se conhecem. A não ser pelo protagonista todas as personagens são novas. Nessa independência que reside o melhor e o pior da franquia.

Sem amarras a franquia de onde foi derivado, o filme dá espaço a história do gato e suas inúmeras possibilidades. Dando a nova franquia (ou  você duvida que haverá um Gato 2?), um fôlego que Shrek perdera lá pelo terceiro longa. O gato tem um estilo mais próximo do faroeste, que do conto de fadas. E claro a "pegada latina", de seu protagonista prevalece na atmosfera.

A parte ruim é exatamente a escolha das personagens coadjuvantes, ao menos para nós brasileiros. O problema é que personagens como Humpty-Dumpty, e Jack e Jill, não são tão populares quanto Branca de Neve, ou Merlin. Logo, perdemos mais tempo tentando entender "o que" é Humpty-Dumpty*, que criando empatia pela personagem. O que é crucial para nos interessarmos pela trajetória de amor e ódio entre ele e o Gato.

Salva-se aí, a personagem interpretada por Salma Hayek. A química entre os felinos, é perfeita. Tão boa que é impossível não se perguntar: onde estava Kitty durante as aventuras em Shrek?

Que a Dreamworks domina a tecnologia que usa, não é novidade. Logo não é surpresa, mas satisfação, a qualidade técnica do longa. O realismo visual e de movimento das personagens é impressionante, e deve ficar ainda melhor na tecnologia 3D. 

O Gato de Botas, não é a grande surpresa do ano. Não vai ganhar o Oscar de animação. Mas é um ótimo novo caminho para uma amada, e estilosa personagem. Se mantiver a qualidade, e o charme, vamos adorar acompanhar. Pobre coitado do Burro!

Gato de Botas (Puss in Boots)
EUA , 2011 - 90 min.
Animação / Aventura

*Para quem não sabia, assim como a blogueira que vos escreve, Humpty Dumpty é uma personagem do folclore anglo-saxão, descrito como um ovo antropomórfico. Ele aparece em diversas obras da literatura como Alice através do Espelho de Lewis Carol. 


Leia Mais ››

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Os Muppets

As gerações que nasceram depois da minha não conhecem os Muppets. Mesmo a minha geração só conhece as marionetes de Jim Henson por causa da animação Muppet Babies, exibida nas manhãs do SBT, no inicio dos anos 1990. Somado, claro, as já raras sessões da tarde e aos comentários de nossos pais: Sabia que eles existem fora dos desenhos filha?

Pois o primeiro longa para o cinema dos Muppets em  12 anos tem entre seus objetivos apresentar os bonecos para uma geração criada a base de animações por CGI e 3D em excesso. Felizmente é muito mais eficiente em animar os nostágicos adultos que vão acompanhar os pequenos na sala escura.

Walter é o fã numero um dos Muppets, e não podia ficar mais feliz quando seu inseparável irmão Gary (Jason Seagel) o convidou para visitar Hollywood, ao lado de sua namorada Mary (Amy Addams). Mas, a tão sonhada vista aos estúdios Muppet se motra decepcionante, já que os estudios estão a muito abandonados. E Walter ainda descobre que o magnata do petróleo Tex Richman (Chis Cooper) pretende demolir o teatro Muppet para construir um poço de petróleo (bem no meio da cidade). Walter, Gary Mary, então resolvem encontrar e convencer Caco (que me recuso a chamar de Kermit), a reunir a antiga turma e salvar o antigo lar dos Muppets.

Assim conhecemos o paradeiro dos principais bonecos. Não antes de antes de entrar em um estado de aceitação deste universo. Afinal, precisamos acreditar que um humano pode ser irmão de um boneco de feltro e que em sua cidade Smalltown, combina anos 60 e tecnologia atual sem estranhamentos. Crença incondicional facilmente conseguida graças à adorabilidade das personagens.

Caco vive recluso, Fozzie canta em um banda cover de os Muppets, Gonzo tem uma fábrica de privadas, Animal esta tentando controlar sua raiva e para tal deve permanecer longe de bateiras. E, claro, Miss Piggy, editora de uma revista de moda que tem Emily Blunt como secretária. Uma divertida piada com O Diabo Veste Prada. Já os outros Muppets são resgatados durante uma montagem para economizar tempo sugerida por uma das personagens, o Robo Anos 80.

