segunda-feira, 29 de junho de 2009

Transformers: A Vingança dos Derrotados

Dois anos depois da primeira batalha entre robôs gigantes, que se tornou uma lenda urbana, os Autobots colaboram secretamente com o exército estaunidense para evitar que os Decepticons sobreviventes ameacem novamente o planeta. Enquanto isso Sam (Shia LaBeouf) tenta administrar a nova vida na faculdade e o namoro a distância com Michaela (Megan Fox).

É claro que ele não consegue passar dois dias inteiros no campus da universidade. Sam se torna avo dos decepticons quando passa armazenar em sua mente informações importantes sobre os tranformes.

Transformes é um típico filme Michael Bay (Armagedom, A Ilha). Ação frenética de tirar o fôlego, cenas de batalhas incríveis, tiradas engraçadas, efeitos especiais, explosões, patriotismos em defesa do exército e arsenal estadunidense, destruição de monumentos históricos, Megan Fox com roupas curtinhas para os marmanjos babarem, e 46 robôs (o filme anterior tinha apenas 14) superverossímeis. O longa traz tudo isso, em 2 horas e meia de ação contínua.

Os personagens correm o tempo todo, talvez seja por isso a enorme quantidade de erros de continuidade. É tanta coisa acontecendo, e tão rápido, que ou o diretor não notou as falhas, ou achou que os expectadores não perceberiam.

A segunda é mais provável. Uma vez que é impossível não notar que a mão de Sam aparece enfaixada de uma cena para outra como passe de mágica. Era sabido que o machucado real, resultado de um acidente de carro sofrido por Shia LaBeouf, seria incluído no filme. Mas não avisaram que não haveria explicação para ele.

Esse é apenas o mais gritante dos erros. Eles estão lá, em toda a parte! Encobertos por comentários divertidos dos personagens.

Aliais são as piadas que salvam o longa, são tantas que deviam colocar "Comédia", em sua classificação. mesmo nas cópias dubladas elas não perdem o efeito. Duvida? Procure um Oompa Lumpa!

Contudo, mesmo com os erros, para muitos que gostam mais de ação e diversão, sem necessidade de ter muito sentido, o longa deve agradar.

Transformers é um filme ruim, cheio de erros, mas é muito divertido!

Transformers: A Vingança dos Derrotados (Transformers: Revenge of the Fallen)
EUA - 2009 - 147 min
Aventura / Ação / Ficção científica (Comédia!?!)
Leia Mais ››

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Luto pop

Parece que não aconteceu mais nada no mundo. A morte de Michael Jackson até eclipsou a morte Farrah Fawcett. A pantera também morreu ontem, aos 62 anos de câncer, mas a notícia ficou perdida no meio de tanta comoção pelo dono do Moonwalker.

As excentricidades do cantor eram tantas que muita gente achou que a notícia de sua morte era uma delas, tanto que a notícia sobrecarregou o Google e o Twitter. Eu mesma já acreditava que o cara não era "extamente humano", então não podia morrer. Vai ver ele é como Elvis e só voltou para casa.

Controvérsias e esquisitices a parte, Michael Jackson revolucionou a musica mundial, e essa marca vai ficar. Não se vira o "Rei do Pop" atoa!

Leia Mais ››

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Lançamentos Nacionais

A distribuição e um dos maiores desafios do cinema nacional. Muitos filmes premiados sequer conseguem ser conhecidos pelos expectadores, mais dificil ainda é chegar aos aparelhos de dvds dos brasileiros. A Original Vídeo é a primeira distribuidora exclusivamente voltada para produções brasucas.

Abaixo os lançamentos que devem chegar as lojas e locadoras dia 25 de Junho.

O Quinze

Muitos não conseguiram sobreviver à grande seca que atingiu o sertão do Ceará em 1915. No limite de seu corpo, a jovem professora Conceição (Karina Barum) se muda para a fazenda de sua avó Mãe Inácia (Maria Fernanda Meirelles), em Quixadá. Em um cenário de pragas, gados raquíticos e árvores secas, ela se apaixona pelo seu primo fazendeiro, Vicente (Juan Alba), que apesar de também se envolver com a moça, está mais preocupado com os problemas de sua terra.

