segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Nosso Lar

E o Dr. André Luiz morre. Normalmente esse seria o fim de uma história, entretanto, em Nosso Lar, filme baseado no livro homônimo escrito por Chico Xavier e ditado pelo próprio André Luiz em espírito, a morte é apenas o principio.

Ao desencarnar, André Luiz passa um tempo no Umbral, uma espécie de purgatório, para se redimir da vida desregrada de um suicída inconsciente (é, também fiquei surpresa com essa!). Ao pedir por perdão é levado a Nosso Lar, para reaprender sobre a vida espiritual e se preparar a uma nova vida.

Didático, é a palavra que define esta adaptação. Com o objetivo de instruir os não leitores, e os não iniciados no espiritísmo, faz uma apresentação minunciosa dos "mundos" em quem o filme acontece, e da vida que se leva nesse paraíso. O detalhismo explicativo é tanto que chega a atrapalhar a trama.

Correndo o risco de desagradar seguidores uma vez que a trama é baseada no livro, que por sua vez reflete a doutrina, muitas coisas na lógica de nosso lar deixam dúvidas. A cidade é extremamente terrena e burocrática. Não há dinheiro, mas há trabalho e benefícios, ministérios, muitas regras. E apesar de desencarnados ferimentos físicos, da carne, ainda tem sua força.

Entretanto é a serenidade de seus moradores é que incomoda. Roupas brancas, visual impecável, musica suave tudo muito limpo, meio insosso,  e "civilizado".  Mesmo os recém-chegados logo se adaptam e acalmam seus questionamentos cujas respostas tem hora para chegar. E claro essa hora é muito depois da pergunta.

A reconstrução de época do nosso mundo, nos flashbacks da vida de André Luiz, convence. Mas os mundos da vida além da vida tem visual óbvio e simplista. O purgatório é escuro, cheios de gritos de almas atormentadas, lembra um filme de zumbis. Já o Nosso Lar, é claro, sereno e com arquitetura que lembra uma versão Kriptoniana de Brasília. Desconsiderando que para algumas pessoas tamanha serenidade e passividade podem ser muito mais torturantes.

Dúvidas a parte, é um bom filme. Primeiro pelo esmero da produção, a mais cara do cinema nacional até então. Com efeitos especiais e trilha sonona "importados", e talvez o mais importante uma equipe que acredita na boa mensagem, independente da religião. Segundo por mostrar novos caminhos e novas temáticas para o cinema nacional.

Nosso Lar
Brasil - 2010 - 102min.
Drama

2 comentários:

Giselle de Almeida disse...

Ai, não tive coragem de ver não...

Fabiane Bastos disse...

1- Quando se vai ao cinema em Teresópolis não dá p/ escolher muito. Eles só tem 2 salas!

2- Pensei que me irritaria mais, mas até q foi legal!

 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top