Piadas simples,  rir de si mesmo e claro muitas participações especiais é a receita bem sucedida de Os Muppets. Metalinguístico, o filme faz piadas constantes sobre seu orçamento, trama, personagens, os úmeros musicais e até a vilania. "Acho que estamos trabalhando par o vilão" - observa um dos bonecos à certa altura do longa.

As participações especiais vão de Whoopi Goldberg a Selena Gomes, claramente trazendo referencias para diferentes gerações. Nenhuma delas no entanto tão divertida quanto o ator escalado para viver a versão humana de Walter. Que não posso revelar para não estragar o elemento surpresa.

Além de resgatar o teatro ainda assistimos os complicados relacionamentos de Caco+Piggy e Gary+Mary. Ambos fortemente afetados pelo retorno dos Muppets. A descoberta da identidade de Walter. A terapia de controle da raiva de Animal. E Jack Black dar uma de louco, o que ,embora não seja novidade, e sempre divertido.

E caso ainda haja dúvida, sim o filme funciona com a geração 3D, tão bem quanto com os nostálgicos adultos.  Com piadas para os pequenos e os grandes tem o mérito de alcançar diferentes públicos. Não deixa de ser curioso que um produto do século passado tenha alcançado uma qualidade que os filmes atuais buscam desesperadamente.

Os Muppets (The Muppets)
Estados Unidos - 2011 - 98 min
Comédia, Musical, infantil
Leia Mais ››

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Campanha dos sangue-sugas do bem!?!

E eu preocupada com o tom da imagem que publiquei no Dia do Doador de Sangue...

Essa campanha é de verdade. Pena que não conseguiram uma imagem da Bella bebendo sangue para alimentar a criaturinha que ela chama de filha. (Ops! Spoiler)


P.S.: Centenas de livros, é? Só para constar: não deviamos ganhar nada por isso. Afinal se ganhamos algo em troca não é doação, é barganha. Ou seria escambo? Mas, vai lá pessoal. Por mais estranho que seja a forma que você chegou lá, ainda pode salvar vidas.

Leia Mais ››

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Poster não oficial 2

Harry Potter e as Relíquias da Morte - parte 2 acaba de chegar em DVD e Blue Ray Disc. 
Confira também: Poster não oficial

"Você não pode esperar por 10 anos
sem ter um ataque de nervos no final"

(Clique para ampliar)
A imagem de autoria desconhecida (é sua? se apresente!), circula pela internet e faz uma brincadeira com Harry Potter e o cartaz de A Rede Social.

Leia Mais ››

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dia do doador de Sangue

Hoje, 25 de novembro é o Dia do Doador Voluntário de Sangue. Criada em 1964 a data pretende reconhecer a doação como um ato de solidariedade humana.

E embora eu saiba que tenho uma mente doentia, e provavelmente vou para o inferno por isso, não resisti a publicar a "imagem cinéfila" da campanha. Além disso, quem disse que uma campanha séria não pode ser bem humorada?

Obrigada por doar!


Aproveite a data para doar, e fazer disso um hábito (nada de doar só quando a mídia lembra, hein). Seguem algumas orientações para os doadores:

  • É preciso estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 18 e 65 anos e pesar no mínimo 50 Kg;
  • Estar descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial.

Leia Mais ››

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Séries: balanço das estreias

Já que faltava apenas Grimm, e Glee para meu balanço de séries da temporada. Resolvi deixar a série de fantasia de lado e aproveitar a estréia da série musical para postar minhas impressões, das estreias e novas temporadas das séries que pretendo (ou não) continuar assistindo.

American Horror History
Talvez eu tenha esperado demais, ou apenas estou ficando dormente a coisas assustadoras, mas tive mais medo das propagandas que da série em si. O drama familiar ganha mais complicações, quando a família Harmon resolve se mudar para uma casa comprada a preço de banana. O lugar foi palco das mais bizarras histórias, a maioria delas ainda acontecendo e interferindo nas vidas de seus novos moradores. A casa tem muitos mistérios, resta saber a velocidade e competência com que serão desvendados. Afinal, não sei se a TV sobrevive a outro local cheio de segredos mistérios e vida própria (sim, estou falando da ilha de Lost). Não deu para assustar ainda, mas foi bom descobrir a talentosa Taissa Farmiga (irmã caçula e cópia assustadora da, ainda mais talentosa,Vera Farmiga), como problemática filha adolescente do casal.