Nos arredores e com as mesmas dificuldades, vive Chico Bento (Jurandir Oliveira), um humilde vaqueiro desempregado. Sem perspectivas na pequena cidade, o homem e seus familiares partem para a capital, Fortaleza, numa terrível caminhada pela sobrevivência.

Direção: Jurandir Oliveira
Elenco: Karina Barum, Juan Alba, Jurandir Oliveira, Sôia Lira, Maria Fernanda, Carry Costa, Vívian Duarte, Fernanda Garcez, Marisa Maia, Haroldo Serra.
Roteiro: Jurandir Oliveira, baseado no livro de Rachel de Queiroz.
2007 - 100 min

Drama


Recife / Sevilha -João Cabral de Melo Neto

Documentário feito a partir da última entrevista audiovisual de João Cabral de Melo Neto, realizada em 1999. O filme costura os depoimentos de intelectuais catalãos que moram em Barcelona, onde o poeta fez amigos e cumpriu funções diplomáticas. Recife e Sevilha foram endereços marcantes na sua obra. Fora os seus livros, a uma e a outra dedicados, há aqueles cujos versos guardam nas entrelinhas a experiência do homem apaixonado por estas cidades.Cabral faleceu meses após a entrevista, no mesmo ano de 1999.

Direção e roteiro: Bebeto Abrantes.Gênero:
2002 - 52 min
Documentário


A Morte Inventada – Alienação Parental

A situação é cruel, mas acontece de forma muito mais intensa do que possa parecer: quando alguns casais se separam, o pai ou a mãe (quando não os dois) passam a utilizar os filhos como instrumento para machucar o ex-companheiro, sem se dar conta que este tipo de violência contra a criança pode acarretar graves conseqüências na fase adulta.Neste documentário, profissionais de Direito, Psicologia e Assistência Social analisam o tema, apresentando causas e soluções para esta situação tão terrível. Há também depoimentos de adultos que sofreram este tipo de violência quando crianças.

Direção e Roteiro: Alan Minas
2008
Documentário


Sete Curtas Premiados
Coletânea de documentários brasileiros premiados.

Engano - Um Homem, uma Mulher, uma cidade

Direção: Cavi Borges
Elenco:Com Felipe Mônaco e Miila Derzet.
2008 - 11 min
Ficção

Pretinho Babylon
Muito som jamaicano nos delírios musicais do underground carioca

Direção: Cavi Borges
2007 - 17 min
Documentário

A Loja do Filme Roubado do Roubo da Loja de Filmes
Luz, Câmera e Metalinguagem numa incrível videolocadora do Rio de Janeiro.

Direção: Júlio Pecly, Marcelo Yuka, Paulo Silva
Elenco: Carlos Jasmim, Cavi Borges, Elielson Freitas, Joanna Antonachio, Leandro Firmino da Hora, Marcio Graffiti, Natalia Laje, Slow, Zezé Silva.
2006 - 7 min
Ficção


Amolador
O que pode ter acontecido dez minutos antes da clássica fotografia que Marc Ferrez tirou em 1895.

Direção: Abelardo de Carvalho
Elenco: Paulo Camacho, Amazona Angélica, Marco Muniz, Jorge Brennand Jr., André Di Mauro, Maria Teresa.
2008 - 10 min
Ficção

Sete Minutos
Um plano seqüência mostrando o acerto de contas entre traficantes.

Direção: Cavi Borges, Júlio Pecly, Paulo Silva.
Elenco: Ana Paula Rocha, Isabel Rodrigues, Jonathan Azevedo, Luciano Vidigal, Marcelo Mello Jr, Marilia Coelho, Willian Josean, Zé Mario Faria.
2007 - 7 min
Ficção


Neguinho e Kika
Uma história de amor, medo, tensão e tráfico entre dois adolescentes.

Direção:Luciano Vidigal
Elenco: Adriano Vidigal, Babu Santana, Jessica Thamires, Rose Haangesen.
2005 - 18min
Ficção

Picolé, Pintinho e Pipa
Tudo pode acontecer quando um garoto de 13 anos é obrigado a ficar em casa para cuidar de seu irmãozinho mais novo.