Glee
Deu para ver pouca coisa na nova temporada, já que como uma boa menina (leia-se com falta de tempo) estou acompanhando pela TV paga. Entretanto é possível notar que o vai-e-vem de personagens continua, assim como as dramáticas e absurdas reviravoltas (Quim, rebelde sem causa). Resta saber se a movimentação intensa na série não vai, deixar de ser um divertido refresco e começar a cansar e confundir os expectadores. Quanto a trilha sonora a variedade formada pela combinação hits do momento + clássicos da musica popular + musicais da Broadway e cinema, continua sendo o forte.



House
Devagar, quase parando House não é a mesma com a debandada do elenco. Apenas Omar Epps, Robert Sean Leonard, respectivamente Foreman e Wilson retornaram para o elenco fixo da série, além de Hugh Laurie, claro. O caminho escolhido pelos roteiristas é coerente com os acontecimentos da temporada anterior, e com os desfalques no elenco. House continua inteligentemente ácido, e os casos continuam intrigantes, mas algo parece faltar nos corredores do Princeton Plainsboro. Talvez seja hora de criar um final inspirado para encerrar bem a série. A menos, é claro, que os idealizadores tenham uma super, super mesmo reviravolta na manga.

Suburgatory
A surpresa da temporada, a comédia de meia-hora de duração, foi apresentada como mais uma série de adaptação adolescente a um novo ambiente. E é! Entretanto as curiosas e ácidas observações de Tessa, adolescente natural de NY, obrigada a se acostumar com o subúrbio, são no mínimo divertidas. Além de trazer bizarras e assustadoras coincidências com a cidadezinha onde moro. Especialmente em relação a algumas ideias e ações dos peculiares moradores. Quem diria? O interior pode ser mais perigoso que a cidade grande.

Terra Nova
A mistura de naturalismo e tecnologia futurista é interessante, assim como a ideia de uma realidade alternativa, mas só isso não basta. A série onde acabamos com o planeta e nos refugiamos no passado através de uma fenda no tempo, esboçou alguns mistérios, algumas histórias mais longas, mas o andamento destes é lento em prol de histórias episódicas sobre aquele admirável mundo novo. Infelizmente, graças a Spielberg (que aliais, também é produtor desta),  dinossauros bem feitos não são uma grande novidade. E a série está começando a parecer uma versão com orçamento maior de Mundo Perdido, série do início deste século baseada em obra homônima de Sr. Athur Conan Doyle (autor de Sherlok Holmes). Exibida no Brasil pela Band, mostrava um grupo de cientistas que ao se perder na Amazônia encontram uma região onde ainda existem dinossauros. O o jeito é torcer para que essas histórias episódicas sejam apenas a preparação para algo maior caso contrário, Terra Nova vai ficar com gostinho de "mais do mesmo".


The Secret Circle
Bruxaria sempre agrada, especialmente em tempos de "crepusculismo" sem limites. A série conta a história de um grupo de adolescentes, de uma linhagem de feiticeiros que unem seu poder em um circulo secreto de magia. Entretanto o misterioso fracasso do círculo anterior, que culminou na morte da metade do pais destes jovens, a hostilidade de poucos que sabem sobre magia e a manipulação dos adolescentes pelos pais que restaram criam um interessante clima de suspense, que só pode ser prejudicado pela tendencia de transformar tudo em dramas românticos adolescentes. Por enquanto, a magia e o passado são o foco, logo a série tem ido bem.

The Walking Dead
A série de zumbis, que está prestes a entrar na "pausa" da temporada, conseguiu surpreendentemente manter a qualidade apesar do afastamento de Frank Darabond. Novos personagens, objetivos (encontrar Sofia), e questionamentos (zumbi é gente?), mantém o interesse e o bom ritmo da série.


Two Broke Grils
Esta vi por acidente. Fazer o que? A TV estava ligada no canal. A série acompanha a ipropvavel dupla de parceiras de apartamento, uma riquinha mimada, e uma trabalhadora realista e mal humorada. Apostando na  dinâmica de opostos e na comédia pastelão, não traz nada de novo. A unica coisa um pouquinho interessante é o acompanhamento do saldo da conta bancária das moças ao final de cada episódio. Não devo acompanhar não.

E por falar em saldo, até que o balanço da temporada não foi ruim. Agora é esperar por Gimm, Once Upon a Time, Guerra dos Tronos (essa última vai demorar), e outras novidades. Segue abaixo uma delas: Smash retrata os bastidores da Broadway, com Angelica Huston no elenco, que está sendo apelidada de Glee para adultos.



Leia Mais ››

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Amanhecer - parte 1

Eu confesso: não vi grandes ameaças em Crepúsculo, quando o primeiro filme estreou, três anos atrás. Até achei uma sessão da tarde bonitinha. É claro, na época eu não sabia de toda comoção em torno da saga, muito menos dos rumos que a incomum mente de Stephenie Meyer escolheria tomar. Obviamente após 3 sequências me arrependo da minha primeira resenha, e as chances de chegar a ler algum dos romances foi reduzida a quase zero (alguém pode ameaçar minha vida, nunca se sabe né!)

Então, Bella (Kirsten Stuart) e Eduard (Robert Patinson) vão se casar, apesar da aversão da moça quanto a matrimônio. Condição do rapaz para transformar a moça em vampira. Durante sua lua de mel em uma paradisíaca ilha brasileira, o improvável acontece. A moça ainda viva, fica grávida do vampiro. A inesperada situação põe em risco a vida da moça e a paz na nublada Forks, já que os lobos decidem quebrar o acordo de paz com os vampiros para evitar que a perigosa criatura nasça.

Começando pelo ponto positivo: bons efeitos especiais. Especialmente a transformação de Bella durante seu "estado interessante". Nenhuma surpresa, afinal eles tem orçamento para tal.

A narrativa se baseia na gestação e na tensão gerada por ela. Assim como os estágios de evolução do Alien, assistimos lentamente os efeitos do, por falta de palavra melhor, bebê em todos a sua volta. E seria apenas isso caso não descobríssemos novas facetas das personagens durante o processo. Entretanto tais características podem parecer confusas e nada agradáveis diante de um olhar mais analítico.

Sim. Bella joga fora anos de feminismo e sutiãs queimados, ao aceitar chantagem para casar. Apenas para logo depois se opor a seu marido para arriscar sua vida em prol de seu perigoso bebê.

 Falando no romântico marido de um século de idade, aparentemente são se atualizou quanto aos conceitos do século XXI. Entretanto seu machismo, não é melhor demonstrado supra alarmada cena de violência doméstica na lua de mel, mas em seu egoísta e possessivo comportamento em relação a possível perda de bela em prol de seu rebento. Totalmente contrastante com um cara que dá de presente para noiva, um encontro a sós com seu concorrente. Difícil de entender o pensamento dele não?

O que nos leva aos lobos, e ao maior dos problemas: o filme não se sustenta sozinho. Caso não tenha lido o livro, você vai passar cerca de duas horas se perguntando, "o que diabos é um imprinting?". Depois de pistas desencontradas e uma explicação mais-ou-menos, você ainda sai da sala com a sensação de que não entendeu direito. E pior que o relacionamento que esse tal fenômeno acarreta não é muito certo. Sem mencionar os personagens de apoio, que vem-e-vão. Índia brasileira, dezenas de lobos, gente da escola, esse povo está lá por algum motivo? Se não melhor corta-los, pois não há como o não fã decorar nome e função de todos.

Já a alardeada lua de mel no Brasil, que causou tanta comoção com a visita da produção para o pais soa meio falsa. Já que em quase um mês em terras tupiniquins tudo que a pobre Bella viu foram dias nublados. Imagino em que época do anos eles se casaram? E porque alguém que evita sol escolheria um dos países mais ensolarados do mundo para ter uma "casa de veraneio"?

No final da sessão, Crepúsculo 4.1 é um filme para fãs. Afinal apenas a devoção incondicional pode de dar conhecimento suficiente para compreender as pontas soltas, e as informações jogadas as pressas. A capacidade de relevar as atitudes incoerentes e personalidades instáveis de seus protagonistas.  E paciência para suportar o fato de o filme não ter final. Resta saber quantos de nós, meros cinéfilos, vão enfrentar a parte dois do final desta incomum saga.

P.S.: Caso você ainda esteja lá, tem uma cena no meio dos créditos.

A Saga Crepúsculo: Amanhecer - Parte 1 (CríticaThe Twilight Saga: Breaking Dawn - Part 1)
EUA - 2011 - 117 minutos
Drama

Se você sofre de crepusculismo, ou só está curioso mesmo, leia mais:
Mas se prefere vampiros de verdade dê uma conferida neste especial de vampiros do cinema.

Leia Mais ››

sábado, 19 de novembro de 2011

Observações da vida cotidiana: redes sociais, falta de tempo e outras coisas

Nesta semana de feriadão cheguei a terrível e assustadora conclusão de que eu sou a única pessoa do planeta que consegue ficar ainda mais enrolada após alguns dias de folga. Detalhe: não fui passear, o tempo livre deveria ser para organizar as coisas. Não rolou. Quem sofre com isso? Um blogueira estressada, seu blog as moscas, e o filme da semana*, que só consegui assistir sábado.