Direção:Gustavo Melo
Elenco: Ana Miranda, Arthur Bispo, Chico Santana, Diego Francisco, Henrique César, Newton magalhaes, Wallace Coutinho, Xande Alves.
2006 - 15 min
Ficção
Leia Mais ››

segunda-feira, 22 de junho de 2009

A nova SET

Os leitores de SET são como a torcida do Flamengo, levam a revista para a banca no grito. E é deles parte do mérito pela publicação ainda existir. A revista teve seu cancelamento anunciado em Abril, mês em que por pouco não chegou as bancas. Em Maio a coisa degringolou de vez. Mesmo com uma nova equipe tomando as rédeas, a edição atrasou e acabou se transformando na SET de Junho.

Enquanto isso os leitores, questionaram, escreveram em blogs, lotaram os fóruns de discussão, enfim, colocaram a boca no trombone para manter a revista viva, e conseguiram. A edição de Junho (essa aí do lado), chegou, com atraso em alguns lugares, mas chegou.

A nova SET agora é produzida no Rio de Janeiro, e traz uma nova equipe vinda do caderno de cultura do Jornal do Brasil. Algumas mudanças são inevitáveis, e devem ocorrer aos poucos.

Uma delas é inserir ainda mais o leitor na produção da revista, algo que os orkuteiros aprovaram. Basta conferir a quantidade de fóruns com sugestões e críticas na comunidade Nova SET no Orkut.

A galera quer participar de tudo desde a escolha da capa até a linha editorial da revista. Duvida? Veja a enorme discussão sobre a revista continuar "pop", ou seja, cheia de blockbusters, ou tornar-se "cult", abrindo espaço para o cinema independente.

Bobeira, na minha opinião. Não dá para separar cinema independente e comercial, ambos são cinema. É a diversidade que torna a sétima arte tão divertida. Seria muito chato a publicação privar os leitores de qualquer um deles. Ainda mais quando a maioria dos filmes "cult", não chegam a todos, poucos cinemas, locadoras despreparadas, etc. O jeito é encontrar o equilíbrio entre os dois. (é eu também quero participar, rs)

Quem folheou a primeira edição dessa nova fase, coincidentemente lançada no mês em que a publicação completa 22 anos, ja notou as primeiras mudanças. Além da nova equipe, e a ausência da marca de editora (embora a foto divulgada na internet ainda a tenha), algumas seções deixaram de existir. Colunas novas nasceram, e uma seção de cartas inteira feita por comentários do orkut (ainda não sabíamos no novo endereço para mandar cartas e e-mails), e matérias baseadas nas opiniões dos internautas, foram publicadas.

O visual embora parecido apresenta uma revista mais "quadradinha", com diagramação menos ousada (e uma margem superior gigante, que me incomodou!). Lembra um pouco a Revista de Cinema há uns 3 anos.

Vou sentir falta das Próximas atrações, da Imagem do Mês, do sarcasmo do respondedor de cartas (afinal quem era?) e principalmente das legendas nada tradicionais, que traziam frases divertidas, como "Não sou da MGM!" para acompanhar uma imagem de Aslam, deixando a explicação séria de lado.

Não dá para tirar grandes conclusões ainda. Por enquanto, o melhor é acompanhar a evolução da revista, e esperar que dê certo. Torcida não vai faltar, afinal como eles mesmo dizem: "A SET não tem leitores, tem fãs!"
Leia Mais ››

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Fiz faculdade atoa?!?

O Supremo Tribunal Federal anunciou esta semana que o diploma de jornalismo, instituído no país a 40 anos, não é mais obrigatório para exercer a profissão. As empresas podem contratar profissionais de outras áreas ou mesmo sem formação para trabalhar como jornalistas.

Segundo os ministros a obrigatoriedade do diploma limita a liberdade de expressão. Um argumento bastante sem sentido na era da internet, a qual os brasileiros tem cada vez mais acesso, e onde qualquer um pode se expressar a vontade.