Alguém me explica porque as pessoas não preenchem o perfil do G+? Tudo bem que é novidade, e ainda não deu tempo de aprender a mexer em tudo, mas preencher o perfil, está no passo-a-passo do cadastro inicial. Não quer preencher? Tudo bem, mas já vou avisando: se não te conheço lá fora, e seu perfil está em branco as chances de eu te adicionar em meus círculos cai para 0%. Mas pode continuar seguindo minhas atualizações prometo sempre algo interessante.

E por falar em redes sociais, outro dia li no Facebook uma pessoa reclamando de quem entra na rede para bisbilhotar sua vida. Só um conselho: não quer que vasculhem sua vida? Não a coloque no Facebook. Se você coloca sua vida em uma vitrine, não pode reclamar que olhem. Já passamos por isso com o Orkut, será que não aprendemos nada?

Ainda avaliando as novas séries da temporada, mas isso já posso dizer: ando assustada com as semelhanças entre as idéias de Suborgatory, e de pessoas desta pequenas cidade onde vivo. Será verdade que toda piada, mesmo as exageradas e impossíveis de comédias televisivas, tem um fundo de verdade?

Não sei se eu não havia prestado atenção, ou se eles realmente se multiplicaram este ano, mas tenho visitados muitos (e bons) blogs literários. Amantes de livros que leem dezenas de títulos por mês e escrevem sobre eles. Muito legal, mas será que algum deles se habilita a me mostrar a fórmula mágica? Na vida atribulada que levamos onde arranjam tempo para ler tanto? Quero ser como vocês quando crescer.

Melhor parar por aqui, afinal estou cheia de afazeres, e não vai ter mais feriadões este ano. Até a próxima...

*O filme da semana é parte do projeto DVD, Sofá e Pipoca, onde junto com outras blogueiras assisto títulos pré-determinados e especialmente selecionados para me tornar uma cinéfila melhor.

Leia Mais ››

domingo, 13 de novembro de 2011

O Palhaço

Faço versos pro palhaço que na vida já foi tudo
Foi soldado, carpinteiro, seresteiro e vagabundo
Sem juiz e sem juízo fez feliz a todo mundo 
Mas no fundo não sabia que em seu rosto coloria
Todo encanto do sorriso que seu povo não sorria

Impossível não lembrar desse trecho de O Circo, música que eu ouvia repetidamente em um daqueles disquinhos de vinil na voz de Nara Leão, quando pequena. Embora Benjamim (Selton Mello), o palhaço pangaré, do circo esperança, nunca tenha sido de tudo na vida.

Filho do palhaço, e dono do circo, Puro Sangue (Paulo José) ele nasceu e cresceu no picadeiro. Vida que parece não satisfazer mais Benjamim, talvez pela constante dificuldade em que vive. Talvez porque já era a hora de Benjamim encontrar sua identidade metafórica e literalmente já que o rapaz só tem a certidão de nascimento.

Não é novidade a história do palhaço que não sorri por baixo do rosto pintado. Entretanto, é a forma como é contada que faz a diferença. Enquanto assistimos a busca de Benjamim, por sua identidade. Revisitamos as dificuldades que os artistas circenses enfrentam, a união da "família do circo", além de reconhecer diversas homenagens à ícones da comédia.

Sobra tempo ainda para o olhar do circo pelos olhos de uma criança. A pequena Guilermina (Larissa Manoela), também vive no circo e observa constantemente atividade dos pais e colegas, com o brilho nos olhos de quem visita o picadeiro pela primeira vez. Garantindo para os mais velhos, a lembrança de como o circo pode ser mágico. Também é através dela que descobrimos a maldade do ser humano, e sentimos o frescor da renovação.

Direção de arte, e fotografia criam a atmosfera itinerante, as vezes mágica, as vezes realista e melancólica de  uma arte em extinção. Em um filme cheio de símbolos, metáforas e referências, que pediriam mais uma seção apenas para encontrar e admirar todas.

O filme tem várias participações especiais. Ícones do humor brasileiro, como Jorge Loredo (o Zé Bonitinho), e Tonico Pereira, ganham espaço em uma clara homenagem a contribuição de cada um para o gênero. A melhor delas protagonizada por Moacyr Franco na pele de um delegado. Fabiana Carla, Danton Mello e Jackson antunes também estão entre as várias participações.

Atenção pais desavisados (haviam alguns na minha sala), embora tenha o título de O Palhaço e muitos humoristas, não é exatamente uma comédia, ou infantil. Existam algumas piadas, e crianças possam assitir sem grandes danos (e provavelmente vão gostar bastante). O filme é sobe as pessoas de verdade e não as personagens no picadeiro.

O final é até previsível, mas nem por isso menos interessante, lúdico ou identificável com o respeitável (e respeitado) público. Que pode curtir um filme lúdico, delicado e inteligente.

O Palhaço
Brasil - 2011 - 88 minutos
Comédia


Leia Mais ››

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O Guia do Mochileiro das Galáxias

"Volume Um da Trilogia de Cinco"

"NÃO ENTRE EM PÂNICO!"

As inscrições da capa, já dão uma pista sobre o tom da aventura em que vamos embarcar. Humor, e uma certa preocupação, já que segundo a cultura popular: nada deixa uma pessoa em pânico mais rápido que um aviso, para não entrar em pânico. Aquele que ouviu o aviso tende a achar que algo que o deixaria em pânico acaba, ou está prestes a acontecer.

O típico inglês Arthur Dent, consegue escapar da destruição da terra momentos antes que ela ocorra, pegando carona com em uma espaçonave com seu amigo Ford Prefect. Além de superar o choque de descobrir que seu amigo é um extra-terrestre, e de que a Terra fora destruída para dar espaço a uma nova via hiperespacial intergaláctica, o terráqueo precisa sobreviver a vida pegando carona pelo espaço. - Fato: pegar carona pelo espaço é tão perigoso quanto em estradas da terra, embora infinitamente mais surpreendente. - Munido apenas de uma toalha, segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias: "um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar".

O texto é ágil e bem humorado, mesmo nas horas do tal pânico. A história é imprevisível, já que o autor tem total espaço e liberdade para inventar um universo inexplorado. Estranhas raças, planetas, e até pensamentos criam resultados inesperados a cada novo encontro de Arthur e Ford. Além de "filosofar" por diferentes assuntos, como a supra-citada questão fundamental. Sobre a vida, o universo e tudo mais.

Tudo intercalado e esclarecido com a ajuda do Guia do Mochileiro das Galáxias, um livro constantemente atualizado com todo e qualquer verbete que possa existir no universo. É no guia que estão o charme e as melhores partes da jornada. Uma vez que, quer as personagens o consultem, ou não nos esclarece sobre todo e qualquer assunto relevante ou não para a narrativa. Embora sempre interessante. A vontade é comprar um exemplar, estuda-lo, e reservar ao lado de sua toalha só por precaução.

A única reclamação é Marvin. O carismático robô maníaco depressivo, tem bem menos espaço, que a adoração que o cerca. Ficando de lado durante quase toda a narrativa. Na verdade um problema causado pela expectativa criada por outras versões do romance, que nasceu no rádio. Sempre foi claro: Marvin é um coadjuvante e recebe o espaço devido. Mas tudo bem, o robô ainda tem outros quatro livros para mostrar seu "charme", para desespero dele.

Ágil, inteligente, bem humorado e até instrutivo. Leitura perfeita para quem quer se divertir sem desligar o cérebro.

O Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker's Guide to the Galaxy)
Douglas Adams
Sextante


Leia Mais ››

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Eu Queria Ter a sua Vida


Será que troca de corpos já pode ser considerado um sub-gênero da comédia? Até versão tupiriniquim já foi feita. Duas vezes! Eu Queria Ter a sua Vida, traz novamente a premissa de colocar uma pessoa no corpo de outra para que aprendam a valorizar a própria vida.

Mitch (Ryan Reynolds) e Dave (Jason Bateman) são amigos improváveis. O primeiro um mulherengo irresponsável e solitário enquanto o segundo um responsável e trabalhador pai de família. Após uma noite de bebedeira e reclamações sobre suas vidas os amigos acordam um no corpo do outro.

Se você esta imaginando que a partir daí, eles vão cometer dezenas de erros, complicar tudo ao mesmo tempo que aprendem alguma coisa, acertou em cheio. Felizmente, o longa de David Dobkin (Penetras Bons de Bico) traz (ou ao menos tenta) algo novo.