Outro argumento defendido a anos era que a não obrigatoriedade protegeria os jornalistas não formados que já trabalham na área. Sinceramente quem vai implicar com o cara que exerce a profissão a 10, 20 anos? Esses profissionais já tem um "direito" adquirido sobre o cargo. Temos que nos preocupar com a garotada nova que chegando na profissão e precisa estar preparada para o manter a qualidade do trabalho, conquistada pelos caras que estão por aí a tempos

É claro! As grandes empresas não vão contratar qualquer um, mas e as pequenas?

Os jornais, rádios e TVs, regionais e de cidades pequenas, que já abusam dos estagiários para economizar, vão aproveitar para excluir de uma vez por todas os profissionais diplomados (leia-se mão de obra mais cara) de suas redações.

Para muitos profissionais esses veículos são a única opção de trabalho, e são essas pessoas que sairão perdendo, bem como a informação, uma vez que "notícia dada é paciente morto", não adianta consertar depois. Os erros e incoerências, já constantes nesses veículos, serão cada vez mais frequentes. O publico receberá um trabalho de má qualidade, fruto de um profissional mal preparado.

E para o ministro que comparou o jornalista a um cozinheiro: mesmo o melhor cozinheiro não formado do mundo, fez muitos pratos ruins no inicio. O problema não dá para tirar o gosto de uma notícia ruim com um simples copo d'agua.

Leia Mais ››

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Gabaritando!

Ao menos é isso que pensam os blogueiros que oferecem o selo Minha nota 10 é para você para companheiros da blogsfera. Fico feliz em aceitar o elogio da Helen que escreve no blog Twilight Fans, embora não ache que meu blog está tão bem assim.

Ganhar um selo não é só festa, tem deveres também. Este pede quatro tarefas dos laureados:
1 - Escrever uma lista com 8 características suas;
2 - Convidar 8 blogueiros para receber o selo;
3 - Comentar no blog de quem lhe premiou;
4 - Comentar no blog de nossos escolhidos, para que saibam da “indicação”

Eis aqui 8 coisas sobre a blogueira que vos escreve
1- Sou viciada em filmes e TV, quero ver tudo mesmo que digam que é ruim, só para ter certeza;
2- Passo muito tempo no computador;
3- Coleciono bugigangas de filmes;
4- Tenho um coelho branco, mas ele nunca está atrasado!
6- Sou muito teimosa;
7- Não coloco fotos no orkut;
8- Não resisto ao cheiro de pipoca.

Eis aqui 8 blogueiros que merecem esse selo:
Comentar é Preciso
Coruja Boêmia

Obrigada Helen, e parabéns aos novos ganhadores!
Leia Mais ››

quinta-feira, 11 de junho de 2009

O Exterminador do Futuro: A Salvação

Alguns dias atrás a Gi, do Comentar é Preciso, mencionou os equívocos nas traduções dos títulos de filmes, O Exterminador do Futuro: A Salvação, tropeça nesse problema. Acontece que não há viagens no tempo nesse longa, ninguém vem do futuro para salvar ninguém. Tudo bem, talvez o cara que escolheu o título tupiniquim lá em 1984 não achava que a franquia seria tão duradoura. Pensando melhor, talvez o título em inglês Terminator (Exterminador, apenas), também seja equivocado. Já que não há um exterminador específico no filme.

Em 2018, grande parte da população mundial foi dizimada pelo "Dia do Julgamento", promovido pela Skynet depois que as maquinas ficaram independentes dos humanos. Quem restou vive em guerra constante (e em grande desvantagem) contra os robôs.

John Connor (Christian Bale) é líder de uma base submissa a um comando militar multinacional. (Ele ainda não é o salvador da humanidade, mas está chegando perto). Ele também não é mais aquele jovem perdido com a responsabilidade jogada em seu colo que precisa de proteção. Entretanto a premissa dos filmes originais - uma vida importante para o futuro da humanidade precisa ser salva - continua.

Dessa vez correria começa quando Connor descobre que Kyle Reese (Anton Yelchin), um adolescente civil, é o nº1 na lista de procurados da Skynet. Para os desmemoriados, Reese é o pai de Connor, que voltou no tempo para proteger, a mãe do futuro líder da resistência humana, lá no primeiro filme.