O roteiro é de Jon Lucas e Scott Moore, os mesmos de Se Beber não Case. A dupla levou um pouco deste humor escatológico e politicamente incorreto para esta comédia.  A começar pelo elemento mágico que torna possível a experiência. Uma fonte onde a dupla esvazia suas bexigas, daí para frente a coisa só piora. Embora não cheguem tão longe nos absurdos quanto no filme da ressaca, é muito mais que qualquer um de seus antecessores de "troca corpórea" fizeram. É nesta postura inesperada que está a graça do filme.

Baterman, se saí bem ao trocar de personalidade instantaneamente. É Ryan Reynolds (O Lanterna Verde), que não convence muito quando se torna um responsável pai de três filhos. A falha é compensada pelo elenco de apoio. Leslie Mann entrega uma esposa neurótica e hilária. Enquanto Olivia Wilde, que confessou ter "aprimorado" um pouco personagem , parece estar se divertindo com a misteriosa e insana colega/tentação de trabalho de Dave.

O roteiro tem furos, e termina com uma apressado e clichê. O que acaba não importando, uma vez que desde a já citada fonte percebemos que o filme não se leva muito a sério. O longa diverte pelas piadas inapropriadas. E surperende pela "cara de pau" de se assumir bobo, previsível e irresponsável.

Eu Queria Ter a sua Vida (The Change-Up)
>EUA - 2011 - 112 min.
Comédia



Leia Mais ››

sábado, 5 de novembro de 2011

Kermit, o sapo?

Reafirmação de marcas, está aí uma coisa que pode atrapalhar memórias de infância. É ela que nos obrigou a chamar Guerra nas Estrelas de Star Wars. E acostumar com a idéia de comprar cadernos do ursinho Pooh para sua sobrinha, e assistir com ela os desenhos da Tinker Bell no Disney Channel.

Agora é a vez de Caco, o sapo voltar a ser Kermit, nome original em inglês. Ao menos o simpático muppet resolveu explicar porque a criançada (ou melhor os adultos, crianças não conhecem os Muppets) vai estranhar a dublagem do longa no cinema. Assista ao vídeo:


Contudo, esta blogueira aqui, resolveu que vai continuar chamando o sapo de Caco e o urso de Puff. Com a fada é ainda mais fácil. Já que a Disney avacalhou tudo e resolveu ensina-la a falar, e ter vários sentimentos em seu pequenino corpo, que só comporta uma emoção por vez (J. M. Barrie se revira no túmulo), resolvi apenas ignorar sua atual versão. E manter a personagem de pura pantomima, emoções extremas em minha mente.

E você, vai assitir Kermit, o sapo no cinema?


Leia Mais ››

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O Zelador Animal

Toda geração precisa de ao menos um filme de animal falante para assistir à exaustão. É depois vergonha de ter assistido quando adultos. Sim, quando adultos. Afinal quando somos pequenos adoramos a ideia de nosso bichinho de estimação falar conosco. Hábito saudável para nossa imaginação, do qual na verdade não deveriamos nos envergonhar mais tarde.

Entretanto, se engana quem acha que O Zelador Animal, se encaixa na categoria infantil. O longa conta a história de Griffin (Kevin James). Em zelador de zoológico gordinho, que cinco anos após levar um enorme fora de sua noiva com porte de modelo,Stephanie (Leslie Bibb), reencontra a moça e resolve reconquista-la. Sem muita habilidade ele resolve seguir os conselhos animalescos dos animais que costuma tratar, e que estão exausto das lamúrias do tratador.

Roteiro típico (enfase aqui no previsível também), de comédias românticas, (normalmente assistidas por mulheres apartir dos 15 anos) Com animais falantes, (normalmente utilizados para apresentar um universo lúdico para crianças), como meio de criar situações muito mais inusitadas que românticas. Sentiu a falta de foco?

Some aí o pouca habilidade de Kevin James, para ser protagonista. O ator é simpático, divertido, mas ainda não tem carisma o suficiente para abandonar os papéis de side-kick e carregar o filme. Além disso por mais inábil que uma pessoa possa ser em relacionamento, é dificil acreditar que ele ache que agir como um animal vá ajuda-lo na caçada. Marcar território, sério? Inusitado e idiota não são a mesma coisa e o expectador é (ao menos espero que seja), mais inteligente que isso.

Ver animais falar nosso idioma com realismo, não é novidade desde os anos de 1990. Fica a cago da dublagem a parte interessante. Na versão original é possível ouvir as vozes de Cher, Adam Sandler, Jon Favreau, Sylvester Stallone, Judd Apatow e Nick Nolte. Na versão dublada que você vai encontrar na sala escura a maioria das vozes foi feita pelo humorista Marcelo Adnet, que embora conhecido, ainda não tem a voz gravada no imaginário coletivo e até faz um bom trabalho.