Enquanto isso Marcus Wright (Sam Worthington), um condenado a morte em 2003 acorda em 2018, sem entender a confusão em que o mundo se tornou, como chegou ali e por que ainda está vivo.

A partir daí acompanhamos a saga de Connor para salvar seu pai e de Marcus por respostas, ambas repletas de cenas de ação de tirar o fôlego, (atenção ao plano sequência do helicóptero, não é preciso muitos cortes para caprichar na velocidade!).

Embora não decepcione nas sequências de ação, a narrativa perde um pouco com duas tramas paralelas, de Connor e Marcus, se desenrolando ao mesmo tempo e, consequentemente, competindo pelo mesmo espaço. O desenvolvimento da história e dos personagens fica espremido entre grandes explosões e explicações sobre os modelos de exterminadores.

Ainda assim o filme diverte a platéia, até quem (se é que existe alguém!) não conhece a trama, que pode se atualizar em uma curta explicação no inicio do filme. Tudo graças a empatia que os últimos humanos do planeta geram no publico, mesmo porque a outra opção seria simpatizar com as máquinas.

Também estão no elenco Moon Bloodgood, Helena Bonham-Carter, Brice Dallas (no papel que era de Claire Danes em T3), ea versão digital e rejuvenescida do Governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger. O T-800, o exterminador original faz uma ponta de luxo que deve agradar aos fãs da série.

O Exterminador do Futuro: A Salvação (Terminator Salvation)
EUA - 2009 - 116 min
Ação / Ficção científica
Leia Mais ››

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Interpretando placas

Observem atentamente a placa abaixo, não é tão simples interpreta-la!

Vejam bem, é proibido jogar entulhos, se for um só não tem problema.

Não pode jogar em cima do canal, mas dentro, ou nas laterais pode sim.

Mais se você ainda quiser se arriscar pode estar sujeito a multa e apreenção (tomara que seja o mesmo que apreensão). E que apreendam o lixo, afinal é isso que, alguém que o jogue ali quer: que a prefeitura o leve embora.

Viu como é importante ter atenção as placas, se não te derem informações cruciais, ao menos rendem um post divertido!

Leia Mais ››

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Se mata! Mas vai sozinho!

Ta vendo o guri da foto aí do lado? Sufocante não? Pois é assim que tenho me sentido no ultimo mês. Tudo por causa de gente sem educação, que cisma em fumar em lugares fechados onde não há sequer janelas.

Não vou ser hipócrita, nem encher o saco de dos fumantes. Quer gastar sua grana numa porcaria cancerígena, dou maior apoio. Vai lá! Se mata! Mas faça isso sozinho!

E por favor parem de achar que desodorizadores de ar, balinhas de menta, e litros de perfume, vão disfarçar o cheiro. Não adianta, agente sente sim!

Outro aviso: É ridículo gastar verba, e tempo, se embelezando, colocando aquela beca, preparando o discurso se você for fumante. Afinal quando abrir a boca os amarelo nos dentes vai estar lá. As pessoas vão torcer o nariz, virar o rosto, ficar a favor do vento, e por fim encurtar a conversa para se livrar daquele futum que fica impregnado, nas roupas, objetos e até na casa do idio... digo, fumante.

Tudo bem, mesmo assim nem tudo esta perdido!

As pessoas que te amam não vão te evitar. E, com o tempo, você vai poder afirmar com orgulho que é por sua causa, que eles têm diversas doenças respiratórias.

Portanto, vai lá continue fumando, mas por favor escolha lugares abertos ou frequentados por outros fumantes!

Não se torne um assassino, não leve ninguem (especialmente eu) com você!
Leia Mais ››

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Ainda com sede!

Alguns dias atrás publiquei aqui uma deliciosa propaganda de água italiana. Através dela encontrei no YouTube esta outra, onde á agua faz peripércias ao som de We Will Rock You.

Infelizmente a informação disponível sobre o vídeo, que é praticamente um curta-metragem, é pouca. Confira abaixo:


Leia Mais ››
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top