O filme ainda tem no elenco Rosário Dawson, como a adorável tratadora das aves. Ken Jeong, se repetindo como asiático estranho. E claro, várias lições de moral. Divertido, apenas, é acompanhar o passeio do protagonista e do gorila deprimido (esse sim nada realista) pelos bares da cidade. Pena que nosso passeio à sala escura não pode ser divertido como o deles.

O Zelador Animal (The Zookeeper)
EUA - 2011 - 91 min.
Comédia / Romance


Leia Mais ››

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Dicas de fantasias para o Halloween!

Quer assutar de verdade seus amigos? Então transforme-se em pior pesadelo!

Err.... ok, talvez não funcione tão bem assim. Mas, também não podemos dizer que elas não foram criativas. Feliz dia das Bruxas!

Fala sério! Não reconheceu as moças? Da esquerda para a direita Jasmin, Branca de Neve, Mulan, Cinderela, Aurora (Bela Adormecida), Bela e Ariel.  Vestidas como os vilões de seus respectivos filmes da Disney.

*Essa imagem é mais um dos achados do "St. Google", e como tal, os direitos autorais são confusos. Se você é autor da divertida brincadeira ou sabe onde ela surgiu, me conte para que eu possa dar o devido crédito.



Leia Mais ››

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Promovendo Contágio!

Contágio estreia hoje nos cinemas de todo o país. Segundo a Gi de Comentar é preciso o filme é daqueles de nos deixar neuróticos com bactérias. É verdade, elas podem ser letais mas, quem disse que não podem ser fonte de inspiração?

Warner Bros. Pictures do Canadá, criou um curioso, embora um pouco nojento, outdoor feito com bactérias para promover o filme de Steven Soderbergh. Confira o vídeo, depois podem comprar seus vidrinhos de álcool gel, visitar o cinema mais próximo e torcer para não ser infectado. 



Leia Mais ››

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Gigantes de Aço

No futuro o público de competições de luta ficou tão sedento por violência, que as lutas entre humanos foram banidas. As lutas ainda existem, mas entre robôs gigantes que trocam golpes violentos até um deles virar sucata. Charlie Kenton (Hugh Jackman), é um ex-lutador de boxe que tenta sobreviver, sem muito sucesso, com lutas clandestinas de robôs.

Charlie também é o pai ausente de Max (Dakota Goyo), com quem precisa conviver após a morte da mãe do garoto, uma antiga namorada. Após um fracasso em uma luta, pai e filho vão buscar peças para reposição em um ferro velho e o garoto encontra Atom, um robô de treino de segunda geração. Não é mistério, trabalhar e competir com a "lata-velha", aproxima pai e filho.

A parte interessante, é que ao invés de entrar nos eixos como de costume, o pai acaba levando o filho para seu mundo de lutas e apostas. O garoto é fanático pelos robôs e chega a entender mais sobre eles que o próprio pai. É nas semelhanças e na aceitação dos defeitos uns dos outros, que a relação é construída. Sem grandes mudanças de hábitos e personalidades em curto espaços de tempo. Afinal, como ja disse o Dr. House - as pessoas não mudam!

O entrosamento crescente entre Charlie e Max, é tão visível na tela quanto a animação do garoto pelas lutas. Elenco entrosado e gostando do que faz, já é meio caminho andado para um bom filme. O roteiro, apesar de previsível, é empolgante, ágil e competente, ao relacionar a evolução de Atom nas lutas com o relacionamento da dupla.

Evangeline Lilly (a Kate de Lost), interpreta a filha do ex-treinador de Charlie, que atualmente ajuda o lutador a consertar os robôs com que ele luta. Embora simpático, um papel dispensável, que parece só existir porque Hugh Jackman precisa de um interesse romântico.

Entretanto são as lutas de robôs que chamam mais atenção, pelo realismo das máquinas em meio aos elementos reais, e seus golpes. Além do fato de podermos torcer sem medo pela (por falta de palavra melhor) carnificina. Afinal, são apenas robôs ninguém se machuca. Para quem sofreu tentando se divertir com os gigantes dos últimos dois Transformers, mesmo com a falta de sentido na história e a pirotecnia da camera de Michael Bay, Gigantes de Aço, é um ótimo filme de robôs.


Gigantes de Aço (Real Steel)
EUA - 2011 - 127 min.
Ação / Drama



Leia Mais ››
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top